Google+

quinta-feira, 7 de junho de 2012

Insanidade institucionalizada

    Na semana passada o personagem da DC Comics, Lanterna Verde, foi declarado gay pelos autores da sua revistinha. Nessa mesma semana, um estado americano (North Carolina) se juntou a uma lista de outros 30 estados que tem leis contra o casamento do mesmo sexo. Percebam que não é somente a falta de regulamentação para o casamento entre pessoas do mesmo sexo e sim uma lei contra. Sabe-se, porém, que EUA são um país cristão conservador e isso os torna um bom exemplo da influência da religião nos assuntos de estado e na liberdade da população. Enfim.
    Eu gosto de ler os comentários em notícias relacionadas aos gays, como essa do Lanterna Verde, para ver a média das reações. Às vezes pulo direto para os comentários, sem mesmo ler a notícia, para sentir o clima e me divertir com as discussões descabidas, ou ter uma dose de indignação. Creio que todos aqui já tiveram a oportunidade de acompanhar esses comentários e, frequentemente, encontro um comentarista (ou muitos) profetizando sobre o fim dos tempos. Esta na moda dizer que os tempos estão chegando ao fim ou é impressão minha?
    Observando esses comentários (especialmente no G1, que eu acompanho quase todo dia), percebi que grande parte dos que fazem repreensão nas notícias relacionadas aos gays usam argumentos religiosos, e aproveitarei essa oportunidade para falar da influência da religião organizada sobre a liberdade sexual, além de fazer propaganda. Religião organizada porque essa é a forma de religião realmente nociva, não somente aos gays e outras minorias, mas ao mundo inteiro, passível de controle e manipulação, como observamos nos canais de exorcismo de pobres mulheres pobres e de venda de canetas ungidas para concursos.  
    Creio ser de comum senso que a religião organizada tem uma má influência sobre o preconceito contra os homossexuais, e isso é suficiente para explicar porque alguns homossexuais tomam posição anti-religiosa. O argumento mais básico que as pessoas desses comentários usam é que não é uma coisa permitida por Deus, afinal, já se dizia em Levítico 18:22 que o homem que se deita com outro homem como se fosse mulher é uma abominação. Pois então, ninguém gosta de abominações. 
Não tenho certeza que esta poderia ser considerada a fonte mais poderosa do preconceito contra homossexuais. Já relatei muitas outras fontes ao longo do blog, como o machismo (mesmo que o machismo também tenha uma parte de sua origem nas religiões paternalistas, afinal, Eva condenou toda a humanidade ao comer a maçã e por isso é inferior), ou a ameaça à sensação de segurança pela mudança do conhecido, ou a questão da nação forte com braços trabalhadores que os relacionamentos homossexuais não produzem, dentre outras, mas não dei prioridade a nenhuma. 
    A vontade de deus é um argumento é irrefutável pois ele é o dono do universo e devemos a ele nossa eterna gratidão pela criação. Se a bíblia exprime a vontade de deus, estamos automaticamente condenados por sermos homossexuais, e é difícil argumentar contra uma 'lei', ou contra a verdade divina. Pelo menos não seremos condenados sozinhos, pois quem come carne de porco, ou quem corta os cabelos também o está. Leiam o capítulo de Levítico, é o mais engraçado da bíblia.
    A forma mais fácil (talvez a única?) de responder à bíblia é assumir que ela não é nada além de um apanhado de contos de muito mau gosto. 
    Para mim é fácil pensar assim. Eu já me pronunciei acerca da minha crença por aqui e não escondo de ninguém que sou ateu - exceto quando minha mãe me pede para fazê-lo. Segundo ela, eu não deveria divulgar aos nossos parentes que “eu não rezo”, pois “é feio”, e preciso confessar que já choquei algumas pessoas com a minha descrença. Não gosto de usar este espaço para discutir crença. Crença é crença, e não se discute, por mais infantil, ilógica e prejudicial que ela seja, mas estamos aqui a refletir sobre os efeitos da crença.
    No Brasil, não existe religião organizada (significativa) que pouco se importe com os gays. Não adianta apenas deixá-los viver em paz, é preciso dizer que eles são perversos e quem é conivente com esse “comportamento” é tão pecador quanto o homossexual. Dessa forma, um meio que se auto-proclama difusor do amor entre os homens é o primeiro a separar e causar o ódio. Não entendo porque a crença, que devia ser tão pessoal, possa ditar tanto como vivemos. 
    Nas minhas viagens psicodélicas sempre chego a duas conclusões e ambas me assustam: eu ou o mundo está completamente louco. Egomania à parte, acredito que seja o mundo. Para mim, não há diferença entre a bíblia como prova da existência de deus, e a revistinha do Homem Aranha ou do Lanterna Verde, como prova das suas existências. 
    Me soa como uma insanidade indescritivelmente absurda que muitos dos nossos costumes, tabus e problemas existam devidos a um livro que tem tanta credibilidade de ser real como as revistinhas que mencionei. É interessante e triste ver como vivem as pessoas nos lugares onde se legisla pelos seus livros sagrados. Para mim, também é uma insanidade acreditar que um ser invisível te assiste 24 horas por dia das nuvens (esquizofrenia), que cria os problemas e soluções na sua vida, e se você não se comportar como ele quer, você será enviado a um lugar para sofrer por toda eternidade, apesar do seu amor.
    Se supusermos que Deus existe por um minuto, e que ele é exatamente como diz a bíblia, omnisciente, omnipresente e omnipotente, e existe desde o começo dos tempos até o infinito, porque uma criatura desse tamanho iria se preocupar se alguém tão pequeno aqui na terra o adora ou não? Se ele é tão poderoso, porque não derrota o mal de uma vez? Se ele é tão bom, porque crianças morrem de fome ou violentamente? Se ele sabe de tudo, porque não alivia nosso sofrimento?
    Oras, uma célebre hipótese diz que isso tudo é um teste. Porém, essa hipótese garante ao criador o título de sádico, por saber das necessidades, ter o poder e não intervir. Não tenho certeza que um ser assim seja digno da minha simpatia.
Religião existe para responder aos aflitos sobre as questões que a humanidade ainda não entende. Antes tínhamos deuses para os raios, para o Sol, para a chuva. Hoje temos um Deus para punir os homossexuais, além de nos salvar da morte e nos garantir vida eterna.
    Eu por outro lado, me assusto com a eternidade. Imagine o que é a razão vivendo para sempre, sem a possibilidade de interromper sua existência, mesmo que num lugar agradável como o suposto céu cristão, ou o muçulmano, ou Valhalla nórdico. Tenho medo do tédio eterno, num ponto da existência em que nada é mais novo, o que me parece um tanto como tortura eterna. A ideia de ter a existência interrompida não me assusta, e não deveria assustar a ninguém. A vida da qual se obtém prazer é essa, e deve-se viver sem medo de ser feliz ou medo de ser repreendido por forças invisíveis. Cada um pode ter sua crença, mas no momento em que se escolhe um líder, tão humano quanto qualquer pessoa, para guia-los no caminho da salvação, é assinar o próprio atestado de ingenuidade. 
    Eu tenho minha ideia de deus. Apesar de a ciência estar caminhando para explicar todo o universo, existe uma questão que demorará um tempo maior que minha passagem pela terra para ser respondida. Porque estamos vivos?
    Transcendendo o tópico, eu acredito que existe sim uma força que deu origem ao universo, mas ela não tem consciência, não tem forma e portanto não sabe da existência da vida, como nós. Alguns chamam essa força de deus. Existe um teorema da física que diz que massa pode ser transformada em energia, e vice-versa. Se essa força sempre existiu e o universo foi originado dela, nós também fomos, o que significa que o universo é deus e nós somos parte dele. Em outras palavras, deus somos eu e você, ou pelo menos uma parte dele. Mas eu divago, transcendentalmente.
    Sei que a maioria dos visitantes aqui são religiosos, mas deixo a questão: qual  vossa ideia de deus? E o que vocês acham sobre o posicionamento das religiões organizadas ao colocar a homossexualidade como algo não aceito por deus? Concordam ou não?

