Google+

sábado, 22 de junho de 2013

Pastor melancia

Alguém chame o SAMU! Estou com um caso gravíssimo de homossexualismo!!!

    Ainda bem que sim. Deve ser uma daquelas doenças que causam mais benefícios do que danos. Tipo aquela mulher com um transtorno que a faz ter orgasmos por mais de hora. Como eu gostaria de estar doente como ela... Mas eu divago.
    Então, meus caros, o deputado infeliz voltou a colocar a melancia no pescoço. Na verdade, apenas apareceu de gaiato, já que o projeto de cura gay não é de autoria dele, e sim de João Campos (PSDB-GO). 
    O deputado Anderson Ferreira (PR-PE) faz uma argumentação em defesa do projeto dizendo:
"Essa resolução cerceia a independência e liberdade dos profissionais e o direito da pessoa de procurar um psicólogo e de receber orientação. É direito do paciente procurar atendimento que satisfaça seus anseios. O projeto de decreto legislativo garante o direito ao homossexual a mudar sua orientação sexual e ser acolhido por um profissional".

        Eu particularmente achei essa argumentação do deputado Anderson Ferreira bastante chata de refutar. Isso porque eu gostaria de ter a liberdade de poder decidir o que usar e ser quando bem entendesse, independente de leis restritivas que existem para, por exemplo, (algumas) drogas, aborto, eutanásia, etc. Cada um sabe o que é melhor para si, e sabe as consequências que suas decisões podem implicar, e me sinto reprimido quando não tenho a condição de exercer essas minhas decisões. Esse raciocínio poderia se estender à mudança de orientação sexual, uma vez que os gays deveriam ter a liberdade de mudar sua orientação caso desejassem. Eu teria a oportunidade de experimentar uma buceta, pelo menos uma vez na vida, e quem sabe depois voltar a ser gay de novo. Isso porque, se a terapia funciona para um lado, por que também não pode funcionar no outro sentido? Esse argumento do deputado só é valido se virar viado for uma liberdade também, o que eu suspeito que não seja. 

    Também, podemos considerar o direito desigual que existe em sociedades mais avançadas, que garante a proteção das classes mais desafortunadas. Delegacias de mulheres, fundações indígenas, leis contra discriminação de raças, estatutos da criança e do idoso, tudo isso tenta colocar essas classes, que estão longe de serem dominantes, em uma zona especial de proteção, pois são vulneráveis ao preconceito e infortúnios que suas condições podem trazer ao longo da vida. Por que isso será diferente com a classe dos homossexuais? Um direito desigual aqui poderia garantir a não existência dessa proposta, uma vez que se aprovada, haveria apenas a conversão para o heterossexualismo. 
    Imagine que, por exemplo, houvesse formas de se tornar um homem, alto, jovem e branco (de preferência louro), o mundo não teria muitas pessoas diferentes desse tipo, pois é o modelo e é perseguido. Da mesma forma, se um suposto tratamento de conformação sexual funcionasse, além de homens brancos, altos e jovens, todos também seriam heterossexuais. 
    Não convém nem falar sobre a ilegitimidade do tratamento de conversão de sexualidade, exatamente porque o órgão máximo da classe no Brasil, que deve entender mais do assunto do que os pastores melancia, já tem sua posição sobre o assunto. Enfim.

    A proposta é obviamente ofensiva e um tapa na cara de toda a comunidade LGBT. É ruim especialmente para a juventude que está construindo a imagem de si, e que pode vir a se identificar como um homossexual que precisa de tratamento. Pior ainda é para os que vivem em famílias onde existe menos receptividade com um filho gay, que podem querer levá-lo a um psicólogo cristão para a retirada da pomba gira. Apenas a existência dessa proposta dá espaço para que surjam considerações de que a sexualidade pode ser moldada e revertida, mas não a é por pressão dos ativistas que não querem abrir mão da sem vergonhice. Esta pode ser uma conclusão deles, que sabemos ser equivocada, mas ainda pode ter um efeito nocivo se difundida. 
    Por outro lado, existem coisas legais acontecendo em torno dessa proposta também, pois a repercussão foi majoritariamente positiva para nós. As pessoas percebem a repressão que essa proposta causa sobre nós, e criam empatia conosco. O que se sente das redes sociais é total repúdio pela cura, e que pode até sair como tiro pela culatra para a bancada evangélica. Eles ficam com a imagem de fundamentalistas e mancham a reputação de toda uma classe de pessoas religiosas que podem, inclusive, estar do nosso lado, mas que carregarão os estigmas trazidos pela associação de evangelismo pentecostal com ignorância, atraso e burrice.

