Google+

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

sexualidade em banda larga

    Alguém já parou pra pensar o que seria das nossas vidas, principalmente a parte sexual, sem a internet? Certamente causariam grande impacto para quem está no armário.
    Eu fico me perguntando como seria se eu tivesse nascido na época errada e não tivesse a oportunidade de, mesmo no armário, viver a minha sexualidade. Aquelas pessoas de algumas décadas atrás que não eram assumidos teriam bastante trabalho para poder fazer o mesmo que eu e ainda preservar a identidade.
    A questão é que, com a internet, temos (1) acesso a informação, (2) a material pornô, além de (3) contato com outras pessoas com as mesmas afinidades. Isso com todo o conforto do anonimato.
    Começando pelo acesso a informação, eu me lembro de quando era criança e as professoras pediam um trabalho qualquer (a maioria era sazonal e em abril sempre tinha um sobre a inconfidência mineira lol). Eu tinha que ir à biblioteca, achar um livro, geralmente aquelas enciclopédias Barsa ou Larousse e copiar ou xerocar. Tempo saudoso... enfim!
    O contraste com a facilidade de acesso à informação de hoje é gigante. Das nossas casas, temos acesso a qualquer tema (que não seja para uso militar), na profundidade e na língua que quisermos. Isso inclui também acesso a informações, opiniões e pesquisas sobre sexualidade e sexo. Não creio que quem estava no armário há 20 anos atrás ia à biblioteca ler teorias e trabalhos sobre homossexualidade...
    O acesso a informação ajuda a mudar a ideia que temos sobre nós mesmos. Se na vida real você ouve por todos os lados que uma sexualidade diversa é errada, opiniões essas baseadas na subjetividade do preconceito infundado, na internet as pessoas tem acesso a trabalhos científicos que provam por A+B que não há nada de errado com isso. Algumas teorias até dizem que quem está errado são os que se definem por uma sexualidade unipolar. 
    A internet dá maior velocidade na moldagem de um pensamento coletivo mais susceptível à diversidade da sexualidade. Internet é informação e informação converge para a sensatez. O que não é sensato é logo contra-argumentado por uma ideia sensata. Mas o que é sensato para alguns pode não ser para outros... Enfim.
    Em segundo lugar, temos o acesso a pornografia gratuita e em massa. Considerando quem está confuso com a própria sexualidade, o acesso irrestrito e livre à qualquer tipo de material pornográfico permite à pessoa conhecer melhor o que a excita, não deixando espaço para dúvidas mas deixa, porém, espaço para negação. Isso pode ser relacionado com a masturbação, o mais íntimo e livre link com a nossa sexualidade, talvez por ser isenta de julgamentos e o acesso a material pornô anonimamente também está livre de julgamentos.
    Em terceiro lugar, o contato com outras pessoas, seja pelo fast foda UOL ou por listas de discussão como este blog. Cada pessoa, com sua individualidade mais particular, pode se identificar com outra e saber que não está sozinha no mundo. Parece cliché, mas isso é muito importante para quem tem conflitos de sexualidade, ou qualquer tipo de conflitos.
    Por último, meu exemplo. Todos os meus relacionamentos com homens foram frutos de situações iniciadas pela internet. Eu, como muitos que leem esse blog, não tenho amigos gays ou vou à boites e lugares dedicados para o nosso público. Isso leva a me perguntar se eu ainda seria um virgem de 21 anos se a internet não existisse. 
    No final das contas, posso atribuir à internet 100% da minha vida gay, apesar de eu estar trabalhando para que esse número diminua (se bem que não tem como aumentar ;) ). Ultimamente ainda tenho usado a internet para investir num relacionamento menos... 'fode e vaza' e achei outras ferramentas que se mostram mais eficientes do que o terrível chat fast foda UOL.
    Mesmo se a internet não for relevante para a vida sexual de algumas pessoas, ela definitivamente causa impacto gigantesco quando é capaz de divulgar ideias sensatas e de tolerância. Pelo sim ou pelo não, somos profundamente privilegiados por poder usufruir dessa ferramenta, independente dos fins.

    Agora, a questão para os senhores: o quanto a internet influencia ou influenciou na sua vida como gay?
Um abç e bom fds =)

34 comentários:

  1. Olá NB
    Antes de mais nada sua terra é muito boa! Gosto muito do clima de BH. Seu blog é muito bom, com um olhar singular sobre a sexualidade e as descobertas que ela nos proporciona. Você é um cara muito inteligente e seu texto é cativante!
    Realmente a internet é um facilitador, se na minha adolescência ela não fosse tão precária talvez eu estivesse tido minha 1ª vez com cara antes dos 22 anos, rsrs. Ela facilita e possibilita o sigilo de quem precisa se preservar!
    Continue com essa trabalho bacana guri.
    Forte abraço
    Ricardo Fernandez
    fernandez.xxxv@gmail.com

    ResponderExcluir
  2. HAHAHAHAHA! Fantástico, mais uma vez.
    A primeira vez que eu ejaculei foi vendo fotos no orkut de uns militares sem roupa (daqueles perfis de quem procura sacanagem)... eu pensei que fosse errado e assustador, eu nunca, nunca tinha sentido atração por fotos de mulheres como meus amigos, que até se masturbavam coletivamente vendo filmes pornôs héteros. Eu ficava com vergonha e dava desculpas para fugir, não era "minha praia". Portanto foi dada a partida de quem sabe o que é, mas até hoje, com 18 anos nas costas não aceita ser assim.