“Não há necessidade de templos, não há necessidade de filosofias complicadas. Meu cérebro e meu coração são os meus templos. Minha filosofia é a bondade”.

Um abç.
N.B.



45 comentários:

  1. Nesse quesito de entrar no site só para ler os comentários das pessoas só igual a vc. Entro em vários com as mesmas notícias só para ler comentáros diferente e o pior de tudo não consigo me divertir me sinto mal com tudo que leio mas não consigo parar de ler. Tenho uma ideia bastante particular sobre ele que para mim é o sol,o mar,as árvores, o ar ele está em todos é uma energia superior que move a todos uma energia suprema. Quanto a outra pergunta acredito que o problema não esteja na religião e sim do homem. A religião é só o modo mas facil de julgar o "diferente". O que faz de vc uma boa pessoa não é o número de vezes que vai a Igreja nem o quanto vc fala o nome de Deus só para mostrar aos outros que é um ser cristão e em alguns casos para tirar vantagem e sim as suas atitudes com as pessoas e com o planeta. O que vai sempre volta com a intensidade maior ainda. Ass:Carlos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carlos, assim como você e o N.B., eu gosto e até acho importante ver os comentários, porque nos dão uma dimensão dos argumentos utilizados a favor e contra a diversidade sexual.

      Às vezes me sinto mal com o que vejo, não vou mentir, mas isso soma em conhecimento para nós. É importante entender e analisar a reação e o comportamento dos outros, porque se um dia você for tirado do armário, vai precisar lidar com várias posturas e questionamentos que nem sempre seguem uma lógica racional, mas são embasados em religião.

      Excluir
  2. Nesse quesito de entrar no site só para ler os comentários das pessoas só igual a vc. Entro em vários com as mesmas notícias só para ler comentáros diferente e o pior de tudo não consigo me divertir me sinto mal com tudo que leio mas não consigo parar de ler. Tenho uma ideia bastante particular sobre Deus que para mim é o sol,o mar,as árvores, o ar ele está em todos os lugares é uma energia superior que move a todos uma energia suprema. Quanto a outra pergunta acredito que o problema não esteja na religião e sim nos homens. A religião é só o modo mas facil de julgar o "diferente". O que faz de vc uma boa pessoa não é o número de vezes que vai a Igreja nem o quanto vc fala o nome de Deus só para mostrar aos outros que é um ser cristão e em alguns casos para tirar vantagem e sim as suas atitudes com as pessoas e com o planeta. O que vai sempre volta com a intensidade maior ainda. Ass:Carlos

    ResponderExcluir
  3. eu costumo responder a biblia dizendo q ela é mal traduzida, aonde se lê abominação eu e outros especialistas traduzimos por "pecado menor", o que convenhamos diz outra coisa, uma certa permissividade, quando em Paulo se lê que os efeminados não herdaram o reino dos céus, eu traduzo que os covardes não herdaram o reino dos céus. O melhor argumento contra a biblia não é desmerece-la, pq vc afasta aquele que é fiel ao livro, é muito mais útil informar que os tradutores do "Livro Sagrado" são homens e portanto passíveis de erro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De abominação para pecado menor, a ideia de repreensão continua a mesma. De efeminado para covarde, o machismo permanece. A questão não está em uma palavra ou outra que foram mal traduzidas, mas na ideia da obra.
      A bíblia contém erros de tradução sim, e de coesão também, afinal, ela foi escrita por homens. Se eles foram iluminados por deus na escrita, deixo para a psiquiatria explicar.

      Excluir
    2. Foxx, não simpatizo muito com nenhuma religião, mas não afasto as pessoas delas. Acho que existem pontos positivos e negativos que dependem muito da cabeça do fiel.

      Mas essas adaptações das traduções que você sugeriu são boazinhas demais, na minha opinião. Se a própria Igreja reconhecesse que elas são palavras fortes e que hoje têm outro sentido, eu até ficava calado. Mas pelo que observo, abominação continua sendo abominação.

      Excluir
  4. Quando penso na existência de uma possível força criadora também questiono o porquê de sempre excluírem a possibilidade de ela não ser consciente (da forma como entendemos como consciente) de si mesma ou de nós.

    Parece que estava certo quem disse que "O homem fez Deus à sua imagem e semelhança".

    O Deus como conhecemos é basicamente um ser humano à quem tudo é permitido e que tem poder sobre todas as coisas.É o que muitos religiosos que falam em seu nome gostariam de ser por trás da falsa humildade.

    Agora sobre a Bíblia deve-se ter cuidado ao compará-la com revistas em quadrinho, fica muito forçado.

    Apesar de inúmeras bobagens (Levítico, por exemplo) e contradições dizem (eu não tenho cadeira para afirmar) que vários acontecimentos descritos na Bíblia foram comprovados (o que por si só não quer dizer nada, já que documentos podem misturar ficção com realidade, grandes livros de ficção fazem isso).

    Porém dizem que a história antiga como conhecemos e aprendemos na escola tem menos comprovação do que acontecimentos bíblicos e que personagens históricos importantes como Alexandre, o Grande tem menos documentos sobre sua existência do que Jesus mas não são tão questionados.Não sei se essas informações procedem, pode ser exagero de pessoas religiosas a fim de convencerem os demais, mas é um questionamento válido.Somos tão reticentes em acreditar no que é descrito na Bíblia, mas não somos tão reticentes assim em acreditar na história antiga que nos é ensinada, tendo esta tanta evidência sobre sua veracidade quanto a Bíblia (se tomarmos tais afirmações como verdadeiras).

    Porém é inegável que a Bíblia foi e muito influenciada por quem a escreveu e por valores morais da época e tem suas contradições etc.E foi também editada pela Igreja.

    http://br.answers.yahoo.com/question/index?qid=20100728101905AA0Ws70

    Sei que colocar um link para uma pergunta da Yahoo para uma discussão é bem mixa, mas é o que tem pra hoje...

