Google+

sexta-feira, 9 de maio de 2014

Extremos

      Uma coisa engraçada é se deparar com extremos.
    Um dia observei (o óbvio) que alguns homossexuais passam por um período de desembestamento sexual, fazendo sexo sem muito critério com o maior número de pessoas e com a maior frequência possíveis, como se isso fosse uma forma de tirar o atraso do que não fizeram durante seus anos mais jovens. Existem também, claro, os moderados, que preferem um relacionamento romântico, estável e duradouro. Por fim, os extremistas do outro lado que não se relacionam e permanecem virgens até seus 30, 40 anos e por aí vai...
    Esse último grupo pode ser dividido entre os que o fazem assim por escolha, e os que são vítimas das circunstâncias. Mas que circunstâncias?
Meu exemplo: quando eu era adolescente, houve uma época entre a 6a da 8a série (13 a 15 anos) que beijar na boca era uma febre entre as 'crianças' da escola. Ser BV naquele contexto sentia-se tão desmoralizante quanto ser gay hoje. Havia uma garota na minha sala que era mais próxima de mim que as outras, e os meninos da sala nos empurravam para que "ficássemos". Por coincidência morávamos perto, então era frequente que caminhássemos juntos depois da aula. Num dia, enquanto nos abraçávamos para a despedida, aconteceu meu primeiro beijo, que foi um tanto estranho e foi tópico dos meus pensamentos dos minutos antes de dormir, embora tenha sido apenas um selinho. Para afastar o rótulo de BV de mim, espalhei que fiquei com a menina, pois tecnicamente eu havia sim a beijado.
    Isso sustentou minha integridade por um tempo, mas como eu nunca havia realmente beijado, eu passei a me sentir inseguro demais para fazer qualquer movimento que culminasse em uma menina querer ficar comigo, e logo perceber que eu não sabia beijar ou que eu beijava mal. Essa insegurança me prendeu, passei a evitar festas com os amigos, ou qualquer outra reunião social que pudesse ameaçar o meu conforto de mentiras. Mesmo depois de ter tido relações sexuais com homens, eu só fui beijar mesmo aos 21 anos de idade.
    Hoje ainda eu tenho mais facilidade de fazer sexo do que beijar um cara. Há vezes, e frequentes vezes, em que faço sexo sem beijos, pois sinto que preciso de uma conexão a mais para isso. Acho a boca mais íntima que meu pau, ou o de alguém, então quando eu me encontro com alguém novo dos apps de pegação, me reservo o direito de não beijar.
    Esse é (um dos) meu(s) trauma(s) de infância.
    Imagino que deva acontecer uma trava desse tipo com alguém que permanece virgem até seus muitos anos, como se fosse uma bola de neve. A insegurança de não ter tido relações nos anos mais jovens pode fazer a pessoa passar a evitar se colocar nessas situações que podem expô-la à vergonha de alguém descobrir a sua falta de experiência. A pessoa acaba criando em sua cabeça que sexo é complicado demais para ela nesse ponto da vida, assim como eu pensava que beijos seriam para mim.
    Talvez isso seja mais frequente entre gays, pois um homossexual médio pode sofrer algum atraso da sua 1a relação sexual. Esse atraso se deve a problemas como enfrentar períodos de descobrimento, aceitação e finalmente da procura de um parceiro ajustado. 
    Mesmo que isso não nos acrescente muito, não deixa de ser interessante saber, mas precisaríamos de uma pesquisa para dizer se o homem que permanece virgem até muitos anos é mais provável de ser homossexual, ou não. Tento pensar nos meus amigos e amigas héteros, e não acho que eu tenho algum que ainda seja virgem. Se eu tiver algum, será por escolha de construir um relacionamento estável antes, e não pelas circunstâncias, e isso aplicado mais comumente às mulheres.
    É só uma constatação, porém. Não digo que o fato de ficar virgem até muitos anos é algo que deveria ser corrigido, mas se for algum caso de superestimação do sexo, um trabalho de desmistificação do sexo pode ser feito.
    Para ter uma noção de como isso funciona nos nossos meios, convido vocês a deixarem depoimentos falando de vocês são ou têm amigos, hétero ou gays, que sejam virgens, e tentar explicar o porquê deles serem. Vale lembrar que isso não é necessariamente uma coisa ruim, mas é uma experiência a que todos deveriam ter direito de desfrutar.
Um grande abç.
N.B.
----------------------------------------------------------------------------------------------

