Google+

domingo, 20 de outubro de 2013

Uma adolescência mental


   Uma vez um amigo me questionou se gays, em geral, ao terem a oportunidade de experimentar suas sexualidades, passam por uma espécie de adolescência atrasada.

    Este questionamento voltou à minha cabeça recentemente por eu fazer aniversário neste mês (sou escorpiano, a quem interessar), e exatamente por isso relacionei a proposta deste meu amigo com a minha situação, pois eu não soube opinar na época, e ainda não sei em que lado me coloco. 

    Já fui muito biscate na vida (sem conotação negativa), e isso se estendeu até o ano passado quando cheguei a sair com mais de dois caras no mesmo dia, e até ao mesmo tempo, ao contrário deste ano, quando as coisas ficaram mais calmas e o número de pessoas com quem eu saí até agora no ano todo foi a média semanal do ano passado. Não sei se é por falta de tempo, ou por eu ter elevado meus requisitos, ou ainda por causa de um desinteresse que pode ser pela idade, e que pode estar relacionado a um sossego sexual.
    De qualquer forma, este questionamento parece pertinente quando se percebe que uma grande quantidade de gays, nos seus vinte e poucos, parecem estar dispostos a fazer sexo com o mundo, ou com qualquer coisa que se mexa, e estão fugindo de relacionamentos como uma mulher com chapinha foge da chuva. Não digo que isto seja bom ou ruim, mas este comportamento nesta idade contrasta com meus amigos héteros que, em sua maioria, querem uma companhia estável para passar o final de semana, e estão mais sossegados nesse aspecto da vida.
    Por outro lado, a repressão que estes homossexuais sofreram ao longo da vida pode tê-los levado à questionamentos do status quo moral, além de ter instigado a curiosidade e o desenvolvimento de um bom senso crítico de tudo o que lhes é postulado. Por ser uma questão de sobrevivência e de preservação da própria sanidade, nós tivemos que questionar o que nos era tido como "o correto", para que não fôssemos "os errados" no mundo e para que não morrêssemos de depressão pelo auto julgamento, o que caracteriza maturidade. 
    Dessas hipóteses generalistas e superficiais, pode-se resumir que o homossexual passa por um amadurecimento intelectual antecipado e uma busca pela satisfação sexual atrasada, em contraste com o hétero que tem a satisfação sexual garantida nos seus anos mais joviais, mas que por ser ajustado à sociedade, não precisa questionar as regras do mundo. 
    Tentando não generalizar, vejo que casais gays nos seus vinte e pouco anos são as raríssimas exceções, inclusive entre gays assumidos. E o mais engraçado disso tudo é que, mesmo existindo tão poucos casais gays estáveis, a falta de gente que quer um relacionamento gay sério é uma reclamação constante das pessoas com quem converso. Sei que querer um relacionamento sério não exclui a possibilidade de ir para a cama com outras pessoas sem compromisso, justificado pelo pensamento: "Eu quero um relacionamento sério, mas não com eles...". Isso pode nos levar a pensar que os requisitos para quem está nesta situação são muito altos.
    Neste contexto, gostaria de saber da situação de vocês. Digam como foi o seu comportamento sexual ao longo dos anos, se começou atrasado, ou se ainda não começou, e se vocês fazem sexo casual ou estão a espera do cara certo. Por fim, alguém gostaria de levantar hipóteses sobre a contradição de se haver tantas pessoas que gostariam de ter um relacionamento sério, e mesmo assim tão poucos casais gays?
Um grande abç e feliz dia das crianças atrasado!
N.B.

17 comentários:

  1. Rapaz... eu sou dos retardatários, eheheh. Mas assim, o que eu acho é que existem muitos fatores ai... e a forma como as pessoas reagem acaba interferindo na forma como as pessoas reagem. O lance da sexualidade já não é muito simples mesmo para quem não gay, imagina para quem, além de tudo o que está envolvido, ainda tem que lidar com o medo, a insegurança.

    Então, meio que cria uma demanda reprimida na minha opinião... mas assim como uma fruta tem seu tempo, cada um de nós mais cedo ou mais tarde, acaba se encontrando e acertando seu ritmo.

    Quanto aos relacionamentos... eu acho que rola um pouco de preconceito, a maioria diz que quer um relacionamento como uma forma de marcar posição de que não é promiscuo ou que é sério. A questão é que como muitos estão ainda "escondidos"... as coisas parece acontecer de maneira mais intensa e rápida do que em outros relacionamentos.

    Abração meu amigo!

    ResponderExcluir
  2. Acho que não existe "não ter adolescência". A vejo como uma "atualização automática crítica do Windows" que será instalada mais cedo ou mais tarde e a força.

    Levando em consideração que é mínima a probabilidade de um cara gay encontrar no seu primeiro parceiro o homem da sua vida; que um cara gay médio terá quantidade e qualidade de relações inferiores a um cara hétero médio; que um cara gay ainda precisa compensar sua homossexualidade com dinheiro, beleza ou poder; que a velhice gay é mais cruel que a velhice hétero:

    Ou aproveitamos sem a artrite, pelancas e calvice ou aproveitamos com a artrite, pelancas e calvice. Ou... não aproveitamos. Para os héteros a coisa é mais simples e com "E" em vez do "OU".

