Google+

sábado, 14 de julho de 2012

Hipoteticamente falando

    Um dos poucos argumentos que ouço na repreensão dos relacionamentos homossexuais, e que não se baseia em delírios religiosos, é o da extinção da raça humana. Dizem que se a homossexualidade fosse uma regra, estaríamos extintos em alguns anos, pois nossas relações não geram descendentes.

    Cabe a esse argumento a classificação de hipótese. Nela, propomos uma ideia que deverá ser testada para se observar os resultados e, numa (rara) discussão séria e formal, não se deve usar isso como um argumento, como se fosse o único fato que poderia ser observado. Se todos fossem homossexuais, devemos nos perguntar como a sociedade se organizaria. Teríamos sítios de reprodução ou recorreríamos à clonagem? Ou simplesmente facilitaríamos a questão da barriga de aluguel, para os casais gays, e bancos de esperma, para os lésbicos?

    Não faz sentido usar uma hipótese como um argumento porque os resultados não são conhecidos. A outra parte poderia muito bem dizer que se todos fossem homossexuais, todos seriam ricos, felizes e teriam 5 filhos pelos métodos descritos acima. Isso com a mesma credibilidade da hipótese da extinção da raça humana, porque os resultados também são desconhecidos.

    Não existe motivo sério e observado que sustente a premissa de que um relacionamento homossexual é menos 'correto' do que outros. Nota-se que os outros argumentos usados por defensores de políticas anti-gay são também hipóteses. Dentre elas, as mais famosas são: “se dois gays se casam, logo estarão casando crianças, animais, objetos, etc”, ou “gay não tem lugar no céu”. De início (e às vezes no meio e fim), faz sentido para alguém que ouve e não indaga sobre os outros possíveis resultados. 

    Essas besteiras se difundem no meio mais maleável da massa, que toma as hipóteses como verdades, e as usam para tomar uma posição sobre esses assuntos, por preguiça de pensar mais além sobre as levianidades que ouvem. E dá no que dá...

49 comentários:

  1. Deveriam agradecer aos homossexuais por esse controle de natalidade, até por que sempre existiram casais gays na história da humanidade, e nem por isso a nossa raça se extinguiu até hoje, muito pelo contrário, estamos com 7 bilhões de pessoas nesse planeta e a tendência é aumentar. Acredito que um argumento apocalíptico como esse nem faça efeito em populações de países da Europa, onde a taxa de natalidade vem caindo ano após ano, e não por causa dos casais gays, mas pelos próprios héteros que vem pensando cada vez melhor na importância que é a decisão de ter um filho, e nas restrições que eles podem trazer a vida do casal.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que existe uma alta correlação entre a baixa taxa de natalidade dos países europeus, o alto nível de educação e a maior aceptabilidade da presença de gays por esses cantos, mas acho complicado apontar como gays como a causa da baixa da natalidade =0 Como vc disse, tem mais a ver com o planejamento e ponderação da importância que um filho trás à vida do casal, além da educação e dedicação à carreira, etc. Se eu fosse chutar, diria que os gays tem pouco peso nessa baixa, até porque alguns tb tem filhos =)

      Excluir
    2. A baixa natalidade na europa não tem nada a ver com os gays, acreditem eu sei do que falo pois sou europeu. A populaçao hetero nao esta interessada em ter filhos (pelo menos ate ter emprego, casa, um bom salario, paciencia e mais de 30anos) isto no geral. Nao tem nada a ver com os gays.
      N.B tens razão pelos relatos que vejo do Brasil realmente a europa comparando é um sitio muito bom para um gay viver. Alias um gay, uma mulher, um idoso, um doente, um desempregado a europa é um dos continentes senão o continente onde existe mais igualdade

      Miguel 21

      Excluir
    3. Oh, o que quis dizer é que o alto nível de educação está relacionado com a baixa natalidade e maior aceptabilidade dos gays, nesse sentido da reta e de causa.
      E sim, o assistencialismo social na Europa e o respeito aos direitos humanos são infinitas vezes melhores do que por aqui. Já pode pedir asilo político?

      Excluir
  2. N.B. e Miguel, acho que o pior do argumento não é nem o nosso lado, de contraventores do "modelo sexual vigente".

    Olha, falei bonito... Acordei inspirado! Nem sei se isso existe, mas vocês vão entender :)

    Para mim, o buraco é mais embaixo.