40 comentários:

  1. O melhor foi a imagem final... :D

    Bom, perdi minha virgindade sexual aos 23 anos (e a de beijar homens aos 24). Já havia beijado 2 meninas antes, havia sido legal - mais pelo beijo do que por serem meninas, óbvio! - e não me arrependo de ter demorado... Claro que comigo aconteceu a tal "adolescência sexual tardia", apesar de eu achar errado a idade com que normalmente se começa a transar hoje em dia! Mas digo que foi ótimo começar tarde, pois fui sem (quase) nenhuma neura ou grilo na cabeça, e realmente pude aproveitar o momento, já me aceitando como sou... Agora, eu digo uma coisa: a 2ª é muuuuuuuuuuuuuuuuuuito melhor que a 1ª!!! :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. whaha essa tirinha é demais, neh mavi!
      abç

      Excluir
  2. Sobre a demora no início da vida sexual do gay médio, lembra o que acontecia com os héteros no tempo dos nossos avós. É como se existisse um fluxo normal, mas começamos atrasados e em desvantagem. Provavelmente vamos nos igualar nas próximas décadas.

    Sobre um cara que permanece virgem (por muito tempo ou para sempre), independente da sexualidade, isto está mais ligado a um bloqueio social. Geralmente este indivíduo foi um adolescente com auto-percepção negativa sobre seu corpo, dinheiro, amigos, família... e este problema não se resolveu mesmo depois de adulto. Li esta semana um pesquisa sobre isto, mas não lembro a revista.

    Alguém aqui se vê como pai? E já pensaram neste filho quando adolescente? E se ele for gay... vão deixar acessar o blog piroqueiro do N.B.?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A pirocaria é educativa. =p

      Excluir
    2. Converso muito com uma amiga minha lésbica se der tudo certo daqui a algum booooooom mais bommmm tempo mesmo vou ser pai do futuro filho dela. Esse bloqueio social nem sempre é por preconceito por ser gay muitas vezes é uma idealização do amor etc. Vou recomendar uma comédia chamada" amor e outros desastres "é bem interessante e de uma certa forma fala sobre a idealização do amor de forma divertida e com personagem gay. Ass: carlos

      Excluir
  3. È curioso, eu tb n beijei na minha primeira vez com um rapaz; não estava preparado para tamanha intimidade...

    Os teus posts são sempre muito bem ilustrados :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. um dia ainda vou fazer minhas próprias ilustrações... hahha
      >;F