    O comentário do usuário Ezra é bem interessante apesar dele parecer suspeito para falar (parece ser judeu).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De fato somos mais reticentes em acreditar na bíblia. A diferença está na plausibilidade dos acontecimentos relatados, como Alexandre e Jesus. Alexandre, por exemplo, viveu alguns séculos antes de Jesus e relatar documentos em ambas as épocas não era comum. Suas conquistas deixaram evidências, como vestígios do império macedônico ao longo das batalhas e regiões anexadas, e que são investigados pelos historiadores minuciosamente e tomados como evidências.
      Por outro lado, investigar milagres relatados na passagem de Jesus pela terra se torna um trabalho quase impossível, pois andar sobre a água, curar os leprosos e transformar água em vinho tendem a não deixar vestígios, a não ser os testemunhos das pessoas da época, que eram facilmente impressionáveis, para ser generoso.
      A bíblia pode sim relatar acontecimentos da época (ou de algumas gerações passadas, sabidas por histórias contadas pelas gerações, como na brincadeira do telefone sem fio), afinal as pessoas eram contemporâneas aos fatos, mas não entendo como isso torna a bíblia mais confiável que as revistinhas que relatam fatos contemporâneos também. Tomemos o Capitão América e os nazistas, por exemplo. Os nazistas existiram, mas isso não significa que o Capitão existiu também. Os fatos da bíblia podem sim ter sido comprovados, mas isso não garante que foram obra do sobrenatural, como você mesmo disse (a não ser que se encontre uma cobra falante ou uma fonte de vinho).
      Também não sei se a bíblia tem mais comprovação do que a história tradicional, nunca tinha ouvido falar disso antes. Gostaria até de saber sobre quais acontecimentos bíblicos essas pessoas se referem. Se for sobre a arca de noé, por exemplo, mudará muito minha forma de pensar. Mas se for sobre uma seca que durou anos, ou sobre uma chuva diluvial, ou alguma batalha, serão apenas fatos aleatórios relatados pelo povo da época em seus 'documentos', como um jornal.
      Gosto de pensar da forma que você disse: "O homem fez Deus à sua imagem e semelhança" e também achei interessante a colocação do Ezra, sem ressalvas. Convido-te a assistir um video relacionando o Jesus com outros traços de mitologia pré-cristã, porém a qualidade não está tão boa :\ Só achei esse legendado.

      http://www.youtube.com/watch?v=-YRViJjxjiA

      Excluir
    2. As religiões costumam ter traços em comum mesmo, mas não acho esse documentário uma fonte muito confiável é muito simplista.E os mitos que eu conhecia sobre Hórus e Ísis eram diferentes do apresentado pelo autor e mesmo se ele tiver embasamento para sustentar essa versão agir como se ela fosse a única me soa meio anti-ético.
      Não assisti ao documentário todo, apenas a parte que você indicou, mas já tinha ouvido falar dele e de seu conteúdo, que se não me engano envolve também a teria de conspiração das teorias de conspiração, que nada mais é resumidamente o fato de o mundo ser controlado por uma elite (dã) que pretende em algum momento (próximo dizem) exterminar a maior parte da população e implantar a Nova Ordem Mundial.
      Bom que a maior parte da riqueza do mundo pertence a um pequeno grupo de pessoas que detém muito poder e informação, todos sabemos.Agora se eles são satanistas, ocultistas, aliens ou o escambau (a partir daí o povo viaja) não dá para saber e no final das contas acho menos importante.Tenho mais medo do que as pessoas podem fazer pelo suas crenças do que das crenças em si.
      Esse é o bônus/ônus da internet.Por um lado democratiza a informação e por outro, dando o poder a qualquer um de difundir a informação que quiser, diminui a qualidade desta e no final das contas continuamos sem saber muita coisa.Eu falei por alto sobre alguns pontos dessa conspiração tão em voga na internet, se você quiser "saber" mais cabe a você, não acho uma leitura saudável e dependendo da pessoa ela pode te deixar meio zureta...Rsr

      Excluir
    3. O que causou o boom dessas teorias foi o Card Game chamado The New World Order (ou algo assim) lançado em 95, mostrando várias acontecimentos, alguns dos quais se realizaram como os atentados de 11 de setembro.O engraçado é que esses cards foram baseados em uma sério de livros que segundo dizem não leva sua própria história à sério, com os personagens questionando a veracidade da mesma.
      E depois disso as cada vez mais freqüentes e perceptíveis simbologias em filmes, com o destaque para o olho de Hórus que se encontra na nota de um dólar.
      Vejo também uma possibilidade que os teóricos não falam (por não ter tanta graça quanto um apocalipse) de que isso parte da tão utilizada política do medo estadounidense.Os atentados de 11 de setembro ocorreram depois do lançamento do jogo de cartas, quem quer que tenha realizado os tentados (eu acredito mais na teoria de um trabalho interno) pode ter escolhido os locais justamente por isso.A maioria da população ficou com medo por que foram atentados, oras, e a outra parcela a de conspiracionistas, também ficou ao ver a "comprovação" de suas hipóteses.
      Porém é inegável que essa teoria e suas versões são aterrorizantes mesmo, eu mesmo sou muito sugestionável, acredito em tudo e depois tenho que parar e racionalizar o que há de concreto sobre as afirmações que são feitas, o que para falar a verdade é muito pouco.Mas o pouco que se pode observar já é estranho.
      Existe um vídeo que eu acredito ser real já que não foi desmentido e por eu já ter visto várias fotos do local onde foi filmado de várias épocas, e de haver inclusive fotos antigas com as pessoas vestidas para esse ritual.
      É um ritual que foi chamado de "Cremation of Care" (Cremação da preocupação)e o texto "dito" em inglês pelo boneco sendo sacrificado confirma essa intenção.Ele ocorre no Bohemian Groove que é um clube do qual vários políticos, presidentes, inclusive, dos Estados Unidos já foram membros, além de mega-empresários de vários tipos.O vídeo foi gravado e incluído no documentário de Alex Jones (que para mim tem charlatão escrito na testa).E o que eu acho curioso é como ele conseguiu entrar em um lugar que, convenhamos, deveria ser mais protegido.Porém um vídeo antes desse foi feito não do ritual mas da coruja em frente da qual se realiza, só que na parte do dia.
      O criador dos Simpsons se não me engano já foi a uma dessas reuniões e ao ser perguntado disse que não passava de políticos e mega-empresários aproveitando a privacidade e o tempo de descanso para se comportar como adolescentes de fraternidade, bebendo, mijando nas árvores, vestindo capas e fazendo o tal ritual, o que bate com o nome "cremation of care".Sabe aquele vídeo recente do bolo representando uma africana faminta agonizando?Imagina algo do tipo só que em escala muito maior, é bem isso, só que parece uma brincadeira de péssimo gosto sendo levada com seriedade.
      Enfim, se você não for muito impressionável veja você mesmo é só jogar "Cremation of Care" no Google ou Youtube e vários vídeos aparecem.Falam muito também do Bildenberg group, mas essas são reuniões sérias feitas à portas fechadas do qual não existe nenhum vídeo que eu saiba.

