Google+

sábado, 22 de outubro de 2011

A causa da homossexualidade

    Não. Não foi aquele amiguinho com quem você teve experiências sexuais na infância. Nem falta de figura masculina em casa, nem mãe super protetora, nem influências da Xuxa, ou suco de manga com ovo que você tomou. Também não é qualquer outra explicação baseada em folclore que você provavelmente já ouviu.
    Antes de divagar sobre as causas, porém, precisamos desvincular duas coisas altamente relacionadas nos nossos conceitos: orientação sexual e excitação sexual.
    O primeiro vem da necessidade do homem de colocar coisas parecidas em grupos. Mesmo que não seja aplicável a tudo, fica mais fácil lidar com grupos do que com uma infinidade de nuances, como é cada pessoa quando comparada a outra. Daí, colocamos todos os que tem relações sexuais com o mesmo sexo, independente da frequência, num grupo chamado 'homo'. Senão, cai no grupo dos héteros. A intersecção dos dois é o grupo dos bi mas que na prática é tratado como se fosse um variante do grupo dos gays, pois também sofre olhares tortos.  
    Classificar alguém a si próprio como homossexual vem nessa necessidade de colocar excitações sexuais parecidas em grupos. Mas essas classificações são absolutamente dinâmicas, e portanto parece meio contraprodutivo continuar fazendo essas classificações, exatamente porque tem dias em que nos sentimos mais gays, ou mais assexuados, ou mais héteros, de acordo com as definições tradicionais.
    Homo, hétero e bi são frutos das definições que criamos para tentar organizar o mundo. São frutos de uma convenção, assim como todas as coisas que organizam o pensamento, pois precisamos de um ponto de partida para estruturar o pensamento. A convenção ajuda no tratamento de um grupo e na sua hierarquização perante a outros. Fica mais fácil, dessa forma, apontar um comportamento que deva ser encorajado, enquanto o outro não.
    A excitação sexual, por outro lado, é um fenômeno físico e é observável, diferentemente das orientações, que são abstratas e existem na nossa cabeça. A excitação apenas acontece ou não, e não deixa dúvidas quando acontece. Uma excitação sexual pode ser o critério que classifica uma pessoa em um daqueles grupos, e pode ou não ser socialmente aceita. Pés, árvores e o mesmo sexo não são fontes de excitação socialmente encorajados, e inclusive alguém pode chamar os 2 primeiros de transtorno por serem incomuns.
    E nós, como humanos, nascemos susceptíveis a sofrermos excitação sexual de infinitas fontes, dentre elas nosso próprio corpo, nosso próprio sexo ou o oposto, pés, árvores, etc etc. A moralidade (conjunto de convenções de certo e errado) se encarrega de depreciar alguns grupos que fogem do padrão 'certo'. E como todo desvio do padrão demanda uma explicação, com a homossexualidade não foi diferente e surgiram causas fabulosas para tentar explicá-la. Seguiram-se, então, anos de discussão sobre o que leva um pobre e inocente menino ou menina a se sentir atraído pelo mesmo sexo, incontáveis teorias e tratamentos criados para se resolver o 'transtorno', que no fundo é apenas uma categorização de um dos muitos comportamentos naturais que exibimos.
    Homossexuais existem exclusivamente porque alguém categorizou essa excitação pelo mesmo sexo. A excitação acontece porque temos necessidades biológicas, assim como fome e sono, e nosso corpo não tem a capacidade de filtrar o que nos excita sexualmente, assim como não tem a capacidade de recusar comida quando temos fome. A verdadeira causa da homossexualidade, assim como de outros os outros conceitos humanos como heterossexualidade e bissexualidade, é dada por um simples motivo, que também explica porque temos fome e porque dormimos: somos gays simplesmente porque somos humanos. 

Uma explicação negligenciada em demasia, talvez por ser simples em demasia? 

Um grande abç,
N.B.

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

aliados do pecado

    Pegando um gancho no último post, se na internet encontramos todas as informações e ajuda para os assuntos pelos quais temos vergonha de pedir por ela ou vergonha de conversar com as pessoas que conhecemos, também encontramos o exato oposto.
Dando uma viajada pelo Google, encontrei alguns sites que diziam querer ajudar homossexuais a se curar, através da palavra do Senhor.