      Excluir
  4. Nossa por alguns segundos pensei que vc poderia ser uma amiga minha lésbica(kkkkk), estavamos conversando essa questão do beijo ontem quando a mesma me perguntou se homens gays beijam na boca pois alguns amigos dela não conseguem ter esse contato, acham muito íntimo fazendo de tudo menos beijar na boca. Sinceramente achei essa história tão estranha, já aconteceu de pegar caras que não queriam beijar na boca até aconteceu com um deles sua justificativa na hora foi ser "heterossexual", porém é muito sem graça sei que beijo bem e adoro beijar me sinto conectado com a outra pessoas sem isso não consigo sentir tesão. Tenho muitos amigos e amigas virgens alguns é pela religião ,outros dizem que é pela religião mais suspeito que seja por serem gay e outros são por estar esperando o cara certo. No meu caso as minhas duas virgindades perdidas foram bem estranhas, a primeira com mulher foi esquisito demais tinha 14 anos depois melhorou, a segunda aos 20 anos com homem foi bem selvagem porém o cara era um idiota o que acabou estragando com tudo. Nessas duas vezes nenhuma delas foi por amor a primeira foi por curiosidade, a segunda por achar que estava na hora já tinha tido antes a oportunidades de perder com caras só que sempre colocava uma barreira do tipo "é meu amigo vai estragar a amizade", " conhecir o cara agora e já pensa em namorar comigo imagina se eu transar com ele não vai me deixar em paz" ou "esse cara só quer sexo" eu era o famoso cú doce. Na verdade queria alguém que quisesse me conhecer porém não queria alguém que depois do primeiro beijo me pedisse em namoro e acabei escolhendo o pior tipo possível. Acho que perder a virgindade vai muito dos conceitos que a pessoa tem com o sexo e sua visão de mundo, fiz com alguém que no momento ganhou minha confiança. Acredito que muitos querem fazer com alguém especial se for um cara para casar então melhor ainda só que muitas vezes temos desejos e expctativas de auto conhecimento que certas pessoas (eu)não conseguém esperar mais. Virgindade além de uma escolha se vai perder ou não é uma necessidade tive uma amiga super linda e interessante que era assexuada ,ela tinha desejo de namorar, casar, ter filho e beijar na boca porém não queria transar.Ass: carlos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. já usei a desculpa de ser heterossexual também, quando eu queria só usar o corpo da pessoa... sabe, quando a pessoa é gostosa mas feia? pakspoakapoksa
      de qualquer formas, sexo com qualidade tem beijo...
      aiai

      Excluir
    2. Minha auto estima subiu muito depois de saber desse fato kkkkkkkkkkkkk ass: carlos

      Excluir
  5. Apesar dos meus 23 anos nas costas, ainda sou virgem e não cheguei a ficar com nenhum cara. Não por medo (não hoje), mas acho que por falta de interesse mútuo, oportunidades, entre outras circunstâncias.

    Tenho uma amiga hétero recém ex-virgem da minha idade e uma outra perto dos 30 que ainda é virgem. Então, não acredito que a homossexualidade por si possa causar a vida sexual "tardia". Acho que é um conjunto de fatores (medo, insegurança), que não necessariamente estão ligados com ser gay ou não.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, também não acredito que não... de qualquer forma, eu imagino que seja um dos fatores de atrasar o início da vida sexual, pois como disse acima, ela vem com aquele período de descobrimento e aceitação, e talvez insegurança.
      Agora que vc falou sobre sua amiga de 30, acabei me lembrando que tenho uma na mesma situação. Ela, porém, é mto religiosa.
      abç!

      Excluir
  6. Perdi minha virgindade aos 17 anos com uma menina em uma praia, foi horrível, por ser na praia e ser inexperiente e não por ser uma menina. Anos depois foi com minha namorada, fiz duas vezes, pensei: - é só isso? Ficou por aí. com 23 anos conheci um cara que era meu chefe no trabalho. Era casado, muito sério, muito na dele. Eu sou um cara bem humorado daqueles que todos querem ser amigo, que ouve as pessoas, todo mundo busca conselhos etc. Conquistei a amizade dele. E em um determinado dia o cara do nada me encoxa. Senti-me perturbardo, não excitado, parecia uma coisa casual. Ele me contava os problemas com a esposa e eu sempre dava conselhos que normalmente davam certo. Encontramos muitas afinidades, Foi um encontro de almas mesmo. Ele foi perdendo o interesse nela e pimba um dia sonhei que o cara estava me comendo. Sempre fiz execrcícios e até a mulher dele me elogiava na frente na sua frente. Nunca tive atração por homens pelo menos nunca tinha me dado conta, Fiquei desesperado, como tinha muita confiança nele acabei contando. Ele me deu um puta de um gelo por dois meses, Eu fiquei totalmente perdido. No trabalho era só assunto profissional. Quando um certo dia ele me chamou na sua casa, ficamos em silêncio por quase meia hora, acabamos de cueca no sofa, só sentíamos o corpo um do outro abraços, apertos, maos dadas cerradas. Isso se prolongou muito. Até que cessou. Somos muito amigos hoje, Estou certo hoje que queria algo mais com ele, mas naquela época algo me brecava e a ele também, Era algo proibido e isso me incomodava, depois que ele se separou, nada aconteceu. Ainda somos amigos. Nunca o beijei. Hoje continuo o mesmo cara, sozinho, super legal, mas que tem a abstinencia pela falta de confiança no mundo. Cansado de ser só, outro dia falei em voz alta será que não tem ninguém nesse mundo que me queira? Poucos minutos depois parou um carro no engarrafamento com um cara, muito bonito, que não parava de me encarar, eu arrumei uma coragem lá no fundo e sorri pra ele, ele correspondeu esperando que eu fosse até ele. Não fui. Enfim... Hoje tenho 40 anos, apesar de não parecer, mas me sinto no mesmo lugar quando tinha 23.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro anônimo, você é um dos tipos que falei no meu comentário abaixo. Você só quer ter algo íntimo com alguém se for por paixão e se já for quase certo que haverá uma relação de compromisso. Tudo bem, muitos querem e eu inclusive (no futuro), mas acho que você não pode se fechar totalmente ao sexo casual praticado de maneira bem aproveitada como eu, por exemplo, gosto. Vai que nesses encontros, que até então você poderia achar uma perda de tempo, você não acabe encontrando um cara que aos poucos vai gostando de você e depois de um tempo sem pressões ele mesmo resolve chegar em tu e propor um namoro? Eu duvido que eu esteja sozinho nesse tipo de visão, acho que uma quantidade significativa pensa assim.