      Excluir
    4. Concordo que a abordagem do video é sensacionalista, eles jogam uma enxurrada de dados para impressionar e não dar tempo de raciocinar e separar o que pode ser sensato do que pode não ter embasamento. Eles porém disponibilizaram um documento com as fontes usadas, é bastante extenso e eu não tive tempo (e nem disposição rsrs) para conferir. http://www.stellarhousepublishing.com/zeitgeistsourcebook.pdf

      Vi que existem alguns outros videos em que essa mesma organização Zeitgeist fala de conspirações, mas ainda não tive tempo de assistir. Vou me aprofundar nessas questões e deixarei o cremation of care na minha playlist para olhar em breve.
      Assisti agora, bem superficialmente, algumas cenas dos videos (spoiler). Acredito que sempre há uma explicação lógica, física e matemática para tudo nesse mundo. As coisas mais impressionantes que podem existir nesses em são efeitos visuais e truques. Imagino que esse ritual seja apenas um desses que os puritanos ingleses praticam com seu clubinho especial desde a migração para os EUA, com pessoas selecionadas. Até eu conhecer melhor o assunto, vou tomá-lo como clube do bolinha rsrs
      Humanos tem uma tendência muito forte de achar padrões nas coisas, e tentar encontrar uma tendência. Creio que daí surgem as teorias.
      http://www.cremationofcare.com/images/bohemian_grove/nat_press_club.PNG

      Os padrões encontrados nesses olhos de Horus podem ser só coincidência, afinal, é uma imagem bonita e facilmente reproduzida. Sou um cético incorrigível, e ainda não conheço o assunto para temê-lo rsrs
      E que bolo é esse da africana?

      Excluir
    5. http://www.youtube.com/watch?v=eivcagwvbQk&feature=related

      Esse é o bolo.Existem controvérsias se isso foi racismo ou não.De qualquer forma é de péssimo gosto.

      Quanto ao vídeo do Bohemiam Grove, não duvido muito de sua veracidade.Existem vídeos de politícos que ao serem perguntados sobre ficam muito sem graça.O Bill Clinton por outro lado já foi questionado sobre e respondeu "Bohemian Grove?Aquele lugar onde republicanos ricos correm pelados?".E há boatos de que contratam garotas e garotos de programa em um estilo bem "De olhos bem fechados".

      Então sobre algumas atividades do clube não tenho muitas dúvidas, tenho sim dúvidas sobre a finalidade delas.

      E também é sabido que americanos, principalmente os ricos adoram uma sociedade secreta.

      O problema é que as pessoas que geralmente questionam isso não são muito espertas, nesse vídeo por exemplo (já encontrei versões melhores) o carinha faz perguntas válidas, mas as faz como se fosse um maníaco (nervosismo acho, se falasse normalmente seria levado mais à sério, mas talvez ele já soubesse o que aconteceria) e a polícia o retira de lá, o que é estranho considerando que os EUA é um país que prega liberdade de expressão, e violar a liberdade de expressão de alguém por "estar falando alto" não convence.Nenhuma explicação satisfatória sobre o pq ele foi retirado foi dada.E o curioso é que ele foi retirado logo após perguntar ao Kerry se ele fazia parte da Skulls and Bones (dizem que Bush também é membro desde a faculdade) e ele diz quando estavam agarrando o sujeito "Deixem-me responder essa pergunta", só que ele não respondeu...Rsrsrs!

      O cara depois levou choque e apesar de terem feito um auê por causa disso, o choque foi justificado, ele reagiu.Porém não houve justificativa para a retirada (ou prisão, não sei se tinham intenção de prendê-lo mesmo antes do choque) do cara.E aplaudiram, o que significa que o cara ou era um idiota conhecido ou tinham muitos fãs do Kerry já que era uma palestra dele.

      http://www.youtube.com/watch?v=FJXzohdF-MA

      Excluir
    6. Bom, não sei se realmente é teoria da conspiração, mas o 11 de setembro é muito misterioso e mal explicado! Os prédios caíram como em uma implosão, e os aviões não poderiam provocar uma queda assim, no mínimo, eles deveriam ter caído de lado... Fora que as vigas estavam cortadas, segundo a perícia! Os prédios (mesmo com a quantidade espantosa de mortes) estavam muuuuuuuuuuuuito mais vazios do que o normal pra um dia daqueles, como se já tivesse sido esvaziado antes, ou combinado com a maioria dos frequentadores... Estranho, no mínimo estranho...

      Excluir
  5. Excelente texto, aliás como sempre. Tenho pena que o blog não seja atualizado mais frequentemente mas entendo. A vida pessoal também existe.
    Parabéns pelo trabalho.
    Miguel 21, Portugal

    ResponderExcluir
  6. Eu imagino Deus como um ser superior,tão superior que é inexplicavel.Ele não diminiu o sofrimento da humanidade porque o ser humano é um bicho acomodado,ele presisa cair pra aprender a se levantar.Quando ouço esse papo de que,para Deus,eu sou uma abominação,não me ofendo e nem culpo quem usa esse argumento já que isso é o que ta escrito da na bíblia e se você acredita nela você segue,livro que eu vejo como a fábula mais bem escrita da história.No entanto,usar esse livro como base pra guiar a vida de uma sociedade inteira??? porque eu tenho que seguir se não concordo? É como propor uma lei baseada em livros como Harry Potter ou O Senhor do Áneis,não peço que concordem com a homosexualidade(pq eles teimam em usar homosexuaLISMO?)mas incentivar um cara a me acertar com uma lâmpada fluorescente na cara é um absurdo sem igual.Que gritem dentro de seus templos que eu vou pro inferno por ser uma aberração,mas que fiquem la dentro.