    E se fôssemos todos héteros, quer dizer que o mundo estaria são e salvo porque vamos nos reproduzir e continuar a povoar o planeta?

    E se ninguém quiser ter um filho?

    Somos todos obrigados a isso?

    A sociedade exige filhos e até força muitas pessoas a isso. Cada um tem o direito de tomar suas próprias decisões e ser feliz como achar melhor.

    Até faço aqui uma defesa em prol dos héteros... acho que a cobrança em cima deles, nesse sentido, fica maior.

    Quando sabem que você é homo ou bissexual, geralmente já descartam você do ciclo reprodutivo. Mas se você é hétero, precisa casar, precisa ter um filho, a sua mãe vai continuar esperando pelos netinhos e etc.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lucas,
      Vi entre seus apontamentos o seguinte: "...E se ninguém quiser ter filho?"
      Penso, nos dias atuais e no país em que vivemos colocar uma vida nova nesse ambiente, será que estaremos fazendo um bem para está vida? Pois, as informações tem se perdido de uma forma tão rápida que nos perdemos nessa imensidão. Ao mesmo tempo seria egoísmo nosso não querer ter filhos pois foi preciso que alguém tivese em mente sobre ter ou não para que eu e você viessem a este mundo. Enfim, ser gay não significa não poder ter filhos, talvez não pelo modo "padrão" mais todos deveríamos pensar nessa hipótese independente de nossa orientação... Não como uma regra, mais também não tendo uma mente egoísta.

      Excluir
    2. Por esse lado, essa hipótese sugere que todos os héteros se reproduzem, e o que isso trás? Superpopulação, pobreza, falta de recursos mínimos para todos: um mundo no estilo do Sudão, ou Afeganistão, etc.

      @anonimo: Não acho que não querer ter filhos seja egoísmo, pelo contrário. Dizem que filhos trazem completude ao ser, e se reproduzir estritamente para se sentir melhor, ou mais completo sim, soa muito egoísta. Não consigo pensar em motivos para que alguém tenha filhos. Viver é sofrer (alô drama), física e psicologicamente, e trazer outro ser a esse mundo cão por esse motivo não me convence, por enquanto.

      Excluir
    3. Só para deixar claro, não sou contra as pessoas terem filhos nem acho ruim.

      Tem gente que pensa "não sei para quê os outros têm filhos, tem mais é que aproveitar". Eu acho meio absurdo... Meio não, muito!

      O que eu quero dizer é que as pessoas têm liberdade e direito de escolha. Sexual, afetiva, profissional, pessoal, em vários níveis e etapas da vida, incluindo filhos.

      Sou contra os que apenas seguem a maré por seguir e não por vontade própria.

      Excluir
  3. Hipoteticamente falando e, acima de tudo o que foi dito nesse post, hipoteticamente agindo.
    Agir no mero contexto virtual não serve, caro NB.
    Da próxima vez que você ouvir algo em sua sala de aula sobre gays e o seu cenário atual, faça intervenção, não fique defendendo a causa apenas no ambiente virtual que, para a "grande massa maleável", não serve. Se imponha e comece a defender a causa na vida real.

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. http://25.media.tumblr.com/tumblr_lx5lqyG19e1qaa7gwo1_400.jpg

      brimks =)
      Não tome um exemplo pontual relatado por aqui para dizer que eu não atuo por fora. Cada um faz o que pode e o que lhe é seguro, e mesmo contido eu solto minhas ideias aqui e ali. O alvo do blog não é a massa, nem minha vida, mas sim dar informação e mudar a opinião que gays tem sobre si próprio e sobre outros gays, deixando-os mais apaziguados consigo. Considero pequenas revoluções assim tão eficazes, ou mais, do que algazarra em praça pública, e deixo a militância "real" para os corajosos, por enquanto. Mesmo assim, obrigado pelo toque.
      abç

      Excluir
    2. Prezado 14 de julho de 2012 16:55,

      Nem todos são assumidos ou afetados como você.
      - Pais (e o resto da família) não desejam filhos gays;
      - Colegas de trabalho (maioria) debocham de gays;
      - Amigos (héteros masculinos) não querem amizades gays;

      A não ser para os gays e uma mínima parcela 'mente-aberta' da população, homossexual é sinônimo de bicha, que é sinônimo de chupadora de pênis e dadeira de ânus, que são sinônimos de 'sem-vergonhas', que são sinônimos de má índole... faltou pedófilos e uma série de outros...