    O deputado Simplício Araújo (PPS - MA), em resposta a esta proposta, disse que "este projeto é a maior perda de tempo que esta casa já teve, e com todo o respeito à comunidade evangélica, vocês não vão entregar o que estão prometendo, pois não existe tratamento ao que não é doença."[...] "Os principais distúrbios que estão prejudicando a instituição família neste país, em nome da qual vocês estão defendendo este projeto, é a corrupção, a cara de pau de alguns políticos, a forma com que a classe politica tem se comportado, e o uso de dinheiro e da estrutura da câmara para debater um projeto que já nasce morto, e isso tem mobilizado milhares de pessoas a ir para as ruas." 
E no ponto mais interessante de seu discurso:
"Senhor presidente, eu quero ao final deste meu discuso, solicitar de VA Excelência mais uma vez, que não acredito que todos aqui estão surdos para o que está acontecendo neste país, neste momento. O país está terminantemente contra atitudes como esta. E aqui, porque vocês tem a maioria da casa, querem passar por cima de quem tem uma opinião que não é a opinião 100% de vocês, e querem votar a toque de caixa este projeto. Este projeto já está aprovado aqui porque vocês tem a maioria." (Video)

    Como disse o Deputado Simplício, esta proposta foi aprovada em votação simbólica apenas pelo motivo de que existe forte influência da bancada evangélica na CDH, que até a polêmica posse do pastor melancia, passava por desapercebida à maioria dos jornais. Por ter sido insignificante até este ponto, a bancada se apoderou dela, pois não era do interesse de ninguém, e soube fazer um circo por ali. 
    Acredito que a próxima rodada de deputados a assumirem os cargos da CDH não será tão escandalosa, dado o tremendo caos e insatisfação que isso tudo tem causado na população. E convenhamos: povo insatisfeito é a última coisa que o governo quer neste momento, e por isto estou esperando alguma intervenção do governo nesta situação. Cristiana Lobo, aquela jornalista da Globo que sou fã, disse que uma comissão que analisa os cartazes das manifestações tem auxiliado o governo no deciframento das insatisfações dos manifestantes, e confesso que existem muitos cartazes contra os pastores melancia. 

    Por fim, esta nobre proposta ainda tem que passar por duas comissões antes de ir para a Câmara dos deputados para votação (Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) e Comissão de Seguridade Social da Câmara). Isso nos dá mais tranquilidade, pois o que aconteceu até agora não tem significado nenhum, além daqueles efeitos colaterais que citei acima (assim espero). Estou confiante que as outras comissões são mais sérias e que a proposta não vai nem chegar à câmara dos deputados. 
    No fim das contas, o Deputado Simplício Araújo, mesmo que não seja militante, se mostrou entendedor de direitos humanos e civilidade, e deve ter total apoio do povo Maranhense no ano que vem. E fica a proposta para já ficarmos de olho nos deputados que estão se mostrando alinhados com as nossas necessidades, e por isso quero propor um grande levantamento para que troquemos recomendações em todos os estados!
#Acorda #gays #vemprarua
Um grande abç
N.B.

27 comentários:

  1. N.B o problema da cura gay é que ela não existe, não se cura a homossexualidade, ela é incurável e sempre fará parte do individuo por mais que ele reprima violentamente.

    Sempre se tentou curar os gays ao longo da história, entretanto nenhuma medida foi eficiente para esse fim, esses tratamentos: aleijavam, matavam as emoções e aumentavam ainda mais a crise no quadro psicológico das pessoas.

    O que será que Alan Turing acha sobre cura gay? Pesquisem

    O papo desse Anderson Ferreira é furadíssimo, A associação de psicologia proíbe a cura porque sabe que ela não funciona e porque a homossexualidade é natural. Depois dessa conclusão eles viram que precisariam usar outros métodos para lidar com a homossexualidade.
    ------------------------------------------------

    Uma lei que criminaliza a Homofobia não é um privilegio visto que o evangélicos e outras religiões são protegidas por leis e são os verdadeiros privilegiados com a isenção do imposto de renda. Nós homossexuais não temos nada disso.

