Google+

domingo, 24 de março de 2013

Não quero ser gay

    Mentira, claro que eu quero. Ser gay tem seu lado bom quando se sabe aproveitar, apesar de toda a turbulência inicial. Mas o título deste texto não é apenas sensacionalismo, pois algumas coisas me chocaram nos últimos dias:
(1) o preço dos ovos de páscoa;
(2) o pastor presidente da Comissão de Direitos Humanos, sentado na bancada da presidência ao lado da figura engraçadíssima de Jair Bolsonaro. Coisa de país sério, claro;
(4) o ibope que a eleição do papa deu. Até eu que sou mais relapso assisti com curiosidade e gostei, pois acho poderia ter sido ser pior. Não tem nada de novo sobre temas polêmicos, de nosso interesse, e ainda assim os católicos mais conservadores estão arrancando os cabelos com esse papa supostamente mais liberal;
(3) o maior choque fica com a quantidade infinita de homens e mulheres que tem se manifestado em um site de reversão de sexualidade através da fé, relatando suas dificuldades na luta contra o mal perverso do homossexualismo. Surpreendentemente, muitos comentários ali também relatam a vitória em cristo, se auto-proclamam ex-homossexuais, mas que recorrentemente, se pegam lutando desesperadamente contra o desejo proibido, seja quando estão sozinhos na frente do pc tentados a ver pornografia de anões gays, ou quando veem algum cara mais bonitinho. Sente o drama!

"Vi esse blog e fiquei muito feliz em saber que tem outras pessoas que, assim como eu, ainda travam essa luta constante, e por isso gostaria de pedir ajuda ao criador do blog para tentarmos entrar em contato com a Associação dos Médicos Católicos da Alemanha para nos informar a respeito do tratamento que eles dizem estar realizando com as pessoas que querem deixar de ser homossexuais. Dizem ser um tratamento baseado não apenas na religião e na psicologia, mas um tratamento mais concreto: “TRATAMENTOS HOMEOPÁTICOS... COM DILUIÇÕES, POR EXEMPLO, DA CHAMADA PLATINA, A PSICOTERAPIA E O ACONSELHAMENTO ESPIRITUAL”. Por favor, me ajude, antes que eu perca minha família (sou casado e tenho uma filha) ou acabe me matando de tanto sofrimento. Faço qualquer loucura pra me livrar de vez dessa doença maldita. Abraço a todos e força nessa luta que não é nada fácil."

"Eu sou um futuro ex-homossexual, pois TENHO CERTEZA de que Cristo vai me ajudar nesta dura batalha contra a homossexualidade, tenho certeza que EU e CRISTO vamos vencer esta batalha, é difícil, mas com muita fé e confiança em Deus, eu posso qualquer coisa! Amém!"

"Nessa noite que passou aconteceu algo que eu fiquei muito triste, eu acordei como se estivesse me masturbado, mas não fiz, fiquei desse jeito pelo sonho homossexual que tive, o que me frustra é que em sonho eu não tenho o total controle e as vezes não consigo evitar e acaba acontecendo. Quando isso acontece, eu geralmente tenho um dia horrível só consigo me sentir como mal durante o dia inteiro, e hoje eu estou assim, estou um pouco baleado. Acabei de sentir vontade de praticar o pecado novamente mas não o fiz, as vezes para evitar me masturbo com pornografia heterossexual ou lésbicas não sei se é certo, mas pelo menos não me sinto tão culpado e não fico triste, foi uma válvula escape q eu encontrei, mas gostaria de nem ao menos me masturbar e me guardar para minha futura esposa."

