Google+

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Notas rápidas 10

    Não tenho muito para falar, mas já tem um tempo que não posto. Resolvi, então, postar algumas fotos com um texto para disfarçar, e também desabafar, pois uma coisa muito interessante em BH, e por vezes muito irritante, é a secura exagerada das relações impessoais. Eu sou de um interior suficiente para me dar um sotaque óbvio por aqui, e lá, na grande maioria das lojas, o atendimento me recebia com um "bom dia" ou um "pois não?", e fechava a relação com um "obrigado", no pagamento. Principalmente em padarias, que são lugares de grande peso para começar o dia bem. 

    Em BH as coisas são bastante diferentes, e tenho notado que é mais e mais comum eu não ganhar nem um "obrigado" na saída. Isso sem falar das vezes em que o atendente substitui o "pois não?" por outros iniciadores menos polidos, e que me fazem meditar por alguns microssegundos se devo ou não apontar a aspereza da abordagem. Me sinto como se o funcionário estivesse fazendo um favor para mim, e eu devesse ser grato à chance de ser atendido por ele. Isso vale para funcionários públicos e privados, mas sem generalizar.
    Também, quando me mudei para cá, adorei a ideia de poder praticar a desatenção social com meus vizinhos do condomínio: aquela desatenção que te permite passar por uma pessoa sem olhar nos olhos para não ter que cumprimentar (ou constrangê-la). A premissa de cada um no seu quadrado é ótima, mas a desatenção tem me incomodado muito ultimamente. Gosto de dizer um "bom dia" com um sorriso quando encontro vizinhos pelas escadas, e não espero uma cara amarrada deles como resposta, com um "bom dia" pronunciado como se doesse, e que acontece frequentemente. 
    Fico pensando se fui mal acostumado com o interior, ou se tenho a cara muito desagradável para inibir pessoas de trocar palavras comigo. Ou talvez eu não seja tão carrancudo assim, e o atendimento de BH seja realmente digno se demitir muitos funcionários e reeducá-los. Ou talvez só falte simpatia às pessoas, simpatia que algumas pessoas podem considerar sua importância debatível nos dias de hoje... 
    Ou talvez eu seja chato demais. Só me esforçarei para não me tornar mais uma carranca nesse mar, apesar da tentação.

Um abç, e bom fds. Aliás, hoje é terça... Hábito.
N.B.
#HTML10{background:#eee9dd ;}