      Logo, tem que ter ser muito 'maxo' para 'defender a causa na vida real', sendo que não somos 'muito maxos' e sim homossexuais, uma minoria que formou sua personalidade com base na carência, medo, vergonha e culpa. Ou seja, é difícil estufar o peito, mesmo com supino 3X por semana combinado com altas doses de suplementos, pois somos pequenos e fracos.

      P.S.: que cara gostoso esse do ladinho (Comunismo e pontos de vista). Faz parte do meu TOP3, junto do casalzinho da "Rotina numa sala de engenharia" e com o safadinho D"E as vaginas".

      Excluir
    3. Crianças, sem brigar.

      Achei o comentário do primeiro anônimo agressivo e desnecessário. Mas vamos tentar relaxar os ânimos, ok?.

      ** Anônimo e Ânimo - percebi agora como as duas palavras são parecidas ** divagação **

      O importante é fazer algo e começar. A militância cara a cara atinge um público. A militância na internet atinge outro.

      Cada um faz o que pode, quando se sentir maduro e preparado para isso.

      Como falei em um comentário logo acima... liberdade! Em todos os sentidos.

      Excluir
    4. Desculpe pela grosseria xará (anônimo sem ser eu).
      Só para deixar registrado: que retaguarda abençoada que apareceu aqui do lado, no 'posts populares'.

      Excluir
  4. “Se”. Uma palavrinha de duas letras, sinônimo de inutilidade, segundo um célebre escritor mencionou em uma passagem de um de seus livros. Em relação a esse tema há muito pouco o que se discutir. Eu poderia passar o dia conjecturando as hipóteses mais mirabolantes que se imaginar, articulando-as com essa pequena partícula “se”. Porém, seria inócuo, uma vez que trabalhar com possibilidades tão abstratas não leva a lugar nenhum. Mesmo que se fosse concebível imaginar uma população constituída apenas por homossexuais, basta um pouco de conhecimento de mundo para saber que ou a natureza ou o próprio homem, com seus conhecimentos científicos, certamente encontrariam uma forma de resolver o impasse e impedir a extinção humana. Inclusive, em muitos casos reais, isso já pode ser verificado, já que heterossexualidade não é sinônimo de certeza da perpetuação da espécie, segundo dados da OMS, que estima que hoje, cerca de 12% dos casais em idade fértil em todo o planeta não podem ter filhos. E esse número cresce continuamente, tendo triplicado da década de 50 pra cá, tendo em vista os maus hábitos de vida e as condições ambientais. E o que fazer com esses casais inférteis, uma vez que sua situação se assemelha a dos casais homossexuais? Talvez seguir o conselho de um pastor norte-americano que, recentemente, sugeriu enviar os homossexuais para campos de concentração exatamente por esse motivo? (http://noticias.gospelmais.com.br/pastor-causa-furor-exterminio-homossexuais-35623.html)
    Esse seria mais um argumento idiota, facilmente refutável, que os homofóbicos de plantão utilizam para tentar nos desqualificar, nos empurrar para a clandestinidade, nos subjugar e tentar jogar a sociedade contra nós. Ele é tão inverossímil que eu acho realmente difícil que uma pessoa, com o mínimo de inteligência, acredite numa papagaiada dessas. De tão ridículo, se nós vasculharmos esse raciocínio, veremos que há algo mais implícito em suas entrelinhas. O que se quer dizer, subliminarmente, é que nós homossexuais estamos tentando disseminar nossa “doença” pelo mundo, que nosso objetivo é converter toda a raça humana ao nosso estilo de viver nossa sexualidade e, com isso, varrer a raça humana do planeta. Aí, uma pessoa mais ignorante que vai acreditar nessa marmota toda, irá nos enxergar como verdadeiros destruidores da humanidade, já que somará esse argumento ao de que nós somos pecadores segundo a bíblia, promíscuos, pedófilos e muitas outras coisas mais.
    Conclusão: só a educação pode nos salvar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lol ouvi falar desse pastor mas pensava que era brincadeira, ou daquele tipo de notícias do g17.