    Acho que você está falando mais de você do que do geral quando você fala que não existiria ninguém diferente se as pessoas pudessem escolher a aparência e a sexualidade, eu por exemplo não escolheria ser heterossexual e nem loiro (apesar de ter uma forte fixação por eles).

    Lembre-se que a beleza está relacionada a gostos subjetivos eu por exemplo gosto de loiros (não só deles), mas já vi muitos falando que preferem pessoas pardas ou morenas. Alguns gostam de depilados outros gostam de pelos.

    A maioria opta por musculosos, mas outros preferem garotos magros ou então gostam do dois.
    Sempre tentaram padronizar o que é considerado belo, porém é impossível fazer isso por mais que você aliene a população.

    Sobre a heterossexualidade posso perguntar a vocês qual a graça dela? A única resposta para isso é: "não sofre preconceito" de resto não há nenhuma vantagem a mais. O andar da carruagem vai gerar uma lei que criminaliza a homossexualidade ai eu quero ver qual é a vantagem que os héteros têm em cima de nós.

    Eu to pouco me lixando para o que um preconceito imbecil que mal lê um livro pensa a respeito de gays, eu não ligo nem para o que ele pensa a respeito de música vou ligar para o que ele pensa acerca de um assunto sério como a sexualidade (não que música não seja sério).

    Os ícones gays que passaram ao longo da história são suficientes para que eu tenha de fato um orgulho pela minha sexualidade e nenhum ciúme e desprezo pelos heterossexuais.

    Orgulho pela visão mais clara que essa condição me deu, talvez se fosse hétero eu estivesse com remelas.
    ------------------------------------------------

    Os homofóbicos caíram um a um e serão vistos e lembrados da mesma forma que hoje vemos a KKK.

    Para quem não acredita, a principal organização de cura gay, Exodus, fechou as portas e se desculpou pelo mal causado aos seus "pacientes", É uma questão de tempo para que isso caia no Brasil também.

    Fiquem ligados a aprovação casamento gay na Inglaterra e no EUA está para breve, a qualquer momento podem ser aprovadas.

    Temos como aliados a ONU, um número cada vez maior da população, a mídia e as multinacionais, nossos inimigos são cada vez mais patéticos e caricatos.

    Finalizo com um link para Eli Vieira falando também sobre isso: https://www.facebook.com/elivieira/posts/10201650475690042

    ResponderExcluir

  2. Nunca vou entender essa militância toda por liberdade absoluta. Não existe isso em uma sociedade. é tanto medo de ditadura, que toda e qualquer regra de conduta relacionada ao ser ou ao falar vira "censura", "totalitarismo", "princípio de ditadura".

    Não, não se pode falar mal de toda uma categoria, caracterizando-a como "amaldiçoada", "pecadora", "imoral" ou derivados por causa do direito do outro de não ser discriminado, Ponto.

    Não se pode invocar o direito a opinião a qualquer custo, sem ter o bom senso de se informar sobre a realidade dos fatos antes. Se baseando em evidencias e lógica.


    Esse pessoal não se senta e argumenta. Eles incitam massas e citam textos que não são evidencia de nada. Desonestidade pura e simples.


    Sabe quem costuma gostar de acreditar em coisas sem provas e gostaria de poder fazer o que quisesse? Crianças. Parece que a maioria dos adultos tem muito de criança dentro de si. É o emocional falando, não o bom senso ou a civilidade.


    Existe um "espectro", um "grafico". Em uma ponta temos a censura total, onde não se pode argumentar ou disseminar nenhuma idéia que não seja aquela única vigente. Onde não se pode nem perguntar para entender o motivo da idéia vigente. Na outra ponta a liberdade total, a liberdade não de expressão, mas de ofensa e perseguição.

    Ambos os extremos são ruins. Uma sociedade civilizada não funciona assim.


    Desculpem o desabafo, mas liberdade de acreditar em algo sem provas e usar isso para diminuir direitos de certas categorias? De discriminar? De invadir o espaço do outro? Besteira. Liberdade de expressão é bom, mas com critérios.

    ResponderExcluir
  3. Para além de toda a questão científica, o melhor comentário eu ouvi no programa da Fátima Bernardes um dia desses, inclusive foi ela própria que disse que não consegue entender, em um momento em que se discute as questões maiores do país, alguém parar e defender/discutir/votar um projeto de que trata das questões de foro íntimo do cidadão.