    Depois do que relatei no último texto, e devido aos acontecimentos no circo de nome Brasília, dá vontade de desanimar mesmo. Ou pedir asilo político (se ainda não existir asilo sexual) em algum país mais liberal. Quiçá começar a estocar viagra e pinga, e casar com uma dessas mulheres, as quais jesus ama, mas ninguém as come.
    Apesar das coisas que me chocam, e apesar do início enganoso do texto, este texto não é sobre as angústias de viver a homossexualidade. Isso porque o que se vê nos inúmeros blogs de jovens gays são comportamentos e pensamentos extremamente auto-destrutivos, textos depressivos, revolta com o mundo e relatos da dor e da solidão que é viver sendo o que se é.
    É interessante, porém, como lá fora, na escola e no trabalho, não se vê os deprimidos que tem inundado a internet. Isso poderia nos levar a pensar que o índice de pessoas deprimidas que usam máscaras no mundo offline pode ser absurdamente alto. Como não são todas as pessoas que tem blogs para deixar seus pensamentos fluírem, se tivessem, talvez estariam ali expondo suas angústias também. Estaríamos vivendo uma epidemia de depressão, ou será que sempre estivemos em epidemia, e essa percepção da depressão generalizada só é possível graças ao compartilhamento anônimo que a internet permite? Talvez, no fundo, todos temos que usar aquela máscara de feliz, e quando se está em casa, na intimidade da cadeira do pc, as nossas angústias acham um escape. É tão difícil imaginar que aquele cara que passa o dia sorrindo e rodeado de pessoas tenha alguma crise dessas, mas quem somos nós para saber se aquilo tudo demanda muito esforço dele para sorrir e ser agradável. 
    Tem uma coisa legal que eu ouvi há um tempo na aula de sociologia que somos obrigados a assistir para humanizar o engenheiro. Durkheim (um sociólogo) escreveu um livro sobre o suicídio no qual disse que se o cara pertence demais à sociedade, ou se ele não consegue achar seu lugar ali, suas chances de suicídio são mais elevadas. No caso do cara que não acha seu lugar, é intuitivo entender o porquê. Mas o que pertence demais, às vezes pode se sentir pressionado e vigiado, como se cada deslize fosse um fracasso visto ao mundo, e como se fosse cobrado demais para continuar a responder expectativas, etc etc. Por isso que, antes de dizer que a vida do cara hétero popular é muito boa, temos que nos colocar no lugar dele e imaginar que ser assim também pode demandar muito esforço, paciência e trazer algum tipo de pressão, e que ele pode ter crises na intimidade do seu ser.
    Sabem, senhores, ser otimista é difícil e desgastante demais, e é muito mais fácil falar do que estar em sua pele, sentindo suas angústias que justificam o sentimento de impotência diante das circunstâncias, muitas delas relacionadas ao fato de se sentir atraído pelo mesmo sexo. Podemos pensar que é exatamente isso que nos traz solidão e sofrimento. Olhando com mais cuidado, porém, são variáveis demais para culpar exclusivamente a sexualidade pela solidão. Mas eu divago.
    Ser otimista é o exercício de viver, pois nada de bom na vida vem sem trabalho e esforço, e o desânimo que nos bate às vezes é o reflexo do cansaço em ser otimista, exemplificado pelos gays enrustidos dos comentários acima. Lendo estes e muitos outros comentários, eu, particularmente, fiquei dividido entre compaixão e os risos. Compaixão porque talvez eles sofram mais do que nós por problemas comuns a todos os gays, como o medo da rejeição, as piadas, etc, mas principalmente, e diferentemente de nós, por não estarem satisfeitos consigo e tentarem, de todas as formas, evitar os sentimentos "impuros". Risos porque eu sou mau, mesmo, pois querer mudar isso é muita inocência. 
    Não vou dizer que agir dessa forma e tentar mudar os tratá tristeza, ou que eles serão infelizes para sempre, ou que vão ser frustrados sexualmente e não vão viver suas vidas. Claro que não, porque isso é leviano. Vou explicar.
    Cada vez mais me convenço de que a atração pelo mesmo sexo é universal, podendo conviver com a atração pelo sexo oposto em diferentes níveis. O que estes caras estão fazendo é tentar se ajustar ao que é esperado deles perante as pessoas próximas. Isso traz sofrimento pela constante supressão dos desejos, mas também traz uma certa satisfação pelo sentimento de pertencimento, que pode ou não pesar mais que a angústia da negação e anulá-la. Do nosso lado, fazemos o contrário: abraçamos os nossos desejos e isso compromete o nosso sentimento de pertencimento perante nossos próximos. Se ter experiências gays é melhor ou pior do que suprimir esses sentimentos e tentar levar uma vida de hétero, só a vida dirá.
    De qualquer forma, a sexualidade não pode justificar a rejeição de alguém perante seus próximos. Porém, dadas as circunstâncias de preconceito e críticas ao relacionamento gay, a decisão de seguir vivendo como hétero que rejeita seus desejos homossexuais é compreensível, mas buscar pelo fim desses desejos é perda de tempo, ainda mais se baseando em espiritualidade para isso. Uma paulada na cabeça teria mais chance de funcionar. Talvez a pior parte em brincar de ser hétero é que isso não contribui para nenhuma mudança mais drástica no cenário da sexualidade no país. 
    Também, é claro que podemos chegar lá na frente e perceber que fizemos uma escolha errada, como por exemplo, o cara casado do comentário acima, que não parece muito recompensado pela sua decisão em ter se casado.
    Este blog, a internet e infinitas campanhas de conscientização estão aí para quem quiser conhecer mais sobre sexualidade, e assim chegar à conclusão de que esses desejos nunca vão passar, são comuns e são naturais, pois são inerentes a todos humanos.
    Mas isso tudo não é motivo para deixarmos de ser otimistas, pois a tendência do nível de informação das pessoas é sempre melhorar, e o processamento das informações leva à questionamentos e a consequente ruptura do tradicional.
    Sabem, senhores, acho que a gente tem muita sorte por sermos gays e esclarecidos o suficiente para termos consciência de que isto tudo é normal, e por sabermos tomar nossas decisões de forma mais confiável do que esperar por um milagre. Pelo menos tivemos tempo de chegar a essa conclusão, e temos a chance de estarmos em paz conosco e vivermos mais leves, enquanto o pessoal do "não quero ser gay" vai continuar dando soco em ponta de faca. Estar em paz consigo já é motivo para ser otimista, e pensar que amanhã, quem sabe, de leve na academia, conheceremos o nosso marido que tanto esperamos.
    Temos motivos para sermos otimistas porque, mesmo que o pastor esteja na presidência da comissão, ele enfrenta mais e mais dificuldade em se manter onde está. O governo, inclusive, está preocupado com o tamanho do erro político que cometeu. Quantas manifestações em favor dos direitos humanos e homossexuais estão acontecendo! Sejamos otimistas porque temos representantes ativos (e passivos) no circo também! Dá até vontade de curtir Jean Wyllys (com dois éles e dois ípsilons mesmo?) no Facebook.
    Ou otimistas porque o papa chegou abalando os católicos conservadores, e por mínima que seja, é uma mudança! Otimistas porque, mesmo que os ovos de páscoa estejam absurdamente caros, ainda podemos comprar uma caixa de bombons, que é chocolate também!
    E por fim, sejamos otimistas porque mesmo quando não parece, podemos achar a beleza da vida em todos os lugares, e também porque ser otimista nos faz viver melhor, e viver mais!
Um bom fds e um grande abç
N.B.