      Imagino que 'se' as discussões acerca desses temas fossem feitas respeitando-se as regras definidas para a realização de um debate formal, esse tipo de asneira não seria considerado e a pessoa perderia a discussão automaticamente. O que vejo é que qualquer coisa dita por qualquer pessoa que tenha algum poder de fazer sua ideia ecoar é levado em consideração, seja hipótese ou delírio.
      E como mencionado, só a educação trará capacidade às pessoas para filtrar esse tipo de ideia. Parece que nem existe medo por parte deles ao expor suas ideias irracionais, nem medo se serem considerados antiquados, ou de serem julgados pelas asneiras que dizem, e esquecidos nos seus delírios. Parece que podem dizer qualquer coisa que todos aplaudem.

      Excluir
    2. Acho que a educação é o grande agente transformador da sociedade, também.

      Mas costumes e dogmas levam gerações para serem rompidos ou alterados.

      Talvez, os que nasçam gays em 2112, tenham mais sorte com isso.

      Idiotas e imbecis, de qualquer modo, sempre existiram e sempre vão existir. Afinal de contas, teve gente que morreu porque jurou que a Terra era redonda e não quadrada, não é mesmo?

      Excluir
  5. Como vocês se conheceram (Nabu e Lukas)?

    Me intriga o fato de demonstrarem 'personalidades' tão diferentes na escrita e estarem 'juntos'. Geralmente estes dois tipos de 'personalidades' não convivem juntos, a não ser na cama.

    Por 'personalidades' entendam: um é mais homemzinho e o outro menos homemzinho. Sem preconceitos Lukas da Belami (comeria os dois).

    P.S.: Sou o Anônimo 7 de julho de 2012 02:48, leitor de mentes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. NaBu hihihohohohohi

      Nos conhecemos pelo blog, Lucas acompanhava e me contactou. Mas nunca nos vimos pessoalmente, pelos problemas de logística com ele em PE e eu em MG.

      Excluir
    2. Leitor detetive, você somaria mais com comentários construtivos e dando sua opinião, em vez de tentar descobrir nossas identidades.

      Intrigante mesmo é sua obsessão em tentar analisar dois estranhos anônimos que você mantém um contato mínimo pela internet, e através de quatro ou cinco posts, traçar a personalidade de um deles e estabelecer diferenças.

      Presumo que seja um estagiário no terceiro período de psicologia.

      Agora é engraçado como você tenta me encaixar em estereótipos por conta do meu estilo de escrita.

      Ajuda a romper essa imagem eu dizer que trabalhei com casos policiais (indo às ruas, vendo corpo de gente assassinada, entrando em favela) durante um ano e meio e outros três meses trabalhando com futebol?

      Acho que não é isso que você espera, quando tenta me retratar como bicha passiva.

      E falando de boa agora... esses estereótipos são coisa de Zorra Total e programas do gênero. Se suas referências são o Pit Bicha, precisa sair mais por aí, da frente do computador, e conviver e conhecer as pessoas.

      O mundo não é tão categorizado quanto parece.

      Aproveitando a discussão, já que falei de psicologia, favor ler e pesquisar sobre um cara chamado Carl Rogers.

      Excluir
    3. Relaxa filho! É normal um fã ter curiosidade em conhecer seus ídolos. Nervosinho!

      Desculpe se ofendi, mas as vezes é bom um pouco de humor, mesmo que da 'Praça' para aliviar nossa pobre alma sofrida e quebrar o clima frio e cinzento do blog.

      Pelo menos o Nabu foi gentil... Já quero ser seu companheiro de Calculo.

      Faço exatas, não curso Psicologia, sou um gay preconceituoso com humanas (só dá 'viado')... mas sempre dou uma andada por lá, tem cada psicólogo e publicitário 'competente', sô!

      Excluir
    4. Hoje estou de TPM!

      Sou de Humanas, mas acho que deu para perceber isso.

      Os estudantes de publicidade, pelo menos onde eu estudava, sempre foram bem interessantes :)

      Excluir
  6. Colocando um pouco mais de lenha na fogueira, esse tipo de argumento de 'extinção da espécie' geralmente vem de religiosos, né. Engraçado, já que a Igreja (neste caso a católica) não aceita as relações homossexuais baseadas principalmente no fato que, destes relacionamentos, não são gerados filhos. Mas os padres ajudam tanto para a extinção dos seres humanos quanto os gays, ou até mais, por que um gay pode muito bem ter um filho, já um padre...