      Abraço.

      Excluir
    2. É vdd Caio, acho que compartilhamos desse pensamento, apesar de eu ser mais flexível com a qualidade.
      Tipo aquela filosofia do experimentar até achar o mais apropriado. Me lembra uma história que comentei com um amigo noutro dia, sobre o subway.
      Acho que são oferecidos 6 melhos, e se fôssemos combinar todos 2 a 2 teríamos 18 combinações. Porém eu achei minha combinação perfeita, e depois de arriscar um sanduíche com um molho diferente dessa e não ter gostado, só peço a combinação que me satisfaz mesmo tendo mtas combinações para experimentar.
      Imagino que algo do tipo vai acontecer com meu marido.
      abç!

      Excluir
    3. Tudo bem Caio, mas como? casual? não frequento meio então... o que fazer?

      Excluir
    4. Tente encontrar um cara criando perfis nos sites e aplicativos de relacionamento para smartphone como: Disponível, Manhunt, Gaydar, Grindr, Hornet, Scruff, Guyspy, entre outros. É mais um meio de conhecer caras. Claro, já deixo avisado (e creio que você também já saiba) que muitos inscritos neles só estarão afim de sexo e que pode levar um tempinho até achar alguém que valha a pena, mas é preciso tentar. Lembrando que os 4 primeiros são acessados por homens mais variados e os 2 seguintes por ursinos, em geral.
      Além disso, no dia a dia mesmo não é tão o complicado de encontrar caras, caso você seja de alguma cidade com mais de 500 mil pessoas.
      Hoje em dia você pode encontrar alguém em clubes, parques, excursões, academia, shopping. Eu mesmo me surpreendi com a quantidade de gays que existem a minha volta no final de minha adolescência.
      É a dica que te dou. O negócio é tentar, é preciso começar por algum ponto.
      Abs.

      Excluir
    5. Cara, já fiz isso, e acredite, me dei mal em 90% dos casos, conheci alguns, a maioria quer sexo sim e os que não querem são complicados demais, achei um cara bem bacana nos demos bem logo de cara, é supermaneiro, nos encontramos e foi bem legal, mas... descobri por uma foto que ele era pastor de uma igreja... putz... quando ele descobriu que eu sabia, pirou. Hoje somos apenas amigos. Sou um cara meio diferente, sou sensitivo, não sei se acredita nessas coisas, mas percebo as pessoas pelo olhar e pelo há ao redor delas, não importa se gay, hetero, lesbica, cada um tem uma áura e fica fácil de saber pelo olhar, pelo sorriso, o que a pessoa busca, mas a maioria não deixa isso claro. Também fiquei impressionado com a quantidade ao meu redor nos últimos anos, principalmente na academia... foi mal estar te alugando, mas encontrei aqui nesse blog pessoas inteligentes e não bitoladas que sempre encontro em outros lugares,.. Abraço.