    ResponderExcluir
  3. A internet influência quase 100% da minha vida como gay, a influência já foi bem menor mas hoje em dia não consigo reverter, é bastante complicado. Na minha adolescência era mais ingênuo então fazia o que tinha vontade sem tanto receio, hoje me "escondo", por isso uso a internet.
    Gostei muito do seu texto, Abraço.

    ResponderExcluir
  4. huahuauhauha adoro esse blog cara, minha vida sexual foi iniciada por causa da net, mas gostei tanto da pessoa da mesma forma q ele gostou de mim, ainda continuamos a encontrar rsrs bj grande!

    ResponderExcluir
  5. Não 'perdi minha virgindade' por causa da internet, mas devo à rede minha experiÊncia sexual gay, com toda certeza! Mais de 2/3 das minhas transas foram através de papos virtuais que deram em encontros na vida real, e 3 namoros também começaram comigo conhecendo alguém pelo orkut/msn fakes que mantenho... Enfim, minha vida seria muito mais parada (mas muito mesmo!) se a net não existisse, como era na minha adolescência! Se foi bom eu ter tanta coisa sem sentimento? Não sei, acho que foi, pois me deu muita experiência, mas não culpo a net por isso, e sim o problema da maioria dos gays da minha idade, e que parece estar sendo sanado nessa geração: não ter vivido uma adolescência gay e empurrá-la pra vida jovem adulta, quando se tem independência financeira (na maioria das vezes)...

    ResponderExcluir
  6. Gus- Recife.

    Fala cara, mais um texto bacana pra variar. Bem... como você disse, a internet é "O" facilitador pra quem está no armário. A minha vida gay teve inicio na internet, primeiro so vendo sites e tocando várias; depois, trocando idéias com outros na mesma situação que eu e fazendo parte do processo da minha aceitação, até que culminou no fast- foda do chat UOL. Resumindo, sem a net, eu realmente não faço idéia de como etsaria minha cabeça e minha sexualidade... A propósito, quais "outras ferramentas que se mostram mais eficientes do que o terrível chat fast foda UOL" você encontrou? Pq eu desistí do chta UOL, mas até agora nada de mais interessante apareceu! ahushau... Commpartilha aí!! Fico na espera da próxima postagem, abraço!

    ResponderExcluir
  7. Assim como a maioria, a internet na minha vida foi a responsável pela minha primeira experiência amorosa, a sexual e tbm está sendo pela minha autoaceitação.

    Foi graças a ela que consegui perceber que ser homossexual não é pecado nem crime, percebi tbm que o número de pessoas que passam por esse drama é maior do que imaginava e de que não é fácil, mudar a realidade atual, mas existe várias pessoas lutando para a construção de uma outra realidade, onde não tenhamos que viver escondidos feito marginais por gostarmos de pessoas do mesmo sexo.

    ResponderExcluir
  8. Me descobrir na net conhecir pessoas, toquei algumas(kkk) e me descobrir completamente me deu força. Acho que sem a internet tudo iria ser bem dificil. Ass: Carlos

    ResponderExcluir
  9. senhores, obrigado pelos comentários =)

    gus, tem a ver com amigos gays que conhecem outros gays. também com mudar o foco quando procurar alguem, não colocar sexo em primeiro lugar. dedicarei um post sobre isso em breve
    um abç

    ResponderExcluir
  10. Hum, eu conheci o amor da minha vida na internet (no orkut, em seu submundo gay, totalmente por acaso..).

    isso já é suficiente pra me surpreender todos os dias a respeito do poder da net.

    ResponderExcluir
  11. Olá, estou adorando o seu blog. Muito bom mesmo!

    Bem, diria que a internet é parte importante da minha vida "na dúvida" mas como ela não teve nenhuma relação com os meus contatos com outros homens (foram poucos, confeço, mas aconteceram cedo), ela não passa de um facilitador (GRANDE).
    Acredito que se não existisse a internet, nós daríamos um jeito. Afinal, gays sempre existiram e não acho que as primeiras experiências deles tenham todas acontecido "tarde" por falta de chat. Ao meu ver, com ou sem internet, cedo ou tarde, a sexualidade aflora.
    Mas, vamos combinar: santa internet viu!
    Abraços

    ResponderExcluir
  12. Cara, mt bom teu blog, achei ontem por acaso, seus textos sao otimo esse aí idem; è o q se comigo tb, mas apesar de ter visto mta sacanagem entre h e conversado com mts nas salas de bate papo do uol, continuo "virgem" mesmo aos 28...é um processo dificil isso td...