    ResponderExcluir
  7. Olá,

    Também sou ateu,isso a um bom tempo. Em relação a você ter dito que 'deus' seria a origem, uma energia ou massa que originou tudo, ou o próprio universo, tem um documentário que é ótimo e bem esclarecedor! :D
    http://www.youtube.com/watch?v=G6LFS4-zEbg
    Da uma olhada quando tiver tempo ^^

    Adoro o blog

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado por ler e pela indicação!
      Vou deixar o video na playlist para assistir em breve, adoro esse tipo de coisa.
      Só me dá uma aflição de ouvir o Stephen Hawking falando com essa voz de computador rsrs Pelo menos existe como ele exteriorizar seus pensamentos, imagine todas aquelas ideias maravilhosas presas dentro de seu corpo! Seria um desperdício.

      http://www.youtube.com/watch?v=-XLgpReEkLc

      Excluir
  8. N.B. Adoro este blog! É um dos meus refúgios, pois sempre vejo que mesmo me sentindo sozinho, não sou o único a passar por isso. Eu acredito em alguma força, sei lá o quê, que deu origem a tudo mas, óbvio não sei explicar nem comprovar nada e acho que ninguém também.
    Não gosto de me fazer de vítima mas minha vida já é bastante complicada para eu me preocupar com as opiniões dessas pessoas fanáticas seguidoras de bíblia. Estou no armário minha vida toda, tenho que responder constantemente perguntas estúpidas sobre porque um homem tão bonito não tem uma namorada, porque não saio tanto etc... já disse aqui no blog uma outra vez que não sei minha reação se citarem perto de mim essas passagens bizarras de bíblia! Jamais mudaria minha maneira de ser só porque está escrito em um livro que eu sou errado. Cara, eu sou assim desde que me entendo por gente. Sou honesto, formado, trabalho,sou bom amigo, não sou promíscuo... Baseado em que argumento outro ser humano pode me julgar diferente pelo simples fato de me sentir atraido por homens? Isso não afeta a vida pessoal de ninguém em nada, ao contrário da minha que está desmoronando a cada dia que passa por não poder mostrar quem eu realmente sou e jamais me sentir completamente feliz. Onde vou encontrar forças para suportar tanta pressão de todos os lados? Às vezes acho não vou aguentar! Não quero parecer dramático em demasia mas alguém já se sentiu assim? Sem conseguir entender porque pra gente é tão difícil? Eu sei que todos tem problemas, mesmo não sendo gays, mas isso não torna minha carga menos pesada. Para encerrar, sempre que eu puder tentar abrir os olhos de alguém a respeito da homossexualidade, sem me expor muito, eu vou tentar. As pessoas precisam se olhar mais com o coração e jamais julgar ninguém baseado em bíblia ou seja lá o que for. Pessoal, desculpa o desabafo mas o dia dos namorados está chegando e pra variar vou passar sozinho como sempre. Ai ai!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara, sai dessa! Pelo que você descreveu, você é um cara independente, boa pinta e super gente boa! Vá curtir a sua vida antes que você acabe seus dias em um asilo qualquer tomando uma sopa fria temperada com o amargor da felicidade não vivida! É certo que nos incomodamos com o que as pessoas pensam de nós, mesmo que não admitamos, mas se tem uma coisa que aprendemos com nossa orientação sexual é a sermos fortes, ainda que não notemos... rsrsrs !
      Seja forte, encare a vida, as pessoas e guarde os momentos felizes!

      Excluir
    2. Senhor anônimo, tenha certeza que não é somente vc que tem vontade de desabafar por aqui às vezes, ou que se sente desesperado. Eu, por exemplo, me encontro sem rumo frequentemente, mas não por causa da sexualidade e sim pelos rumos que minha vida tem tomado.
      Gosto de pensar que é mais difícil para nós porque somos especiais, ou melhores (alô egocentrismo). Você não tem as respostas das suas questões como 'porque é mais difícil para nós'. Perceba que pelo menos você questionou e se encontra no processo de pesquisa, conhecimento e auto conhecimento para respondê-la. Isso é uma oportunidade que somente você terá para o crescimento e amadurecimento, ao contrário daquele amigo ou primo não instruído que adora te perguntar sobre as namoradas, pois ele se encaixa ou se acomodou com essa forma de organização social perversa. É seu dom e sua maldição (poético neh? rsrs) e estar aflito no processo é normal.
      Quanto ao dia dos namorados, siga os conselhos do anônimo acima de mim =) Achar a metade da laranja é questão de tempo e oportunidade. Você está se dando a oportunidade?
      Um abç.

      Excluir
    3. Anônimo e N.B. obrigado pelos conselhos e pela resposta ao meu desabafo. Ainda é muito importante pra mim esssa troca de informações que temos aqui no blog. Já tenho 29 anos e ainda tenho vários conflitos e medos. Valeu pela atenção!
      Alguém sabe ou já ouviu falar de algum tipo de terapia em grupo para gays onde o sigilo é mantido? Será que isso seria possível?

      Excluir
    4. Anônimo, já passei por tudo isso que você passou e sei como é ruim. Olha, eu sei que você já leu isso e colocar algo em prática é muito difícil.


      Mas como é uma verdade, vou repetir algo que você já deve saber: por mais difícil que seja falar para os pais ou algum amigo, por mais que venha um período muito nebuloso, é um alívio se livrar das mentiras.

      Sério, você fica muito mais leve.

      Também sou como você, formado, tenho um bom emprego, não sou promíscuo, nunca dei trabalho para minha família, nunca fui certinho, mas digamos que eu tenho um comportamento exemplar. Sou um jovem normal, gosto de sair com meus amigos e me divirto muito, mas nunca fumei nem cheirei nada e não sou porralouca.

      Foi uma luta para meus pais perceberem que ser gay não iria me transformar em nada disso. Outra dificuldade é eles entenderem que você não está virando ou se transformando em algo. Você já era, eles que estão sabendo agora. E ao longo desse tempo, nunca tiveram problemas fora do comum com você.

      Não é fácil colocar isso na cabeça das pessoas.

      Agora, vale uma ressalva. Temos que tomar cuidado com o nosso discurso porque às vezes parece que estamos dizendo que quem fuma uma erva ou bebe loucamente merece sofrer ou merece menos compaixão.

      Eu não sou assim e não acho saudável, mas todos temos livre arbítrio para escolher o que queremos. E, às vezes, nem temos domínio sobre certas coisas. Isso não nos torna melhores ou piores do que ninguém. Nem deveria interferir na questão da aceitação.

      Sei que não é essa sua opinião, eu entendi muito bem o que você falou. Mas senti que era bom fazer esse comentário para refletirmos.

      Abraços e espero que fique bem. Qualquer coisa, manda um email >> lucas.armariobh@gmail.com

      Não conheço nenhum grupo de terapia como você falou, o mais próximo disso é o Projeto Purpurina ou Projeto Purps, vinculado ao Grupo de Pais de Homossexuais (GPH). Dá um Google!

      ;)

      Excluir
  9. Muito bem escrito, você é o quê? Engenheiro com alguma especificação relacionada a língua portuguesa?
    Estou no ensino médio e penso em fazer Engenharia Química. Espero chegar a ter a metade da compreensão dos mais diversos assuntos aos quais eu imagino que você tem uma opinião bem concreta.
    Quem sabe se eu fizesse algo relacionado a materiais... Eu poderia quebrar esse armário que tanto me aflige.
    Ass: RN

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Engenheiro de Línguas.
      Acho que nunca falei minha especialidade no blog, prefiro manter assim. Só tive aulas regulares de português e redação no ensino médio. Depois do vestibular fiquei 3 anos sem nunca escrever um texto até o blog. Acho incorreto o estereótipo de que engenheiros são primatas linguísticos. Muitos dos meus colegas escrevem bem e argumentam bem, só não se dão a oportunidade. E obrigado pelas palavras =) Boa sorte com a química, materiais é uma área muito promissora! Prepare para a física quântica e as implicações filosóficas dela rsrs
      Um abç.