43 comentários:

  1. Gus-Recife

    Cá estou, tentando ser mais otimista num sábado de madrugada, perdendo AQUELA festa que vai bombar e o cara que vc quer estará nela... Tá, mas a vida é linda e eu podia estar na festa e vendo ele beijando outro agora. Melhor estar em casa.
    HAHAHA

    Eu posso assumir que tb senti vontade de rir num dos trechos de depoimentos do texto??!

    "Eu sou um futuro ex-homossexual, pois TENHO CERTEZA de que Cristo vai me ajudar nesta dura batalha contra a homossexualidade"

    Se eu estiver sendo sádico por rir do sofrimento alheio, perdão. Mas não pude evitar.

    Se estar meio que no armário já nos deixa um tanto sufocados, imagina ter que fingir pra seus filhos, e atuar pra sua esposa e seus pais, amigos... aff, que cansativo.
    Claro que as pressões da sociedade existem, mas se você já se aceitar, ou entender que seus desejos não irão passar .. as coisas podem andar com mais calma.
    E sim... sejamos mais positivos. Afinal, não vai adiantar nada ficar chorando pelos cantos... Você só vai ter que antecipar aquela aplicação de toxina butolínica do futuro. HAHAHHAHAHAHA
    Vamos nos aceitar, e ser felizes na medida do possível!!!
    E sim... ovos de páscoa estão um absurdo de caros, e eu, solteiro, terei que me auto- presentear com um, e ser mais feliz com chocolate!

    rs

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gus, amigo lindo.
      Tava na mesma situação que eu quando publiquei o texto, renunciando à possibilidade de ver um marido em potencial ficando com outra pessoa. Ou comigo, sei lá.
      Mas é bola pra frente, cabeça pro lado e corpinho pro outro =p
      grande abç!!!1!