    Mas prefiro assim: um (01 e só) marido e um papai legal:
    http://s3-ec.buzzfed.com/static/enhanced/webdr02/2013/2/28/17/enhanced-buzz-4893-1362090706-0.jpg

    Que todos tenham tido um Feliz Dia das Crianças! E principalmente o guri da primeira imagem... Olhem a cara dele de safado com aquele pirulito que ganhou.

    ResponderExcluir
  3. Já havia pensado nisso, olhando para minha vida promíscua de pouco tempo atrás... Creio eu que, pelo menos pra minha geração, um gay não tinha uma adolescência comum, com namoricos e aproveitamento de sua vulcância hormonização! Então, acaba-se tendo essa "adolescência tardia" na vida adulta, quando se já é independente finaceiro (normalmente) ou se tem mais liberdade, por uma razão ou outra...

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Então, minha vida sexual começou desde de muito cedo, eu tinha apenas 12 anos e era totalmente uma criança quando tudo aconteceu. Atualmente me encontro com 20 anos e com o decorrer dos anos fui adquirindo experiência e também maturidade para lidar e encarar determinadas situações e me sair bem delas. Desde cedo, sempre fui o tipo de pessoa que sonhou com o "príncipe encantado" e que pensava que o dia de beijar o sapo até que ele virasse o príncipe nunca fosse chegar. Sempre tive vontade de viver uma vida normal, como qualquer casal vive, aproveitar o final de semana juntos, dormir, conversar, brincar, rir... Fiquei com um tanto de pessoas que me ajudaram a "ser" o que sou hoje e outros eu prefiro nem lembrar que passaram pela minha pequena história em construção... Atualmente encontro-me muitíssimo feliz ao lado da pessoa que há 10 meses me faz muito feliz e temos planos, muuuitos planos para o futuro. Finalmente eu beijei o sapo certo

    ResponderExcluir
  6. Bem com homens comecei bem tarde, primeiramente por não saber o que significava realmente ser gay e onde encontrar um cara que gostasse de homens, nisso a internet me ajudou bastante a pesquisar sobre o tema e ver pessoas na minha situação ou até mesmo pior acabei encontrando homens de 40, 50 que estavam passando pelo mesmo que eu com a vantagem de eu ser um garoto de 16. Uma coisa que me ajudou bastante foi apesar de não conhecer de fato profundamente o assunto nunca tive preconceito por também gostar de homens e nunca fiz melodrama sobre minha condição, isso me ajudou bastante. Quando tudo aconteceu na minha vida já tinha lido vários textos a respeito e foi na semana do meu aniversario de 18 anos até hoje lembro do cara muito gostoso ficamos e conversamos bastante. Não sou santo, dizem até que sou bem safado kkkkkkkk mais não me considero um devasso , antes não queria tanto namorar por achar que não estava preparado já hoje sinto que o momento chegou porém basicamente não encontrei a pessoas certa e quem me quer eu não quero. Não é uma questão de namorar e sim de amar a pessoa certa sou extremamente romântico e busco certas qualidades em um homem como fidelidade, companheirismo ,romantismo , ética ,carater e que seja inteligente. Não sou do tipo que faço com todo mundo porém pratico sexo casual, estudo muito vivo em um meio heterossexual meus namoros estão durando no máximo 3 meses e para piorar vou para balada raramente por tempo mesmo, tenho minhas necessidades gente sou humano kkkkk. Acredito que com as conquistas dos nossos direitos nunca fomos tão românticos porém certas mudança acontecem de forma bem lenta mesmo e se tratando de homens tudo fica mais complicado , tenho vários amigos heteros namorando e muitos colocando chifres nas suas namoradas agora imagine entre dois homens que tudo é mais intenso isso é uma das coisas que busco em um relacionamento confiança sou totalmente monogâmico. Quando falo da traição masculina não quero dizer que as mulheres não traem porém os homens é tudo mais escancarado. Ass: Carlos

    ResponderExcluir
  7. Olha, eu acredito sim que exista este tipo de adolescência atrasada, pelos homens que eu conheço que se comportam sim como adolescentes e pelos jovens que eu conheço, que se assumiram bem mais cedo, e demonstram um amadurecimento muito maior. A repressão dos sentimentos gays é, sem dúvida, o pior problema que um homem gay pode ter, quanto mais profunda é essa repressão pior são as cicatrizes que ficam no campo emocional desta pessoa, talvez, irreversíveis.