      Excluir
    2. O N.B. trabalha em uma fábrica de consolos e não quer que vocês saibam, rs...

      (Brincadeira, viu? Apaga não meu comentário)

      Excluir
  10. Sei não... Morro de medo deste mundo em que vivemos. Apesar de toda essa liberação, tenho medo de um dia haver um levante reacionário mandando tudo para o lixo. Imagine se eu me revelo para o mundo como gay antes disso, sou pego por esse movimento conservador e passo a vida inteira amargando ostracismo e preconceito [1]?

    [1] Preconceito esse que, segundo os homofóbicos, non ecziste. É que 'homossexualismo' não é normal, e o certo é sermos tratados desse jeito mesmo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, também morro de medo. Se isso ocorresse, poderiam nos dar uma região, como fizeram com os judeus depois da 2a guerra, para que gays e lésbicas vivessem sua pouca vergonhisse longe do mundo "normal". Dali, poderíamos nos organizar, garantir direitos humanos e liberdade de pensamento, desenvolver o país e fazer o resto do mundo nos invejar =)

      Excluir
    2. Não acho que isso vai acontecer e nem tenho medo disso, sendo bem sincero.

      Tenho medo é de morrer e perder a única oportunidade que nos é dada de sermos nós mesmos.

      Excluir
  11. Dando uma de Alberto Caeiro, se Deus é as árvores e o luar e o sol etc., então por que lhe chamo eu Deus? Chamo de luar e árvores e sol... Também observo o caráter deletério da religião organizada. Interessante como as pessoas buscam argumento de autoridade na Bíblia para recriminar a homossexualidade, mas arbitrariamente deixam de seguir outros ensinamentos preconizados por ela. Fornicação, a princípio, não deveria ser um pecado menos grave que a sodomia ente homens. Outra coisa curiosa é a forma como as pessoas defendem a Bíblia: hora ela é "mal traduzida", hora "mal interpretada"; nunca mal escrita! Não faz sentido dizer que o sofrimento advém dum teste divino, se é presumida a omnisciência de Deus. Teste de quê? Controle de qualidade? Isso é risível e implica contradições lógicas absurdas. E esses prognósticos apocalípticos não vêm de hoje. Posso objetar que, se é por conta de desgraça, isso sempre houve e sempre haverá. Bíblia profetizando assassinatos em família, guerras, catástrofes; isso é tão pueril e alveja os mesmos inocentes que se impressionam com horóscopos e suas previsões vagas e óbvias.
    Grande postagem. Estou te seguindo e te lincando. Outra: vou adorar se você der uma passada no meu blog recém criado. ;)

    ResponderExcluir
  12. Entendo perfeitamente sua concepção, mas acho que você poderia pesquisar um pouco sobre espititismo. Nós espíritas acreditamos em um Deus transcendental que, como você mesmo escreveu, permeia todas as coisas. Eu sou químico e acho muito difícil não acreditar que exista uma energia ou força que organiza tudo, principalmente quando estudo bioquímica e toda a organização molecular intracelular.
    Como você, também acho preocupante a atuação de religiões (ou religiosos) que pregam a discórdia e o ódio. Se você procurar, verá que os espíritas só se organizam para fazer o bem. Verá que não existem organizações espíritas que gerem lucro, apenas existem as que fazem caridade, pois nossa fé nos guia a fazer o bem sem olhar a quem. Quanto ao misticismo religioso, nosso primerio guia Allan Kardec disse "Se algum dia, a Ciência provar que a Doutrina Espírita está errada em determinado ponto, abandone este ponto, e siga a Ciência.", mas até agora a ciência só confirma o que acredito.
    Parabéns, você escreve muito bem!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tenho uma experiência muito boa com o espiritismo!
      Há poucos anos minha família enfrentava alguns problemas que, coincidência ou não, foram resolvidos quando uma mulher espírita, amiga da família, interveio. Detalhes à parte, não posso afirmar que os resultados foram obtidos pela intervenção dela no problema ou não. Como sou cético, vou dizer que foi coincidência, mas minha mãe credita muito do resultado ao espiritismo. Ainda gostaria de conhecer sobre a doutrina. Se prega o bem e se, principalmente, faz o bem, me é muito bem vista!
      um abç!

      Excluir
  13. Olá caro N.B.

    Concordo com todas as tuas palavras. A respeito de crença, não sigo nenhuma religião e também não acredito em deus, é claro quem já leu meus pensamentos sabe que sou ateu.
    Mas eu penso que existe sim uma força, não uma força mística, ou um ser inteligente e supremo, mas uma força física mesmo que cria, transforma e recicla tudo no universo.
    A respeito das religiões, como também sempre digo no meu blog, é preciso que nos levantemos para não ficarmos reféns da crença de um outro grupo que não é melhor e nem pior que nós.
    Ahh, as igrejas evangélicas e católicas, mais enfaticamente as evangélicas tem pregado o ódio e a perseguição contra homossexuais, porque é muito mais interessante para religião um homossexual deprimido e excluído da sociedade do que dois homens gays felizes juntos. Imagine só, sendo excluído e perseguido, logo este vai querer acabar com esse problema. Não encontrando cura em lugar algum, porque não existe ele irá até o único lugar que dizem que podem curá-lo "a própria igreja" que o condena por ser como é. E essa por sua vez vai vender uma suposta cura (doutrina do pode e não pode) para uma suposta doença (não é doença mas para os religiosos é mais interessante afirmar que sim). Entende? As igrejas estão se sentindo atacadas com a homossexualidade começando a ser vista com naturalidade, fora que gays procurando uma cura aumentam a arrecadação dos templos!

    Att. Mr. FG
    http://queermrfg.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Uau, quanta coisa. Religião é um assunto que sempre rende bastante. Pulei os comentários para não perder meu raciocínio nem misturar as ideias. Depois eu dou uma lida no que vocês todos estão falando.

    Algumas coisas sobre mim e minha relação com religião, para contextualizar:

    - Minha família toda é católica apostólica romana e tem o costume de ir à missa aos domingos. Não vou dizer que todos, mas é raro eles deixarem de ir.

    - Até uns 20 anos eu era praticamente obrigado a ir à missa. Hoje, com 23 anos, não tenho ido mais, nem minha irmã.

    - Nesse meio tempo, ainda fui várias vezes só porque eu sei que minha mãe (mais até do que meu pai) ficaria feliz e ela se importa. Geralmente é só uma hora e alguma coisa, dá para aguentar

    - Não me considero religioso, não tenho o costume de rezar. Eu digo que sou católico para evitar problemas, mas, a rigor, eu me considero agnóstico. Minha ideia de ser superior também não bate muito com um Deus vigilante. Acho que existe algo maior, alguma força, algum elemento desconhecido por nós e essencial ao mistério da vida. Mas não creio que seja algo que tome partido ou que interfira tanto em nós.