      Excluir

  2. Um texto que começa mostrando motivos para que se perca todas as esperanças e termina com um dos mais tremendamente inspiradores discursos.


    C'mon! Desse jeito não vai dar. Vou ter mesmo que te pedir um autógrafo?

    Aí está um cara para ajudar a menter a força!


    Sério cara, voce escreve bem demais.





    Rapidinhas:


    - Se já é dificil ter que lidar apenas com o julgamento "deles", imagina a dor de ter acreditado no discurso deles? De realmente se sentir "impuro" ou "indigno"? Me arrisco aqui a afirmar que esse pessoal que procura se curar sofre mais.



    - Um pequeno problema derivado dessa mesma parcela: Desunião.

    Eles, os conservadores/religiosos convictos são unidos e formam uma grande massa que pensa igual e de forma coordenada. Assim até chegam com força na política.

    As minorias costumam ser divididas demais. Falta coordenação, trabalho em equipe, postura bem definida. Não basta alguns terem a mente afiada.



    - "Quiçá começar a estocar viagra e pinga, e casar com uma dessas mulheres, as quais jesus ama, mas ninguém as come."

    Não deu para não rir com essa!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É razoável dizer que eles sofrem mais. Mas imagine, não dizem que para ser feliz vc precisa de uma certa dose de ignorância? Acho que ali tem transbordando... Só outra possibilidade, pq é mto fácil chamar os outros de ignorantes hoihoihoih

      Shamon, onde quer o autógrafo?
      abç

      Excluir

    2. Nunca acreditei nesse papo. Talvez seja mais um mecanismo de controle social. Sabe, algo como "Voce está fazendo perguntas demais. Não sabe que será mais feliz se continuar ignorante?"

      Bom, na pratica, os que ignoram quantidades massivas de informação e/ou reflexão mal sabem porque fazem o que fazem ou porque as coisas não dão certo.

      Sem entender a "maquina", não se tem chances de sair da espiral de infelicidade.


      Felizes os que, apesar das tristezas e dores sabem para onde estão indo, o que querem e como driblar as circunstancias, externas ou internas (psicologicas).





      Quanto ao autografo, como não moramos na mesma cidade, pode assinar um rubrica estilosa em algum papel, scannear e postar no blog.

      Eu imprimo. ^^

      Excluir
    3. http://sphotos-a.ak.fbcdn.net/hphotos-ak-ash3/166711_444026795681328_389540024_n.jpg

      Excluir
    4. =)


      Obrigado, ficou ótimo!

      Excluir
  3. Um texto que fala sobre mim!!!

    Não sei se vou colocar fogo na lenha, mas uma das coisas que mais me faz pensar é que sendo gay numa relação gay é impossível ter um filho de mesmo sangue que eu.

    Aí vem o que vc falou: o principal conflito de quem passa por isso (ou pelo menos eu) é o conflito Individuo x Sociedade (não sei se é o nome certo aqui, mas enfim).

    Muito bom texto, realmente um autógrafo cairia bem :)
    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na verdade é possível!
      Tem muita mulher ai doida pra arranjar uma grana pra gerar seu filho =p Você pode até catalogar. Tipo banco de esperma, só que ao contrário.
      Onde vc quer o autógrafo? Fala que eu assino.
      Abç! =p

      Excluir
  4. Pois é, eu o nível de Pollyana no meu sangue é alto e eu sou Otimista de plantão! Confesso que fico muito triste quando leio coisas como os depoimentos que você postou, para além do engraçado da situação, há também sempre algo que me chama a atenção.

    O sofrimento que essa pessoa passa, e nesse sentido temos muita sorte mesmo, por sermos esclarecidos e por ter tido a coragem de buscar aquilo que nos faz feliz. Se não tá facil para nos, imagina para alguém que precisa e é responsável por mais pessoas.

    Pensa o desespero e o sentimento de culpa que o cara deve sentir por ter uma familia e compartilhar o profundo desejo de ir embora, sem quebrar esse quadro que ele criou...

    Duro pensar que esses caras vão ficar a merce desses babacas religiosos...

    No mais... o importante é continuar caminhando... e vamos que vamos!