      Excluir
  7. Puta merda, tá cada vez mais difícil ler o texto com essas imagens HAHAHaha.

    Mas então, acho muito real isso dos 'extremos'. A primeira vez q fiz sexo com um homem, 14 anos e sem beijo kk. Sempre achei mais íntimo que o sexo, por incrível que possa parecer para alguns.

    Sobre o sexo tarde, acho que pode influenciar sim. Eu mesmo, depois da primeira vez, fiquei uns bons 5 anos sem nenhum tipo de contato. Não porque a primeira vez foi ruim, mas talvez pelo choque, quando veio aquela idade de realmente entender a coisa. Me concentrei em outras coisas simplesmente.

    E sim, há muito 'peso' sobre o sexo. Fazem um auê tão grande sobre algo tão simples e natural na vida de um ser vivo, atrito entre átomos de carbono que causam reações químicas kkk isso acontece o tempo todo com qualquer coisa. E esse tabu cria distorções tanto no mundo hétero quanto no homo, infelizmente.

    Att,
    Luís.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu fecho os olhos quando escrevo para não encarar as imagens :P
      Enfim, também tive esse período de latência depois da minha primeira vez, mas fui mais apressado. Fiquei seco dois anos depois da minha 1a vez, e não sei explicar os motivos para isso.

      Excluir
  8. Caramba!!!! Eu sou virgem ainda (tenho 23 anos). Acho que sou o cara mais medroso deste lado do mundo. Nunca tive coragem de fazer, sei lá, algum bloqueio... Sempre fui socialmente retraído, e todas as minhas iniciativas na infância foram barradas com certa violência, o que contribuiu pra eu me retrair ainda mais na adolescência. Depois da Grande Descoberta, então, tudo só piorou. Levei muito tempo pra ter coragem de beijar um cara (também só tive selinhos com meninas na adolescência), e hoje ainda é muito raro que eu beije. Sexo então...

    Não tenho amigos virgens, nem homo e nem hétero, o que torna tudo ainda mais constrangedor. E esse constrangimento me trava mais ainda. Sabe Zeus o que é isso!!!!

    To numa fase meio que "desespero batendo na porta, de cueca à meia noite", mas não abro a porta por causa de uma barreira invisível...

    Matteo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ha, eu tive um amigo hétero e virgem até os 23... precisa desesperar não, qqr dia desses vc vai tá dando no couro, se vc quiser ;)

      Excluir
    2. Tbm tenho 23 anos e ainda sou virgem... Um dia eu tive neura com essa coisa de perder logo a virgindade, mas hoje eu relaxei com isso, no dia que for pra ser será...

      Jack.

      Excluir
  9. Perdi com 28 anos, por vários fatores. O primeiro e mais forte deles era a timidez, especialmente para chegar em alguém (homem ou mulher). Outro ponto importante foi a demora até me descobrir e me aceitar - por volta dos 25 anos. Ao mesmo tempo, não me sentia pressionado em perder a virgindade, apesar de me sentir deslocado às vezes quando conversava com amigos. Nunca curti muito a ideia de transar com estranhos, então meu único caminho era namorar alguém para que tudo rolasse. Minha primeira vez foi com meu namorado atual. Não foi lá grandes coisas, mas o que me marcou foi todo o carinho que rolou antes, durante e depois.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. oin que fofo =)
      só não deixa seu namorado saber que ~não foi lá grandes coisas~ pakspoaksaposk
      imagino que quando o papo com amigos é sobre sexo deve ficar chato pra quem não teve experiências mesmo. No meu caso eu fazia analogia das minhas experiências com o sexo hétero. Ajudava a não me sentir muito deslocado.
      abç!