    - Certa vez, com uns 12 ou 14 anos, não me recordo, eu me revoltei em ser obrigado a fazer algo que não queria e disse tudo que eu pensava a meus pais e minha irmã. Eles ficaram escandalizados, fiquei um tempo sem ir à igreja, mas isso gerou um desgaste emocional enorme. Em se tratando de religião, não adianta argumentar. Religião é fé e fé se discute com fé e não com argumentos ou provas. Qualquer resistência é inútil. Voltei a ir com eles e fazendo de conta que nada aconteceu.

    ResponderExcluir
  15. - Apesar disso, minha família não é daquele povo católico fervoroso e certinho. Falam palavrão, brincam, conversam sobre putaria, quando os tios e primos se juntam, é uma anarquia, ninguém deixa de beber por conta disso. Não são radicais.

    - Quando meus pais ficaram sabendo de mim, ao longo de vários meses de processo de aceitação, conversei com três padres, um missionário e passei por duas psicólogas. Pessoas que eram muito ligadas e apegadas à doutrina da Igreja Católica.

    A partir disso, minhas opiniões e comentários:

    ** Estou quebrando os comentários porque eu acho que fica mais organizado do que um bloco de texto gigante. Minha teoria é de que repele a leitura

    ResponderExcluir
  16. 1) "Na semana passada o personagem da DC Comics, Lanterna Verde, foi declarado gay pelos autores da sua revistinha"

    Eu acho isso algo tão desnecessário por conta da forma como tem sido feita. Eu percebo algo como uma "cota gay" e não um movimento natural de aceitação. É como se fosse uma espécie de marketing.

    Hoje todas as empresas gostam de parecer ecologicamente corretas, mas boa parte não é. O mesmo acontece com a diversidade sexual. Para mim, muitas posturas em nossa defesa (não todas, claro) são rodeadas de segundas intenções.

    2) "Eu gosto de ler os comentários em notícias relacionadas aos gays"

    Também faço isso e concordo quando você diz que muitos comentários que nos condenam tentam se fundamentar em religião. Não é à toa, como você também fala, que muitos gays, bissexuais e lésbicas desenvolvem uma enorme aversão à religião.

    "Religião organizada porque essa é a forma de religião realmente nociva, não somente aos gays e outras minorias, mas ao mundo inteiro, passível de controle e manipulação"

    Aqui eu tenho algumas ressalvas. Acho que religião pode ser perigosa sim, mas não mais nem menos do que a mídia.

    Somos seres influenciáveis, mas também não podemos pensar como prega uma teoria comunicacional chamada Bala Mágica ou Hipodérmica. Segundo ela, qualquer estímulo que o emissor aplicar é absorvido sem barreiras.

    Não é assim, somos seres pensantes. Acredito que muita gente tem uma relação de fanatismo com religião que realmente faz mal.

    Mas se você parar para observar, nem mesmo os padres (digo isso com toda a certeza) concordam com tudo que a Bíblia e os dogmas pregam. Quanto mais os fiéis!

    Não sou apegado a religião, mas acho que ela funciona bem para quem tem uma boa cabeça e sabe separar o joio do trigo, numa jornada filosófica de autoconhecimento e amadurecimento.

    Vou citar outra teoria comunicacional (que se aplica às várias mídias e acho que pode valer para a igreja): A Teoria Crítica da Sociedade, da Escola de Frankfurt, elaborada por Adorno e Max Horkheimer. Quem não conhecer, vale pesquisar no Google.

    Em outras palavras, ela prega que somos quase sempre vítimas de uma dominação autoimposta, porque temos a tendência de adotar costumes, morais e ideias só porque eles já estão estabelecidos na sociedade. O ideal seria que cada um desenvolvesse uma postura crítica, de sempre questionar algo ou alguém. Indagar se aquilo realmente é o que parece, se é certo ou errado. Você pode até chegar às mesmas conclusões da massa predominante da sociedade, mas o que importa é que você chegou àquela resposta.

    ResponderExcluir
  17. Conheço o trecho de Levítico que você citou, porque minha mãe já o leu e mencionou para mim diversas vezes.

    É um péssimo argumento, porque todos partimos do mesmo pressuposto que você: Levítico (e outros livros da Bíblia) trazem muitas coisas sem sentido, que não são respeitadas.

    Se alguém aqui já viu Prayers for Bobby (e não cortou os pulsos) vai ver como é difícil para uma mãe ou para qualquer outra pessoa religiosa questionar a própria religião. A psicologia explica melhor esse medo, mas não vamos alongar tanto a conversa.

    Só que mesmo quem não quer questionar a Bíblia ou a religião, normalmente faz algo que vai de encontro.

    Acaba que, no fim, a religião dita alguns princípios e costumes. Mas muitos fiéis acabam escutando e seguindo o que querem. Não estou dizendo que a Igreja Católica ou qualquer outra religião sejam inocentes, mas também creio que religião é usada como desculpa por não saber lidar com o próprio preconceito contra qualquer minoria ou grupo que seja.

    Falando sobre a Igreja Católica agora, eu volto a falar do "marketing da diversidade sexual". Passei por três padres e percebi o seguinte discusso:

    A Igreja, agora, não condena mais os homossexuais e eles não são pecadores. Mas a homossexualidade a diversidade sexual são pecado, coisa do DJYABO, do capeta. Somos coitadinhos, almas sofredoras, que foram abatidos por esse mal e não temos culpa, mas devemos reprimir ou lutar contra isso e contar com o apoio da religião.

    Em outras palavras, nos tira da posição de pecadores e nos coloca como doentes. Essa guerra, pelo menos, vencemos em 1973, quando a Associação Americana de Psiquiatria deixou de caracterizar a diversidade sexual como distúrbio mental.

    Curioso é que as duas psicólogas com as quais lidei eram religiosas, tinham costume de ir à missa, pertencentes à Igreja Católica, mas questionavam muitas coisas. Sabiam separar o joio do trigo. Nenhuma das duas tratava a homossexualidade como doença ou achava que eu deveria reprimir isso.

    A primeira que fui, pasmem, era especialista em reversão de sexualidade. Mas só iniciava o tratamento caso o paciente pedisse e ela sentisse que ele realmente desejava aquilo e não algo forçado por pais ou terceiros.

    A segunda era uma psicóloga normal (rs). Uma vez, tivemos uma conversa interessante. Ela me disse que como a Igreja parte do princípio que sexo é apenas para procriação e dois homens não procriam, logo a igreja estaria condenando o sexo e não a diversidade sexual.

    Perguntei a ela: "Então eu posso ser gay, desde que não faça sexo. Se eu apenas beijar meu namorado e gostar de fazer e receber carinhos, sem nenhum ato sexual, a Igreja não condenará nossa postura?"