    Abração!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você citou outro ponto que pode nos levar a ter mais compaixão por eles! Como no caso do cara casado, ele é responsável por mais pessoas, é a referência dos filhos, base de um lar, etc etc. Por um momento achei razoável aquele discurso de que o homossexualismo é uma ameaça à família, mas já passou =p
      Abç Latex, obrigado pelo comentário!

      Excluir
    2. Eu entendo mais ou menos o que eles passam...
      Tipo, eu sou daqueles que adiantam sofrimento. A coisa só vai acontecer daqui um ano, tipo uma matéria difícil, e eu já fico estressado por conta disso...

      Mas enfim, meu caso: fui na igreja, disse que estava pensando "que eu era gay", mas que não sabia o que a religião pensava sobre isso. Resultado: "Não, essas coisas não são certas, não vai por este caminho. O seu futuro é ao lado de uma mulher para formar uma família com seus filhos!"

      Sempre que eu falo isso o pessoal acha que é absurdo. Porém, contudo e todavia todas as vezes que segui seus conselhos (não da pessoa, mas da religião) eu me "dei bem", quero dizer, depois que tudo aconteceu eu descobri que fiz o certo em confiar no que me fora dito.
      Pobrema é que ainda to no meio do processo, meio a meio, que balanga a balança de um lado pro outro constantemente.

      É como se uma vez homossexual eu deixasse de dar o direito à vida a algumas pessoas, direito esse que eu, pessoalmente, valorizo muito, bastante, enormemente.

      Não sei se estou exagerando, não sei o quão doido eu sou. Só sei que esse, por hora, esse sou eu.

      Excluir

    3. Douglas, às vezes uma fonte de conselhos ou "sabedoria" acerta muitas vezes por sorte. Porque as questões com as quais voce lidava se enquadravam naquilo que a tal fonte (pode ser pessoa, instituição...) poderia ajudar.

      Mas é muito dificil que toda a orientação que voce vá precisar na vida só possa vir do mesmo lugar.

      Tente obter conhecimento, opiniões e informações de varios lugares. Construa a sua propria visão com base em sua propria experiencia. Desconfie, reflita e conheça a si mesmo.

      Assim, voce acabara se tornando o seu proprio guia.




      Seriam vidas em potencial tão importantes quanto aquelas que já existem, que tem experiencias, vontade propria, uma história?

      Talvez essas vidas em potencial não passem de idéias, enquanto não são concebidas biologicamente. Não estão realmente sendo mortas ou danificadas se voce for gay.

      Pense nisso. Esse pode ser um peso imaginário.

      Excluir
    4. :)
      To tentando, mas castelos não são construídos de um dia para o outro, não?

      Vou caminhando devagarinho para que, quando chegar em alguma parada, eu já tenha certeza de onde estou e para eu quero ir.

      Valeu as dicas!!!

      Excluir
    5. Com certeza! Voce está certo.


      Mas é isso aí, voce está tentando, caminhando, de um jeito ou de outro. É o que importa.


      =)

      Excluir
  5. Nabu, vc demorou muito para voltar. Não faz mais isto. Gosto daqui e quando vc não vem me sinto só.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não entendi mas desculpa se feri seus sentimentos, senhor anônimo.
      Um abç!

      Excluir
  6. N.B tu apareces sempre com temas que estão a afetar a minha semana. Não sei se é coincidência mas acontece. Já ouvi falar desses tratamentos mas nem dei importância, contudo é triste ver pessoas que acham que esses "tratamentos" vão resultar. Já desisti da vida de hétero que só me traz mais problemas, vou tentar viver mais a minha vida e ser otimista.

    Continua o optimo trabalho no blog que com toda a sinceridade é o meu favorito.

    Miguel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Miguelito, na verdade eu tenho meus meios para saber o que anda passando contigo =p
      Obrigado pelas palavras!
      abç

      Excluir
  7. Primeiro quero parabenizar o texto, muito bem elaborado cara vc com certeza tem um dom pra escrever e segundo eu concordo com a parte fala sobre do momento em que nós nos aceitamos ou temos noção do que queremos tudo fica mais tranquilo, isso é certo e fico muito triste em vê como essa sociedade machista e conservadora impõem as suas regras que acabam machucando muitas pessoas que são diferentes em todos os sentidos.

    abraço.