    ResponderExcluir
  7. " Um dos poucos argumentos que ouço na repreensão dos relacionamentos homossexuais, e que não se baseia em delírios religiosos, é o da extinção da raça humana. Dizem que se a homossexualidade fosse uma regra, estaríamos extintos em alguns anos, pois nossas relações não geram descendentes."

    como assim não se baseia em delírios religiosos? "crescei-vos e multiplicai-vos", essa questão é somente religiosa, pq Deus mandou q nos reproduzissimos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Relacionamentos gays não geram descendentes -> se todos fossem gays, a raça humana se extinguiria.

      Não parece ser uma hipótese muito complicada para se supor sem usar deus, ou a bíblia.

      Excluir
    2. Eu já comentei isso em algum post e volto a levantar a questão.

      Há quem diga que a Igreja condena os homossexuais porque o sexo deve ser fim apenas para a procriação e não o prazer.

      Ignorando a mentalidade de que homossexuais não possuem vida amorosa e afetiva além-sexo e que as pessoas fazem sexo porque isso é normal, fica a pergunta:

      A Igreja permite eu, menino, ser gay, desde que beije outro menino, sem fazer sexo com ele?

      Excluir
    3. http://evolucaolgbt.blogspot.com.br/2012/04/arte-do-galanteio-entre-os-gays.html

      Excluir
  8. Realmente, FOXX, 'you have a point'!

    ResponderExcluir
  9. Concordo com o N.B. quando diz que trazer uma criança para o mundo é uma questão muito complicada.

    Não me perguntaram se eu queria nascer e aqui estou eu. Sou perfeito, alto, bonitinho,nunca passei necessidade de nada e se todos que me conhecem soubesem que sou gay tenho certeza que muitos ficariam muito chocados.

    Infelizmente acho que uma boa parcela da sociedade ainda não sabe diferenciar a palavra gay de um sinônimo qualquer de desragramento, bicha louca, e outras coisas que sempre usam para nos depreciar.

    Sempre que alguém pensa em ter filhos, raramente pensa em todas as hipóteses que podem vir a acontecer com a criança, seja física ou psicologicamente. Não coloco a culpa só nos meus pais, mas em mim também por ser tão covarde e não ter a coragem de me assumir para todos.

    Acho que dentro de nós, carregamos uma idéia de corresponder às expectativas dos outros às vezes, e por isso temos medo de nos mostrar como somos. Mas, dessa forma, nem nós nem eles serão felizes no fim.

    Vou terminar, porque senão vou começar a reclamar mais da vida, das pessoas e parecer um rabugento (hahaha!) Sempre vou agradecer ao blog pelo que tem feito comigo, pois mesmo que eu nunca me assuma perante a sociedade, eu já me assumi comigo mesmo. Graças a todos vocês que escrevem e comentam aqui, não me sinto mais sozinho!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Sou perfeito, alto, bonitinho..."

      E é convencido, também! hahahahaha

      Brincadeira =)

      Olha não se culpe por não ter coragem de se assumir para todos ou para seus pais. No fundo, isso acontece porque eles também não tem coragem de abrir a cabeça e aceitar as diferenças.

      Se você soubesse que teriam ou percebesse esta atitude, com certeza não estaria guardando um segredo tão difícil de ser carregado. Sei como é isso, eu entendo você, eu passei por isso e vejo muitos dos meus amigos lutando com isso!

      Fico feliz que o blog ajuda e te deixa melhor consigo, Philip. Aliás, nome bonito, não importa se é verdadeiro ou pseudônimo.

      Um abraço!

      Excluir
    2. Oi Lucas! Entendi sua brincadeira mas mesmo assim gostaria de me desculpar.

      Realmente lendo que eu sou alto, bonitinho... pode parecer que estou me achando. Não foi essa a minha intenção.

      Acho que eu só queria dizer que as pessoas quando nos olham, não sabem o que acontece dentro da gente (ainda bem!!!), mas realmente fui infeliz na escolha das palavras.

      Legal que você e o N.B. sempre respondem os comentários e levam no bom humor algumas coisas. Por essas e outras é que o blog é diferente.