"Se não quer ser assim, acredite, você pode e vai mudar. Você não nasceu gay, você se tornou gay. Deus ama os homossexuais, mas abomina o homossexualismo, e quer curá-los."

  Achei a premissa tão interessante que entrei em contato com o autor de um desses blogs, respeitosamente com uma pergunta: 'o que o motiva a escrever e por que esse tipo de pensamento'. A resposta foi a seguinte.

"O objetivo do blog é ajudar as pessoas que querem deixar de ser gay, se a pessoa quer ser gay, que seja, agora se a pessoa não quer ser gay ela tem o direito de encontrar ajuda. O pensamento vem das histórias de todos os homossexuais egodistônicos que tiverem algum trauma da infância, participaram de brincadeiras sexuais na infância, tem algum complexo em relação ao corpo, sofrera alguma influencia, tiveram pai distante ou não carinhoso, mãe superprotetora, etc. entre outros fatores ambientas que os levaram a sentir os desejos homossexuais. Se a pessoa deseja deixar de ser gay ela precisa identificar o que a levou a sentir isso e tratar estes fatores.
Eu agradeço o contato. Se tiver mas alguma duvida confira os posts do blog."

    Fiquei surpreso com a resposta. Geralmente, autores desse tipo de blog ignoram quem questiona o que ele faz, colocam moderação de comentários e etc. São quase fascistas. E inclusive aprendi uma nova palavra: "egoditongo" do caso reto, mas não obtive a resposta para a motivação, apenas do objetivo. 
    A questão é que, como dito e repetido no nosso blog N vezes, a ditadura da sexualidade unipolar criminaliza outras manifestações da sexualidade. Não há nada de errado em se sentir atraído pelo mesmo sexo, por que isso nos é natural (natural biologicamente, não somos nada mais que animais que tem consciência sobre si próprios, deixando de lado o debate sobre 'conceitos' naturais). E quando digo nós, não somos nós gays, mas nós humanos. 

    O errado está na nossa cabeça. Certo e errado são conceitos temporários e regionais. Em algumas culturas, é aceitável matar por honra. Na nossa, matar é errado em qualquer circunstância. Portanto, debater sobre causas de uma coisa natural é contraprodutivo. Não faz sentido refletir sobre as causas da diversidade da sexualidade, assim como não faz sentido refletir sobre as causas da fome.

    Temos fome e nos sentimos atraídos pelo mesmo sexo exclusivamente por um motivo: somos humanos.

    Por outro lado, já dizia um famoso cientista por aí que "é mais fácil desintegrar um átomo que um preconceito". O autor daquele blog, que tem uma opinião divergente da minha sobre uma variedade de assuntos, tem toda sua visão do mundo e sua opinião baseada em, digamos, o que ele aprende na igreja, dados os textos que li. Portanto, quando eu me aproximo e digo para alguém 'tudo o que você sabe sobre o mundo é errado', a pessoa ou me ignora ou me responde com o mesmo: 'não, tudo o que você sabe está errado'. 

    Mas falando a língua de quem é crente, se Deus existe e se ele nos 'criou', Ele não gostaria de nos ver insatisfeitos com sua obra. Afinal de contas, quem somos nós para tentar mudar o que Ele fez? Não estaria o autor daquele blog agindo contra o que ele próprio acredita, ao tentar violar a obra de Deus como ela está?

    Por outro lado, quem lê esse blog pode olhar pra dentro e confirmar que já tentou mudar e direcionar a sua sexualidade para o lado 'correto', e falhou. Não nos cabe escolher quem nos atrai. O que podemos fazer é aceitar e viver em harmonia conosco e com o que Deus nos proporciona: um detalhe, que muda levemente o nosso jeito de amar. E Deus quer que nós amemos uns aos outros, e que nos amemos.

    
    Sei lá, falta humildade nas pessoas (em mim inclusive) para considerar outros pontos de vista, se colocar no lugar da pessoa que você critica e estar disposto a mudar de opinião. De preferência para a opinião 'correta', se é que ela existe...

abçs a todos e bom fds

#HTML10{background:#eee9dd ;}