    ResponderExcluir
  8. Só me batem dois pensamentos:

    - Gays ateus buscam Jesus pra conversão?

    - Por que o demônio/capeta/whatever só encarna em pessoas alienadas das igrejas "caça-papel moeda"?

    Ok, duas perguntas um tanto quanto aleatórias e imbecis, mas as pessoas estão procurando ajuda no lugar errado. Psicólogos e psiquiatras não fundamentalistas estão aí para isso.

    Amigos também estão por aí. Se alguém vier me pedir para ajudá-lo a curar seu "homossexualismo", a minha mão está aqui sempre amiga para enfiá-la na cara dele.

    Brincadeiras à parte, as pessoas estão perdendo a "fé" nelas mesmas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Creio que o princípio básico para a reversão é a crença em jesus cristo, por isso a técnica não funcionaria em ateus.
      .
      .
      .
      Brinks. =p

      Excluir
    2. Não funcionaria em crentes também, by the way...

      Excluir
    3. Obrigado por esclarecer! =)
      abç

      Excluir
  9. Esses relatos me fez lembrar ao filme nunca fui santa é uma comédia onde os personagens todos homossexais são levados para um abrigo para aprenderem a serem heterossexuais. Só posso ter pena dessas espero que vejam a tempo a grande merda que estão fazendo das suas vidas. Ass: Carlos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. http://www.youtube.com/watch?v=KhdCFeR1KUw
      Este, provavelmente!
      Parece ótimo, vou procurar assistir =)
      Abç

      Excluir
  10. Bernardo
    Ahh puta que pariu maluco! Como alguém consegue escrever tão bem? hahahahaha Se tu vier pro Rio um dia, tu vai se amarrar. Preciso bater um papo com vc, namoral mano. Combina comigo que te levo pra fumar e a gente fica doidão! Abraçãoo!

    ResponderExcluir
  11. Não tenho muito a dizer sobre o assunto, mas julgo que o vídeo abaixo poderia ser de grande valia a muitos!

    http://www.youtube.com/watch?v=t11JYaJcpxg&list=UUEWHPFNilsT0IfQfutVzsag&index=2

    Abraço!

    ResponderExcluir
  12. pois não desanime não, seu blog, o meu, e vários outros ajudam essas pessoas quando elas estão desesperadas, se essas que encontraram a igreja antes tivessem encontrado com vc ou comigo antes poderiamos ter ajudado e muito...

    vc fez engenharia na ufmg né? é bem possível que tenhamos nos cruzado várias vezes.