      Excluir
    2. Na verdade, ele sabe. A gente conversa muito sobre tudo, inclusive coisas que cada um gosta. Isso ajudou muito a termos intimidade e a fazermos coisas que o outro curte. A química da gente é muito boa ^^

      Excluir
  10. Eu não vivo em extremos, ainda bem rs. Lembro-me que como você eu também sofri na adolescência por ser BV e por ficar muito isolado dos outros, ser o típico nerd que passava a maior parte do tempo estudando e viajando em meus próprios pensamentos. Felizmente no início da vida adulta (19) eu beijei e transei com um cara bem interessante. Não vou atrás de sexo loucamente sem critérios, pois tenho os meus e não são poucos, mas também não estou no momento atrás de algo completamente romântico e com pretensão de elevada durabilidade. Penso sim mais a frente conhecer um homem que eu goste para viver uma história de afeto com ele, mas quero aproveitar mais minha juventude para conhecer outros homens. No entanto, o que vejo muito hoje é que os gays só vivem de extremos: ou são aqueles que curtem a rapidinha e o total desapego, mesmo na hora dos pegas, ou são aqueles que não se permitem ter uma relação mais solta sem precisar ter compromisso. Aí eu pergunto, qual o problema de curtir uma relação casual, mas bem aproveitada e até com um mínimo de sentimento, que se for boa pode se repetir e até quem sabe se for da intenção dos envolvidos virar um namoro? Está difícil achar algo assim.
    Quanto ao beijo, eu detesto fazer sexo sem beijo, é algo que para mim faz parte e é imprescindível, pois se escolhi um homem para ficar é porque ele me atraiu e estou bem afim dele. Não tenho esse lance de ter que ser alguém especial, de precisar estar apaixonado. Do contrário se vejo que é só uma rapidinha ou alguém que eu não beijaria, digo que sequer faria qualquer outra coisa com ele também.
    A propósito, não conheço ninguém no meu círculo de relacionamentos que esteja assim "virgem", pelo menos não que eu saiba.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  11. HUm..... Na verdade não acho que fazer sexo tarde seja um problema... na verdade pode se sim passar sem ele em certos contextos... Sempre foi mais díficil para os gays achar um parceiro porque afinal a maioria das pessoas não é gay... então se torna tudo mais difícil no nosso caso. Eu mesmo já tive vários garotos e homens mais velhos interessados em mim, mas nenhum deles era o que eu esperava ou queria... todos os caras de quem ja gostei ou mesmo pelos quais fui apaixonado não eram gays... Eu não fico com alguém só por causa do sexo ou para satisfazer as pessoas que querem ficar comigo... Muitos recalcados me criticam por causa disso, dizem que ficarei para a titia, que não gosto de ninguém... Mas eu me preservo, é isso. Os gays realmente sofrem esses pequenos dramas que vc fala no texto, talvez por isso que muitos não saibam amar outro homem.... são cheios de não me toques... não poder beijar, não poder fazer carinho, não curtir caras efeminados, querer somente os casados e etc... eu hein, fico chocado na balada com tudo isso, mas enfim, fazer o que ?

    ResponderExcluir
  12. Bom......eu acho que se guardar é tolice. Depois o tempo passa e vc perde o frescor da juventude e junto dele a beleza da jovialidade.
    Tenho 28 anos e sou bi. Perdi minha virgindade com uma garota com 15 anos, mais por pressão do que vontade. Com garoto perdi aos 17 anos e tb sem beijo.
    Ainda hj quando transo com rapazes são poucos os que beijo, tb acho algo mais intimo,confesso que rola um nojo de beijar, sei la, imaginar que aquela boca ja mamou varios rs, não curto. Rs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E você por acaso não pensa o mesmo em relação as garotas, não é mesmo? Saiba que elas também podem ter enfiado a boca sabe-se lá onde.

      Excluir
    2. Claro que penso. Mas doendo ou nao doendo percebo que os gays são mais "putos"que as garotas de um modo geral.