    O Pastor Melancia deu a maior prova de descompasso e despreparo para a vida política que ele um dia achavou que tinha.

    Um grande abraço!

    ResponderExcluir
  4. sabe o que mais me preocupa com essa coisa da cura: o nosso governo federal está legislando sobre a ciência, está dizendo o que a psicologia deve afirmar sobre suas próprias regras, sendo assim, se abre um precedente para se proibir a divulgação do evolucionismo, por ex, na biologia, ou proibir as pesquisas sobre pré-história ou mesmo pesquisas espaciais, relacionadas ao código genético e a células-tronco, o projeto de cura gay toca o código de funcionamento de uma ciência e abre um precendente que para mim é deveras assustador...

    ResponderExcluir
  5. Todo mundo já tá careca de saber que homossexualidade não é doença e que, portanto, não é passível de tratamento (excetuando-se o caso daqueles que ainda se encontram em processo de aceitação da própria sexualidade, onde a ajuda de um acompanhamento profissional pode ser útil, mas para a compreensão e nunca para tentativas de reversão da orientação sexual).

    Como estudante de psicologia, tal projeto apresenta-se como uma verdadeira afronta à autonomia da ciência e profissão de que faço parte. Primeiramente, porque ninguém pode dizer melhor o que a psicologia deve fazer com suas técnicas do que o próprio conselho da profissão. Em segundo, porque se hoje a ciência não considera a homossexualidade como doença é porque se verificou que ela não traz nenhum prejuízo à vida do indivíduo, além daquele que advêm do preconceito.

    Por fim, em resposta aqueles argumentos dos defensores do projeto que dizem que a resolução do CFP impede as pessoas que apresentam uma orientação sexual "egodistônica" (Não sei de que diabos de teoria psicológica eles retiraram esse termo!) de procurar tratamento: A psicologia não faz restrições em termos de prestação de serviços para aqueles que procuram acompanhamento psicológico, mas sim restringe a "patologização" e a falsa promessa de tratamento para uma cracterística tão natural do indivíduo...

    ResponderExcluir
  6. Apoiado.
    Adorei a ideia da reversão da heterossexualidade. Vou mandar um email para o Jean Wyllys iniciar esse projeto.
    Tenho de fontes seguras que é assustador o número de pessoas que chega nos consultórios psicológicos falando não saber o que fazer com esses "sentimentos" e, petrificados pelo medo inicial, pedem, em primeira instância, ajuda para se livrar disso. Pesquisas apontam o aumento mais que significativo de casos de depressão em pessoas que tentam se "reverter". O índice de suicídio também!
    É mole? Os caras não entendem. Tem que ser duro. rsrs
    Não podia perder o trocadilho.

    Abs

    ResponderExcluir
  7. http://25mgdeamytril.blogspot.com.br/

    Eu comecei a desejar mulheres aos 25 anos.
    Não estou dizendo que existe cura gay.
    Até porque homens me atraem, só que eram somente eles antes*, e agora mulheres, também.
    Recomendo a irem a uma praia e verão o que lhes atraem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então, nunca fui a praia. Mas aqui em BH já fui em clube. Mulheres me chamam atenção sim, com certeza. Mas a única vez que tive que me controlar foi com homem.

      Excluir
    2. Pois vá praia.
      Em 28 de abril deste ano, fui à praia e olhei pra duas mulheres como nunca havia visto na vida.
      Virei o pescoço até pra trás.
      Enfim, visite uma praia.

      Excluir
    3. Isso não te torna Bi, Édipo?

      Novamente, a pessoa é o que é, seja hetero, gay ou bi. Sem contar as várias escalas de bi que existem por aí.

      Excluir
    4. Pensei a mesma coisa em relação ao Édipo. Eu não preciso ir para praia eu já vi mulheres lindíssimas, mas que não me causam absolutamente nada. E também tem o fato de eu não ter muita vontade de ser heterossexual.