      Para encerrar, como eu não comentei na época, gostaria de dizer que gostei muito daquele post sobe as músicas que cada um gosta de ouvir. Foi um post leve, e eu entendi que nem só de sofrimento nós vivemos! Até mais!

      Excluir
    3. Oi phillip
      Tá solteiro? Adoraria conhecer um homem perfeito, alto, bonitinho e que nunca passou necessidade de nada (eufemismo pra rico) pra reclamar da vida junto comigo =) hihihohooho

      Enfim.
      Talvez algumas pessoas pensem que viver é maravilhoso, provavelmente as que não tem esse tipo de conflito com o mundo como nós, e podem pensar que conceber um filho é trazer mais um indivíduo a esse mundo "feliz" e perfeito, e estarão fazendo alguma coisa boa.

      Excluir
  10. Muitas vezes, hipóteses como essa são usadas em uma discussão séria e formal [raríssima, eu diria, afinal é difícil encontrar pessoas dispostas a discutir isso de forma aberta e pragmática] como último recurso, quando os argumentos mais "lógicos" se esgotaram e a pessoa insiste em sustentar suas ideias em conjecturas por vezes descabidas. Afinal, como aventar hipóteses assim se, há muito tempo, as relações e o sexo (hétero ou homo) deixaram de ter propósitos unicamente reprodutivos?

    Por ser meu primeiro comentário, N.B., não posso deixar de parabenizá-lo pela iniciativa. Diferente do que ocorre em alguns outros blogs que já visitei, você traz discussões pertinentes e importantes para todos os gays (e não gays também) e, que, tenho certeza, ajudam bastante pessoas que, assim como eu, continuam escondidas no [escuro, sufocante e às vezes aconchegante] armário.

    Douglas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Douglas! Obrigado pelas palavras! Lucas e eu ficamos felizes com a motivação =)

      Concordo que não faz sentido usar essas hipóteses quando apenas uma pequena percentagem do sexo que fazemos é para reprodução. E iria mais além para dizer que a finalidade do sexo nunca foi a reprodução, e sim o alívio da tensão sexual. Eu imagino que os animais não fazem sexo pensando na perpetuação da espécie, mas sim para o próprio alívio. A cria é uma consequência do alívio sexual, e os instintos se encarregam de cuidar dela. Daí, entra a parte viajada na maionese para dizer que, se nosso objetivo não é a reprodução, então porque o mecanismo de alívio sexual acarreta na reprodução? Qual o sentido de se reproduzir, ou porque foi arquitetado que esse alivio sexual acarretasse na reprodução? Quem ganha com isso? Qual o sentido da vida? hihiohoho
      Eu tentarei desenvolver e organizar a ideia em breve num texto.
      Um abç.

      Excluir
  11. Se na China houvesse mais gays...rs
    Abç,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nem vejo graça nos asiáticos.

      Aliás, como uma pessoa vai ler isso aqui, mais cedo ou mais tarde, digo logo que não vejo graça em nada nem em ninguém... só em um certo B...

      :)

      * Medo do namorado ciumento *

      Excluir
    2. Apois eu adoro orientais, mas nunca fiquei com um! Adoraria namorar um japinha... *-*

      Excluir
    3. Também não me apetecem, eles carregam uma fama de ter o pinto pequeno, principalmente os chineses, o que quis dizer é que se houvessem mais gays, não nasceria tanta gente por lá.
      A raça humana está perpetuada sobre a terra, não é uma minoria, como nós, que irá comprometer este fato.

      Abç, ao Lucas e ao N.B.

      Excluir
    4. Rsrsrsr eu também adoraria ficar com um oriental XD acho que é coisa de otaku . Quanto aos boatos sobre o tamanho do pênis não me importo muito, mas na real acho lindos os ocidentais com olhos puxados >.<

      Assunto muito interessante mas não tenho nada a adicionar que já não esteja em outros comentários.

      Abraço pra todos ^_^

      Excluir
    5. Concordo as vezes tbm tenho vontade de fikar com um oriental,ou um otaku q compartilhasse do mesmo gosto q eu,
      e sim olhos puxados são liiiindos!
      abraços ^_^

      Excluir
    6. *o* sim sim é meu sonho namorar com um cara otaku, tem muito mais chances de dar certo porque não é todo mundo que entende nossa maneira de viver.
      Eu já sonhei em pensar que poderia chegar o domingo e em vez de assistir o Faustão ou qualquer outra coisa chata que se passa na TV poder conectar o laptop na televisão e assistir os animes com meu namorado C3.