      Excluir
  13. Quando eu li esse post, eu pensei " puts, parece que foi escrito para eu!" . Super me identifiquei, tenho 24 anos e sou virgem, até o final de semana pasaado era BV também. E isso é realmente algo q me incomoda. Confesso que depois que perdi o BV (beijei 3 na msm noite, após o primeiro) senti que estava tirando um pouco do grande peso que carrego. Não foi bom ( principalmente o primeiro) mas me senti obrigado a fazer, por pressão minha e dos meu amigos que ja estavam achando estranho eu não ter pego ninguém até certas horas da madrugada... mas ainda me falta fazer sexo e isso é algo q me pertuba. Não que eu tenha medo, mas sim insegurança... por não ter experiência e por já não ser tão novo, tenho convivido com esse drama há uns anos , posso discorrer aqui vários motivos que me levaram a minha atual situação: timidez, dificuldade de aceitação,baixa auto-estima , pressão dos pais , enfim... confesso que esse post de certa forma foi reconfortante pelo fato de saber que não sou o único no mundo, mas ainda sim é algo que se faz motivo de preocupação, antes tinha a pretensão (inocente) de achar um cara bacana com quem dividiria tal momento, tipo filme kkkkkk , mas ja acho isso surreal e creio que acabara por ser com o meu recente primeiro beijo, algo feito mais por obrigação do que por vontade. Um abraço a todos! E à você N.B , primeira vez que comento no seu blog, mas ja acompanho há muito tempo, parabéns pelo blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tô curioso. Em que contexto alguém fica BV até 24 anos e de repente se beija 3 na mesma noite, por pressão (de amigos que sabem que você curte rapazes?)?
      Foi pra balada e bebeu demais?

      Excluir
    2. Pois é parece surreal ,não? mas (infelizmente) é verídico, era BV e na mesma noite beijei 3... sim , esqueci deste detalhe, estava já meio alegre. Foi um fator a mais que me ajudou em tal façanha (rs). talvez eu não tenha me expressado bem, como disse, senti que eles estavam me pressionando, por que até certa hora da balada, eu não tinha ficado com ninguém , destoando do restante da paisagem... porque eles sabem que sou gay, mas não sabem que sou virgem! além de uma auto - cobrança é claro.

      Excluir
  14. Super me identifiquei com o post. Também na adolescência passei por essa pressão do BV, e logo aos 11 anos, numa festinha brincando de "verdade ou consequência" eu dei meu primeiro beijo. Depois disso, algumas outras vezes beijei umas meninas, mas eu era tão zuado pelo fato de parecer ser gay que me isolei completamente. Daí só fui beijar novamente quando beijei o primeiro garoto, aos 17 anos. Já em relação a relações sexuais sempre fui mto inseguro em fazer qualquer coisa, não demorei para ter minha vez, mas foi por vontade e pressão minha mesmo, que aconteceu com 18/19 anos.
    Mas sempre em relação a sexo, depois que encontrei meu grupo certo de amigos, percebi que é de fato mto tabu em relação a tudo. Tenho uma amiga que até hoje com seus 22 anos é virgem e por escolha mesmo, não existe nenhum tipo de empecilho pessoal, religioso ou de família. No caso, ela simplesmente não encontrou o cara certo e não tem vontade de fazer.
    Tenho um amigo hetero também que deve ter transado no máximo duas vezes na vida e não tem necessidade nenhuma de correr atrás de mulher sempre. Uma outra que é lésbica, não é virgem mais, mas deve ter quase 3 anos que não fica com nenhuma outra menina. Todos na minha faixa etária: 22 anos.
    Todos os 3 casos são pessoas totalmente seguras com sua orientação sexual, levam uma vida normal, tem seus conflitos pessoais, mas, de fato, não sofrem por não transarem com grande frequência, assim como eu.
    Acho que hoje em dia sexo é superestimado, mesmo na esfera homossexual, se vc não transa ou não "pega" ninguém, vc é inferior. Uma grande bobagem, mas ainda é o machismo falando mais alto.
    Eu mesmo reparo mto nos app gays e de pegação que existem por ai: todo mundo só quer transar. Pouco se vê de pessoas que querem apenas se conhecer, por exemplo. Mas ai podem argumentar que o app é para sexo, mas eu discordo.
    Enfim, quem sabe, N.B. a gente não se esbarra num app desses pela UFMG.