    ResponderExcluir
  13. Parabéns pelo Texto, muito bem escrito. Durante alguns anos eu fui um desses, que vivia como hetero e desfarça a minha tristeza de ser gay, sorrindo e sendo popular, mas é algo que não tem como fugir, o tempo só faz aumentar a angustia e a depressão. Com 26 anos me assumi pra familia. Foi o dia mais feliz da minha vida. Aquele medo todo se transformou em decepção e vergonha por eu ter criado uma imagem tão horrivel da minha familia. Eu tinha escrito uma carta, contando toda a minha história, desde que me percebi assim aos 11 ou 12 anos. Explicando que nunca senti nada por mulher e que desdo primário eu ja me apaixonava por garotos. Expliquei tudo, sobre homossexualismo. E entreguei no dia 24 de Dezembro de 2010, na véspera de natal.
    Meu irmão chorou depois de ler a carta e disse:" Como vc pode pensar isso da gente, que a gente não te aceitaria. Agora eu estou feliz, por que te conheço de verdade, e si alguém falar de vc vai se ver comigo"
    O meu Pai disse :" Meu filho eu só quero que vc seja feliz, eu te amo e vou te amar sempre, se vc conhecer um cara e quiser casar, pode, pq eu e sua mãe vamos morrer um dia vc tem que viver a sua vida"
    Minha mãe é evangélica da assembléia do Silas, disse que me amava e que nada iria mudar, fui morar com ela e colocou as garras de foro. Dissendo que era uma nojeira, que esse espirito ia cair por terra. Em relação a isso, temos uma péssima relação, mas quero que ela si foda! Quanto a opnião dela sobre homossexualismo.
    Resumindo,entrei pra igreja e passei por todo tipo de libertação, cura da alma, deus me libertou de tudo, até do cigarro! Mas continuei sendo gay. E vou ser sempre,Sai da igreja. Mas amo Jesus Cristo e sei que ele me ama e pronto. Tanto pecado que a biblia cita e só falam do homossexualismo. Preconceito. Não falam nem das casas de prostituição!
    A idéia desse politicos/ cristão, para acabar com a homofobia é acabar com homossexuais, promovendo uma cura que não existe. Então por que criaram a lei do Racismo, era só genéticamente colocar as causas do Vitiligo nos negros! pronto sem negro sem racismo! Fala sério.
    O problema deles é que são contra a tudo que abale a fé deles.
    Mais resumindo, eu achei que eu fui longe demais em sofrer por ser homossexual. Pois me assumi só com 26 anos, poderia ter sido feliz antes. Mais hoje tô namorando, ele vai na casa do meu pai, na casa dos meus irmãos, e é muito bem tratado. Esses dias, eu e meu pai estavamos tomando uma cerveja no bar e ele ligou, meu pai pediu pra falar com ele, e trocou mó idéia com o Genro dele, Sou feliz pq tenho uma familia que todo homossexual deveria ter!
    Mas eu fico com muita pena desses caras citados no texto acima, eu achei que eu fui longe, mais tem gente que vai mais longe ainda. Eu não tenho acho que um dia eu vou sentir alguma coisa por mulher, tenho certeza que vou morrer gay, e pra ser sincero, eu iria odiar sentir lguma coisa por mulher . . . pq esse sou Eu, ser hetero é deixar de ser que eu fui uma vida inteira, e sou muito feliz sendo gay!
    Pq mudar orientação sexual é mudar a sua história, sua vida seu estilo. Não é simplesmente trocar o buraco de meter!!
    E isso não existe, si não Rick Martin, teria feito de tudo com a grana que ele tem!

    ResponderExcluir

  14. Olá, N.B faço parte dos seus leitores a um bocado de tempo, descobri seu blog nas minhas noites em claro tentando estudar para Macroeconomia II, mas quando comecei a ler seus textos com parei mais até terminar de ler todos os poste que tinha até o memento. Resultado é que reprovei da matéria mais tudo bem. A Leitura me fez sentir bem, conhecer algumas questões não levantadas, conheci pessoas incríveis :)

    Parabéns xD !!

    Pornografia de anões gays, não encontrei até agora hehehehhe

    Abração ...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Super curto economia! Para engenharia, que deve ser só a parte superficial e legal pra gente =P
      Obrigado por comentar, e um presentinho pra vc, abç!

      http://www.xvideos.com/tags/dwarf

      Excluir
  15. N.B!

    Acha que isso vale a pena ser pensado ou comentado?


    http://www.youtube.com/watch?v=4VMTTmt8fZk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahhh, super vale!
      01 que ele é pegável, 02 que se for mentira, a mãe dele é uma atriz muito boa (achei super natural o jeito que ela bateu nele) e 03 que serve de aviso pra quando alguém for contar para os pais já ir com proteção para caso apanhe!
      Obrigado pela recomendação =)
      grande abç

      Excluir
  16. Olá! N.B.

    Leio o seu blog já há algum tempo e a cada post eu me impressiono com sua forma de pensar que nos faz repensar.
    Concordo com você sobre o otimismo. Sempre quando há algo ruim acontecendo (sejam tragédias ou descalabros políticos) coisas boas são geradas. Por exemplo, essa questão do deputado-pastor presidente da CDH gerou passeatas em diversos locais do Brasil (e até fora dele). Isso nos mostra o quanto a população brasileira ainda pode ser engajada politicamente como na época das Diretas Já ou do Impeachment.
    Analisando por esse prisma, podemos ser otimistas em relação a um Brasil melhor e veremos que nada é tão ruim quanto pensamos a princípio!

    Parabéns pelo blog e pelas ideias que geram novas ideias!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi senhor anônimo!
      Obrigado pelo comentário.
      De fato, acho que ocasiões como esta nos dão a oportunidade de expor a nossa opinião contrária, e talvez até inspirar pessoas a pensarem como nós, na questão exemplo da CDH. Também fiquei feliz em ver o engajamento e persistência de uma parte da população contra o que se passa por lá.
      Um grande abç.