      Excluir
  12. é esse pensamento, se fossemos regra a sociedade se organizaria de outra forma. Assim caminha a humanidade.

    ótimo texto. parabens!

    ResponderExcluir
  13. Incrível como sua mente funciona.

    ResponderExcluir
  14. Muito bom seu texto!
    A humanidade só seria extinta se as mulheres se recusassem à gestação. E elas não precisam de transar para engravidar. E nem os homossexuais masculinos deixam de produzir esperma e gametas. E a fecundação há muito prescinde do ato sexual propriamente.
    Que arranjem outros argumentos. Esse já não é mais válido.

    ResponderExcluir
  15. Realmente,trazer uma criança ao mundo e complicado!
    mas não é porque a genetica não contribui para nos q a raça humana iria terminar por ter mais gays por ai! como vc citou no texto ainda tem outros metodos,tipo barriga de aluguel? porque não ne?

    ResponderExcluir
  16. Dizem que a igreja preconiza o sexo somente para a reprodução, se for assim o Brasil está fadado ao inferno, por que pelo menos 60% dos brasileiros fazem sexo por prazer, os outros 40% ainda não fazem ou já não fazem mais.
    isso é algo irrelevante a extinção da humanidade por uma minoria que é homossexual, quem conhece um casal hétero que faz isso somente para reprodução? se fosse assim não haveria gasto nenhum com camisinhas em casais heterossexuais, e somente com os homossexuais.
    outra coisa que vi no texto ou num post (pode ter sido em outro texto também) em relação a monogamia.
    eu mesmo acho isso correto, por que buscar prazer ou o que quer que as pessoas busquem numa relação sexual em diversas pessoas, sendo que uma mesma pessoa pode te propiciar prazer, companheirismo e diversas coisas mais para o resto da vida?
    isso é algo que ainda não entendi.
    Todos buscamos a felicidade de uma maneira ou de outra, mas por que as pessoas buscam-a em uma pessoa diferente todos os dias?
    será que a cada pessoa que vai ela não está procurando a pessoa certa?
    ou será que esse tipo de pensamento sou só eu que tenho? que uma única pessoa pode nos agradar para toda a vida?
    abraço a todos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que existem várias formas de felicidade e não cabe a nós julgar, mas eu também não curto isso de ficar direto pulando de namoro em namoro ou seja lá qual o tipo do relacionamento.

      Eduardo, sobre a Igreja, acho que sob a luz da razão, é uma instituição muito controversa. Nem me refiro a escândalos ou à riqueza do Vaticano, mas digo com relação aos costumes e morais que ela prega.

      A maioria dos padres que conheci não concordam com tudo, da mesma forma que os fiéis também não. Na prática, cada um escuta e segue o que quer. Mas, na hora de condenar algo com o qual não concorda, faz questão de ver se a Bíblia também se manifesta contra para passar isso na cara.

      Detalhe que religião significa religar, reunir... mas só se for em teoria, porque na prática...

      Excluir
    2. quando disse da Igreja pensar somente na procriação me referia ao "crecei-vos e multipicai-vos" ou algo assim (não me lembro como é o correto agora ^^).
      mas isso varia de pessoa a pessoa, foi só um comentário que fiz, também acho que eles se contradizem demais, falam dos outros sem olhar para o próprio "rabo", e isso não é só na católica. E a razão varia de pessoa a pessoa, pois o ponto de vista da verdade é tão variável quanto ^^.

      Excluir
  17. Bom, primeiro que não é assim "quero ser gay" e qualquer um pode sair por aí tenho relacionamentos homossexuais e se sentir satisfeito. Acho que algo em que todos concordamos é que ser gay não foi uma simples escolha. Nascemos assim e escolhemos abraçar essa característica. Logo, a menos que algo aconteça na natureza humana, é impossível conceber uma sociedade 100% gay. Mesmo que fosse possível, certamente a ciência e os governos promoveriam técnicas e estímulos à procriação para evitar a nossa extinção. Gays não são estéreis ou inférteis.

    Essas pessoas que acreditam na extinção da humanidade pelo homossexualismo realmente não sabem do que falam.

    ResponderExcluir

#HTML10{background:#eee9dd ;}