      Excluir
    5. Não estou dizendo pra ninguém ir à praia, se estão seguros e felizes do que são, não há necessidade.
      Falo aos inseguros e que ainda não se entendem, como eu ainda sou.
      Só estou relatando uma experiência pessoal.
      E acreditem, não estou mentindo.
      Foi a primeira vez que fui à praia e senti desejo por uma mulher. Como já disse, fui à praia inúmeras vezes e não havia sentido isso antes.
      Não estou falando de beleza, mas de desejo.
      Se estou parecendo um pastor evangélico que prega a cura, me desculpem. Sou ateu.
      Enfim, só queria apenas comentar.
      Não quero gerar polêmicas, longe disso.
      Mas, como já falei que escrevo por causa dos inseguros e confusos, se quiseram adicionar no email: markinhos017@hotmail.com
      Aos que já se entendem, são esclarecidos, seguros de si e felizes consigo.
      Se quiserem podem desconsiderar meus comentários.

      Excluir
    6. Fica tranquilo, Édipo, nós só estávamos fazendo um pequena observação. Acho que você está certo, as pessoas devem realmente buscar saber sobre o que gostam quando não sabem do que gostam.

      Acho que não é meu caso até fiz algumas tentativas de tentar sentir algum desejo pelo sexo oposto, mas não rolou nada.

      Desejo-lhe felicidade.

      Excluir
    7. E quero deixar claro, que não são apenas essas as mudanças que estão ocorrendo comigo: existem outras que estão acontecendo, e que ainda busco explicações e acredite elas estão no passado, como por exemplo percepção pela visão do mundo exterior de uma forma como nunca tive (incluindo aí a sexualidade).
      Acho que tem a ver com desenvolvimento humano, que estava retardado e que agora encontra campo fértil. Enfim, obrigado por entenderem meu ponto de vista.
      Felicidades aos leitores deste blog.

      Excluir
  8. O que posso dizer sobre esse assunto? Sabe quando você disse que isso faria com que as famílias cristãs fossem levar seus filhos a psicólogos cristãos para que esses os curassem? Ainda não fui a psicólogo nenhum, até porque estou no armário, mas o que eu tenho vontade de fazer é exatamente isso. Só como observação, estou num armário dentro de outros três, então isso seria iniciativa somente da minha parte e de ninguém mais (acho).

    Sempre tive medo de ir procurar "ajuda médica" e o doutor destruir todas as barreiras que criei contra minha sexualidade e me fizesse gay. Sei que isso é um absurdo pra muitos, mas a ideia de estar sendo influenciado, de estar sendo manipulado, sempre me fez ter arrepios. Acredito que seja uma supervalorizaçao das minhas ideias: praticamente sempre eu faço uma triagem do que escuto, avaliando cada coisa com meus princípios e alterando estes quando necessário (muito raro).

    Já me cerquei tanto do mundo gay que agora não sei mais nem se era só uma confusão minha, se eu fiz de um medo um vício, ou sei lá. Talvez seja minha idade (tenho quase 20, desde os 16 que eu tento saber o que se passa comigo).

    A cura gay talvez me fizesse ir a um psicólogo pra pedir ajuda, pra me curar desse mal que me atormenta. Com certeza eu chegaria totalmente tímido, ou melhor, tentando esconder a toda custa o que eu sinto. Já fiz isso uma vez, mas tentei ao máximo não esconder nada da pessoa com quem eu falava. Minha conclusão é que só daria certo em um tratamento. Procurar a cura gay seria ótimo pra mim, pois por mais que o médico tentasse, provavelmente o que eu iria conseguir é só me entender melhor.

    Acho que ficou confuso, mas é isso que eu penso. Não estou defendendo o projeto de lei, até porque acho que ele nem passa. Mas caso isso aconteça, estou praticamente seguro que de fato o tiro vai sair pela culatra.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. me add: https://plus.google.com/u/0/108596273366274828777/posts

      Excluir
    2. Independentemente deste projeto de lei absurdo ou da possibilidade de uma falsa "cura gay" , os profissionais vão estar lá pra auxiliá-lo a se sentir confortável consigo mesmo.

      O que mais me enoja é saber que esses legisladores oportunistas estão usando esse argumento ( motivar pessoas confusas a buscarem informação ) para fomentar mais preconceito.

      Excluir
    3. Não preciso de auxílio.
      Preciso de respostas a alguns porquês.
      E como é ótimo elas saírem de vc mesmo.
      E como é ótimo saber que vc está disposto a amar qualquer ser humano.
      Nem mastercard, visa, hipercard, american express, diners club juntos pagam isso.
      Aliás, pra que dinheiro?