    Ela não soube responder, mas admitiu que nunca tinha pensado nisso e iria perguntar a algum padre. Nem ela lembrou e nem eu voltei a tocar no assunto, mas acho que é algo para ser "investigado".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Alô dissertação!
      Uma ressalva sobre as ressalvas: considero as religiões organizadas mais perigosas do que a mídia pelo simples fato de que o que é imposto/divulgado por um é mais fácil de ser questionado do que o imposto pelo outro. A mídia tem concorrentes, tem verificação de fontes que cada um pode fazer por si (ainda mais hoje com nosso bff google). A religião organizada te diz X e X é a verdade; questioná-la é errado e deus está vendo se você questiona, portanto a conformidade é mais comum nesse caso.

      Concordo que as filosofias propostas por algumas religiões são belíssimas! Teorias de comunicação à parte (ta na minha lista de estudos para as férias :P), fico feliz quando vejo que pessoas que se declaram religiosas também dizem que não concordam cegamente com tudo o que é dito nos cultos e missas. Gostaria de ver o dia em que mais e mais pessoas aprendam a separar o joio do trigo (alô expressão bíblica) e que os líderes das religiões organizadas passem a jorrar menos joio das suas lideranças, ao perceberem que estão falando abobrinhas e que não estão sendo levados a sério :p Como dito, fé se debate com fé e cada um acredita no que torna sua existência mais confortável.

      Lucas, só faltou você ter sido levado ao exorcista neh? Acho que você poderia estender sua experiência com a psicóloga homo-curativa num post, que tal?

      Obrigado pelas sábias palavras.
      abç!

      Excluir
  18. N.B., vc não é ateu. Você é deísta. Veja esses links e depois me diga se estou certo. :D

    http://pt.wikipedia.org/wiki/De%C3%ADsmo

    http://www.allaboutphilosophy.org/portuguese/deismo.htm

    http://www.youtube.com/watch?v=if4dvKYEViI

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bastante interessante.
      Sinceramente eu não conhecia essa definição, e digo que sou ateu para resumir a minha posição. É mais fácil do que ter que explicar tudo e é bem aproximada >;F
      Pelo que li, não tenho certeza se me encaixo como deísta. Ali diz que existe um criador não interventor, enquanto eu não acredito em criador, nem na possibilidade de intervenção e nem em qualquer experiência mais próxima de deus, mesmo que valha somente para si. O baseamento lógico e material, em contraste com o metafísico, se encaixa.
      O uso da palavra criador infere intencionalidade no ato. Para mim, este universo é apenas uma feliz (ou infeliz, dependendo do ponto de vista :P) obra do acaso; inúmeras coincidências tiveram que ocorrer para que estivéssemos aqui hoje, como humanos, pensando sobre o universo e a origem =)

      Excluir
  19. Lucas, o Lanterna Verde foi uma jogada de marketing escrota da DC Comics; foi ridículo poiso personagem não tinha um background que embasasse essa mudança de característica nele: seria melhor que tivessem criado um novo Lanterna Verde pra isso... Mas quem é do meio (NERD) sabe que foi pura concorrência com a Marvel - essa sim, com um personagem com todo um histórico e de 1º escalão, atualmente - que tinha anunciado o casamento gay de um de seus super heróis (Estrela Polar).

    ResponderExcluir
  20. Oi, tô aqui de novo!...
    Em relação ao Lanterna Verde, só fiquei sabendo agora, e, pra mim, não tem nada a ver, também acho que é só marketing.
    Sobre o resto... bem, eu sou cristã, heterossexual (até onde eu sei, pelo menos, rs) e não me considero com a mínima autoridade pra julgar você ou quem quer que seja. Isso é uma coisa que a gente aprende cedo - ou, pelo menos, deveria aprender: "não julgar". Eu ainda tento seguir isso, não sei quanto aos meus coleguinhas da escolinha dominical.
    Como o Walmir Neto bem colocou, acho bizarro o modo como algumas pessoas usam a Bíblia para condenar algumas coisas triviais enquanto deixam de cumprir ensinamentos importantes, como o amor ao próximo. Religião não devia pregar o ódio. Tem uma passagem bíblica que eu gosto muito, acho que todo mundo conhece, mas alguns parecem fazer questão de esquecer: "se eu não tivesse amor, nada seria".

    ResponderExcluir
  21. Luna, tem muita coisa que é esquecida.

    Por isso que acho complicado religião... cada uma tem a sua palavra de Deus e ensinamentos, mas quem faz as interpretações e escolhe quais trechos devem ser ressaltados e quais são omitidos é o homem.

    Aliás, algo que muito me incomoda nas missas (e posso falar porque eu ia MUITO) é que nas três leituras (1ª leitura, 2ª leitura e Evangelho) existem cortes abruptos nas passagens.

    Não é sempre, mas muitas vezes têm cortes. Você percebe porque naqueles jornaizinhos para acompanhar a missa, têm os versículos.

    Aparece algo assim mais ou menos:

    João, cap 5, v 7-9; 12-15; 19

    ResponderExcluir
  22. olha
    se tem uma coisa que não gosto é discutir religião, mas como aqui não é discussão me sinto um pouco melhor. Concordo com o Lucas quando disse que fé se confronta com fé, mas mesmo assim, várias pessoas acreditam no que é mais fácil para ela, sendo assim não tem como os mesmos versículos bíblicos serem usados para diferentes argumentos.
    mas fugindo desse caso ^^
    Lucas você muito bem podia fazer como o NB disse né e se acercar dessa psicóloga (que precisa de psicólogo) especialista em alteração sexual ou algo assim.
    abraço a todos

    ResponderExcluir
  23. Bom, eu sou espírita e acredito num deus de infinita bondade e justiça, onipotente, onipresente, onisciente, criador de tudo etc e tal. Acredito que somos seres espirituais que tivemos um princípio, mas que não teremos um fim e a nossa atual existência na Terra é apenas uma de muitas existências que têm como objetivo nos tornar pessoas melhores, tanto intelectualmente como moralmente.

    Entre outras coisas, me sinto bastante realizado nesta religião por ser uma das poucas que entendem que o amor entre homossexuais não é diferente do amor entre héteros. Existem, claro, pessoas conservadoras que podem julgar mal alguém por ser gay, mas garanto como não é esse o princípio da doutrina espírita.

    Em todo caso, eu tenho a mente aberta e sei que cada um deve escolher o seu posicionamento quanto a religião e Deus de acordo com os seus pontos de vista.

    Não gosto muito de ficar criticando a crença dos outros, mas, como a homofobia também me atinge, é inegável dizer que eles deveriam refletir bem mais antes de ficar propagando esses discursos tão agressivos, que só fazem promover a violência. As Igrejas deveriam admitir que as leituras da Bíblia são meramente interpretativas e passíveis de correção. A Terra não fica no centro do Universo, ela tem mais de 4 bilhões de anos e certamente não houve arca grande o suficiente para caberem todos os animais do mundo. Ficar se apegando a certos trechos só demonstra como eles são retrógrados. Era melhor terem ficado no amor ao próximo e esquecido todo o resto.

    ResponderExcluir

#HTML10{background:#eee9dd ;}