      Excluir
  17. Bahh N.B. tu não sabes o quanto essa ascensão dos religiosos aos ministérios e cargos de grande importância do governo me preocupa. Tem um Bispo no Ministério da Pesca (tá esse ministério não é grande coisa, mesmo assim é um problema em longo prazo). Uma bancada evangélica que visa perseguir crenças e costumes que fogem a sua doutrina e agora um presidente da comissão de direitos humanos e minorias que é homofóbico. Antes de estes ocuparem cargos políticos de relevância, a comunidade LGBT já tinha motivos para se incomodar com a rejeição e perseguição. Será que temos que ficar preocupados diante dessa invasão religiosa que busca instaurar uma teocracia no Brasil?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que não, ta tudo tranquilo. Tem muita oposição para eles terem qualquer representatividade, inclusive oposição católica. Na verdade, o que sempre choca é esse caso específico de o pastor homofóbico estar numa câmara que devia defender os direitos dos mesmos. Para os outros ministérios, talvez as posições pessoais quanto à sexualidade e religiosidade não sejam tão importante para a execução dos cargos. Ou talvez eu esteja equivocado, mas espero que não =)
      um grande abç

      Excluir
    2. Alguns religiosos colocaram a foto desse pastor maluco num boneco do Judas esse ano.

      Ele não é bem visto nem entre eles, pelo visto. Se não pelo preconceito contra gays, pelo menos pelo que disse sobre os negros.

      De um jeito ou de outro, o que tem sido visto é que esse aí não fica no poder sem uma luta do povo. Menos mal.

      Excluir
  18. De qualquer forma, compartilho da preocupação do Mr.FG.

    Com oposição ou não, esse crescimento no numero de politicos "A Biblia é a minha constituição" não é bom.

    E eles são bem unidos. É bom que as oposições sejam categorias bem unidas também. Organização e coordenação fazem a força.

    ResponderExcluir
  19. Galera, isso não tem nada a ver com o texto, mas com o blog. E eu estou ajudando a divulgar. Assinem a petição abaixo, quem puder:
    http://casamentociviligualitario.com.br/abaixo-assinado/

    ResponderExcluir
  20. Rapaz, é muito triste ver pessoas ainda sofrendo com essa doença chamada ignorância. Claro que eu ri quando o cara falou em homeopatia, mas pense nos milhares de homens casados que sofrem ou já sofreram essa angústia de estar casado, ter filhos e não querer destruir o lar pensando neles? É absolutamente louvável a preocupação. Só não dá pra concordar com a solução. Quando se tem filhos pequenos, a separação realmente pode causar muitos problemas familiares. Não tenho experiência no assunto, mas imagino que seja um momento difícil. Mas não deve ser pior do que um pai constantemente angustiado e deprimido ou pior, buscando se matar. Deve haver algum meio termo que possa satisfazer todo mundo da melhor forma possível.

    Especialmente por me considerar um religioso, fico indignado quando usam a religião como argumento contra homossexuais. É realmente demonstrar que não entendem o significado de amor ao próximo. Qual é o mal em uma família ter dois pais ou duas mães? Que amor tão asqueroso e diferente é esse entre duas pessoas do mesmo sexo que deve ser combatido com tanta agressividade?

    Eu vou ser sincero: apesar de todas as manifestações e violências contra o movimento LGBT, eu me sinto sortudo por ter nascido nesta época. Mesmo com todo o preconceito, certamente deveria ter sido muito pior há 50, 100 ou 200 anos. Hoje temos muito mais conhecimento sobre o assunto e mais pessoas com a cabeça aberta. Os movimentos contra racismo e machismo tiveram avanços enormes em apenas um século. Tenho confiança de que não morrerei antes de ver grande parte da homofobia derrubada também.

    Sejamos otimistas :)

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também acho louvável o esforço para manter a família unida, supostamente porque é melhor para os filhos, dependentes, emocionais ou financeiros, etc etc.
      Isso me lembra o filme do qual sempre falo, Beginners (2010), em que o cara cresce numa casa onde o pai é homossexual e relapso na relação com a esposa. Acho que em todas as situações, há perdas e ganhos que não podem ser generalizados, e a família é uma incógnita.
      Sejamos otimistas!
      Grande abç

      Excluir

#HTML10{background:#eee9dd ;}