      Excluir
    4. Eu também tive a mesma sensação quando eu descobri que de fato eu já havia nascido homossexual e que a minha tentativa de me encaixar na bissexualidade era nociva a mim mesmo. Eu fiquei tão relaxado, diferente de muitos que ficam aterrorizados.

      Excluir
    5. O que me assusta não é, de vez em quando achar uma mulher gostosa, ou de saber que todas elas mexem no cabelo quando um homem as interessa ou de que o som mais bonito pra elas é serem lembradas pelo nome (exatamente com está na grafia).
      Só acho novo tudo isso.
      O que ainda me espanta é saber que posso amar garotos, como se amasse a mim mesmo.

      Excluir
  9. Existem dois aspectos que me assustam muito nesse projeto.

    O primeiro deles, é que não há nenhum tipo de consenso na literatura científica sobre como realizar essa "cura". Sem a orientação de instituições sérias,qualquer tipo de curandeirismo barato é válido... E essas tentativas de reorientação têm um histórico desastroso. Já foi provado que além de serem ineficazes, elas causam diversos transtornos ao paciente (há documentos da Organização Mundial de Saúde e da Associação Americana de Psiquiatria que repudiam essa suposta cura justamente por isso).

    O segundo aspecto, tem a ver com o que diz o Art. 4º da resolução do Conselho Federal de Psicologia que o projeto pretende abolir:

    " Os psicólogos não se pronunciarão, nem participarão de
    pronunciamentos públicos, nos meios de comunicação de massa, de modo a reforçar os preconceitos sociais existentes em relação aos homossexuais como portadores de qualquer desordem psíquica."

    Por que alguém preocupado com o bem-estar dos pacientes gostaria de reforçar qualquer preconceito em relação aos homossexuais? Estranho, não?

    O que eu consigo interpretar disso tudo, é que pretende-se criar uma doença pra em seguida oferecer a cura. O projeto parece apenas a tentativa de criação de um novo ramo comercial, disfarçado de defesa à liberdade profissional e de preocupação com o sofrimento dos gays que não se aceitam. O mais interessante disso tudo é que psicólogos sérios (Malafaia e Marisa Lobo não contam, ok?), inclusive o próprio CFP se posicionam contra o projeto...

    ResponderExcluir
  10. Sou de BH também. Igualmente no armário. Estou fascinado com seu blog, com a sua inteligência, com a sua boa escrita e, enfim, com você. Muito interessante ver alguém que se sente como eu. Sou um aluno de Direito e penso que esse seu engajamento é admirável. Como eu gostaria de te conhecer! Hahaha ;) abraços

    ResponderExcluir
  11. Esta lei não tem embasamento científico algum, haja vista que é cediço que a homossexualidade não é uma enfermidade. Logo, a meu ver, qualquer profissional que oferte a "cura gay" como tratamento, incide no crime de charlatanismo, previsto no Art. 284 do Código Penal, pena: detenção de 6 meses a dois anos.

    ResponderExcluir
  12. "Pássaros criados em gaiola acreditam que voar é uma doença."

    A gente tem mais é que ser livre pra ser feliz... No final das contas é só isso que a gente leva mesmo uai...

    ResponderExcluir
  13. Para os que duvidam da cura:

    http://instagram.com/p/bFMG8YCc6J/#

    Falando sério agora, é terrível imaginar profissionais oferecendo uma mudança de orientação sexual que não existe. Mesmo que eles achem que encontraram alguma forma de fazer isso, a história mostra que isso causa mais mal do que bem. Imagina quantas pessoas estariam sendo/já foram "mutiladas sexualmente" tendo seus direitos à felicidade reprimidos por conta de uma ignorância e, muito possivelmente, uma desonestidade sobre-humana?

    Ver a CDHM gerando projetos que reforçam o preconceito contra uma minoria mostra como a política no Brasil não tem seriedade alguma. Não existe uma preocupação real com a melhoria do país, só com troca de favores (que foi como o Feliciano foi parar na presidência da Comissão, não por seus méritos na luta contra preconceitos ou a favor das minorias).

    Agora, cura contra corrupção ninguém fala nada, né?

    ResponderExcluir
  14. Eu entendo o Feliciano!
    Ele tem olhos cor de mel (igual ao do garoto que vi aos 12 anos - meu primeiro amor platônico) !
    Ele apenas está se auto-protegendo dos políticos viados!!

    ResponderExcluir

#HTML10{background:#eee9dd ;}