    ResponderExcluir
  8. Tudo o que você disse se enquadra perfeitamente na vida de quase todos os homos, e claro na minha também. Tive uma adolescência morna, chata, um verdadeiro tempo jogado fora e não aproveitado como eu queria, ainda que foi o tempo que consegui construir o intelecto e maturidade que tenho hoje. Comecei a vida sexual mais tarde em relação a média do país, ainda que o despertar da minha sexualidade geral (não a homossexualidade propriamente dita) foi tarde também. Isso fez com que o primeiro beijo (com homem) aos 19 me fizesse sentir-se como aqueles que deixaram de ser boca virgem aos 12 ou 13 anos. Como resultado dessa demora de realização sexual, a vontade só aumentava fazendo com que eu desejasse experimentar mais e mais homens e ainda hoje é assim. Não costumo fazer muito sexo, pois busco muito a qualidade, o que para mim está bem difícil de se achar aqui na região. Agregado ao fato de que quase não saio, aí piora tudo.
    Ainda tenho planos de me envolver mais profundamente com um cara e ter um romance mais a frente, mas no momento quero curtir a solteirice rs. Vai que ficando com um aqui e outro ali aparece aquele vai fazer meu coração bater mais rápido?

    E quanto ao seu "esfriamento" para o sexo em relação ao passado, é comum, vamos exigindo mais qualidade conforme vamos amadurecendo e aquilo que nos excitava antes pode não mais fazê-lo daqui em diante. Ficamos mais exigentes. Só na parte que você disse sobre (quase todos) adolescentes pegarem qualquer um, achei um pouco exagerado, apesar destes existirem.

    E os gays não se relacionam muito, pois só dizem querer compromisso, mas não fazem de tudo para tê-lo, exigem demais, não têm muita paciência para esperar dar certo e muito dessa vontade as vezes é só carência, ou seja, não tem entrega ao companheiro, é só desejo de satisfazer-se e depois não estar mais afim do cara. O que é muito comum também com nossos colegas héteros.

    ps: essa foto do jebão logo de cara (e ainda na cara) ficou bem engraçada kkkkkkkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kkkkkk concordo com o seu "ps" ri muito tbm

      Excluir
    2. Engraçado que pensei que fosse só comigo isso tudo hahaha

      Excluir
  9. Olha, eu tenho 18 e não passei de sexo oral com 2 meninos, sendo que com 1 pratico isso até hj.. Sou virgem e acho que por opção, mas não sei te explicar o pq. Parece ser algo que não levamos nem em consideração nas nossa relações orais que são até longas. Esse texto me deixou muito pensativo N.B.! rs
    Boa noite.

    ResponderExcluir
  10. Não me sinto atraído por rapazes homossexuais, tenho 20 anos e perdi a minha virgindade em maio com um encontro marcado na internet. Era um enfermeiro lindo, mas não me deixou louco de tesão. Me sinto atraído apenas por heterossexuais, o que é TERRÍVEL! Inclusive eu me masturbo muito assistindo vídeos heterossexuais, não por causa da moça, mas por causa do rapaz (óbvio). Não que eu banque o submisso também, inclusive não sou nada afeminado (sei que não há relação, mas todo mundo mundo imagina uma bicha magrinha que empina a bunda), mas falta alguma coisa no gay... alguma coisa que eu não sei bem explicar o que é. Os casais que eu já vi nunca duram nada, são namoros "superficiais", talvez. Ou, quem sabe, eu que invista em uma causa só, como um relacionamento sério com alguém que eu acredite ser certo para mim.

    ResponderExcluir
  11. eu acho que existe sim essa vivencia da adolescencia na fase adulta, pois nem todos tiveram relaçoes sexuais na adolescencia como eu, eu tinha amiguinhos, vizinhos e me iniciei por volta dos 11 anos até os 14 ou 15 mais ou menos, depois fiquei sem sexo até os 18 quando pelo advento da net comecei a encontrar caras e fazer sexo com eles, mas nunca eram muitos, nao fiz muito sexo na minha vida, sempre me causou um estranhamento o sexo casual e um desconforto tb, depois dos 20 e tantos ja fiquei até 3 anos sem sexo , me acostumei, embora morra de vontade muitas vezes e fique na fissura , mas sou muito seletivo e tem que ter o minimo de intimidade pra poder rolar....

    ResponderExcluir
  12. Realmente galera eh muito dificil um relacionamento gay dura muito tempo,queria saber o pq?
    Minha vida sexual tbm começou tarde foi dps dos 18 e logo perdi a virgindade,cheguei ao ponto de esquecer o tal "principe encantado" pq ele nunca chegava.
    Não me arrependo as vezes faço sexo casual por falta de ter namorado mas eu preciso viver tbm.

    ResponderExcluir
  13. Eu comecei a vida sexual cedo com homens, aos 12 anos e aos 14 com mulheres. Porém gosto de mulheres mas me sinto Atraído por gays que seja passivos. Não, sei por que me excito tanto com mulheres como com gays. Eu teria coragem de casar com um gay se eu gostasse dele. E o mesma forma com mulheres. Apesar de me relacionar mais com mulheres do que com gays. Mas quando não tenho ninguém que sempre aparece um gay eu passo a me relacionar com ele. Abraços até mais galera.

    ResponderExcluir
  14. Hoje tenho 19 anos.

    ResponderExcluir

#HTML10{background:#eee9dd ;}