    PS.: Sempre leio o blog, nunca comentei, mas gosto mto do que vc escreve. Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ha, engraçado como você percebeu a superestimação do sexo por outro ângulo. Neste texto eu quis dizer que na cabeça de alguém virgem, o sexo pode parecer algo complicado, difícil, artístico... enfim! supervalorizado para ela. De qqr forma, a consideração de sexo como critério de status também existe, como você apontou.

      Ah, sobre os apps... mas será que já não nos esbarramos? :p
      abç!

      Excluir
    2. Nunca saberemos né?
      Mas vou deixar a dica: uso o Hornet e to sempre no Icex (não mostro o rosto na foto, mas to usando gravata) haha
      Demorei pra respoder, pois fim de semestre. Vc sabe como que é!

      Excluir
  15. Interessante vc comentar que considera o beijo como algo mais "intimo". Comigo é totalmente diferente, eu acho que beijei todos os caras que fiquei, peguei, transei, etc (que não foram mtos digasse de passagem, rs). P/ mim acho até o beijo uma coisa primordial e preliminar à qualquer contato físico maior. Mas dá p/ entender a sua posição a partir da tua história de vida.

    Quanto a virgindade, eu perdi c/ 24 anos, tardiamente em vista do tempo levado p/ a aceitação. Acho que na minha adolescencia fui praticamente assexuado, embora achasse graça em uns meninos no colégio e em geral tinha sonhos noturnos, dos quais eventualmente acordava c/ o lençol melado. Eu fui me dar conta de que poderia ser gay a partir dos primeiros contatos c/ pornografia gay, foi assistindo videos que eu gozei (acordado!) e me dei conta q aquilo me atraia (homens, sexo gay). Daí até me aceitar foram uns dois anos. Aos 24 anos começei a buscar homens c/ objetivo de confirmar minhas preferencias sexuais e obter as primeiras experiencias, embora a primeira transa em q eu realmente curti acho que deve ter sido a terceira. As vezes chego a pensar que essa primeira experiencia poderia ter sido melhor se fosse mais seletivo, mas enfim, tinha muita coisa na época q eu não sabia e ainda por cima tava no maior atraso! kkkkkk

    ResponderExcluir
  16. Oi N.B, tô passando aqui pra te convidar pra fazer parte e ler meu novo blog. A ideia é contar sobre tudo que acontece ao meu redor mas com um olhar mais poético, assim espero. Pra começar eu escrevi algo que tem me intrigado ultimamente no Tinder. Enfim, espero te ver por lá. Abração!!!
    http://produtopoetico.blog.com/

    ResponderExcluir
  17. Eu tenho 20 anos e sou virgem, me identifico com o grupo dos virgens que esperam a pessoa certa hahaha.Nem se fico com alguém em alguma ocasião eu não gosto de ficar passando a mão na bunda ou no pau. Eu sou muito tímido pra fazer sexo com uma pessoa que não conheço, sempre fico nervoso quando tenho que fazer alguma coisa nova, principalmente pra quem não conheço. Custei a perder o BV tb, pq não tinha vontade de tentar com mulheres e não tinha contado pra ninguém.
    Uma vez eu conheci um cara muito legal, mas na segunda vez que a gente saiu (que foi a única vez que eu saí com alguem mais de uma vez), a gente foi no cinema e enquanto a gente se beijava ele colocou a mão na minha coxa e foi subindo, eu fiquei muito nervoso e tentava recuar. Depois que acabou o filme eu fui embora e falei que não queria continuar encontrando ele. Acho que o problema foi que ele fez um avanço que eu não tava preparado

    ResponderExcluir

#HTML10{background:#eee9dd ;}