    ResponderExcluir
  13. Parabéns pelo blog, adorei ainda mais por ser de BH também.


    A minha vida não seria tão diferente, pois a maioria das pessoas que eu fiquei eu conheci na vida "real", mas já fiquei com algumas pessoas da net...


    Parabéns!!!!

    ResponderExcluir
  14. n.b. queria saber onde eu você arranja essas ftos que você posta...são muito legais mesmo! Se puder deixar o endereço da web ficaria muito grato ^^!

    ResponderExcluir
  15. Esse "eu" tá errado ok? Erros de digitação...xD

    ResponderExcluir
  16. Nossa, muito bom o blog, me ajudou bastante, muito mais no modo de pensar as vezes ^^
    E tbm queria a resposta do anôn ai de de cima, a fotos são muito boas!

    ResponderExcluir
  17. oi²;
    Bah, a cada dia que passa te acho mais lindo guri!
    =P
    Então, "o quanto a internet influencia ou influenciou na sua vida como gay?" - Eu diria que a internet têm, hoje, 100% influência sobre minha "vida gay"(se é que a tenho rsrsrsrs), sobretudo no meu modo de analisar e obter novos conhecimentos sobre a homossexualidade/bissexualidade. Fico 'eufórico' só de saber que há mais pessoas como eu, pois, de certa forma, isto me tranquiliza.
    Então, NB, forte abraço e parabéns pelo Blog!!
    De seu admirador secreto, há!

    ResponderExcluir
  18. Uia, N.B. fazendo sucesso!!! rs*

    Então amigo, qdo vc vai mudar a enquete? hehehe

    ResponderExcluir
  19. Esperando ansiosamente pelo próximo post, ;D
    Uia, N.B. fazendo sucesso!!! rs* [+1] KKK XD
    Abraços e, novamente, ótimo blog. ^^

    ResponderExcluir
  20. Senhores, obrigado pelas opiniões!
    mavie! processo de mudança em andamento =)
    e anonimos das fotos, geralmente eu pego umas fotos de tumblrs diversos, nao tenho um especifico.
    Mas tem um blog que visito muito, dedicado a fotografia.
    artistryofmale.blogspot.com

    divirtam-se =)

    ResponderExcluir
  21. Foi um dos melhores blogs que eu ja li, bem realista, direto, mas ao mesmo tempo reflexivo.

    Nao tinha parado pra pensar nisso, mas axo q seria virgem ate hj, rs.. Nunca conheci nenhum cara por troca de olhares na rua.. Nao costumo retribuir nem parar pra observar isso. Minha vida acontece na net msm...

    ResponderExcluir
  22. Só pude viver minha sexualidade com mais intesidade graças a internet. Conheci um mundo de possibilidades, pessoas como eu, locias, diversão, filmes que eu vi na locadora mas tinha coragem de locar. Enfim, só após os 30, me soltei, apesar de não ser assumido ainda.

    ResponderExcluir
  23. muiot bom o blog eu ri do FAST FODA RSRS

    ResponderExcluir
  24. Mi dispiace, ma non parlo protghese, anche se lo leggo e lo capisco. Ho letto molti commenti sulla omosessualità, sui disagi che essa procura, specie ai ragazzi, appena si scoprono tali. Nessuno, o solo pochssimi, si chiede, però, perché esista il pregiudizio contro di essi, chi ne sia colpevole e perché convenga, specie ai preti, mantenerlo. Non dico niente di nuovo, se affermo che esso risalga ai primi secoli dell'era cristiana la cui ideologia stabilì, una volta per sempre un modo di comprtamet chiamatp morale, dimenticando, i preti, che la realtà è quanto mai mutevolissima e, quindi, non esistono cose che non mutano mai e, fra esse, persino la morale. L'ideologia con cui la religione cristiana condanna l'omosessaulità è stata estratta dalla lettura, alquanto orrifica, tendenziosa e ipocrita di un libro che, scritto da numerose mani, porta giudizi e opinioni diverse, spesso, anzi sempre, in contrasto fra loro, per cui per un parte di loro l'omosessaulità è peccato contro Dio, per altri profeti è un peccato contro natura, e così via, dimenticando che tutto ciò che esiste nell'universo, ivi compreso il bene e il male (bene e male stabiliti dalle fedi religiose), è naturale. Quindi, l'esistenza degli omosessuali è naturale quanto quella degli eterosessuali, mentre, l'astinenza forzata dal sesso dei preti è contro natura, difatti, non si può vietare ad un uomo di esercitare un istinto naturale com'è quello del sesso, anche al di fuori della procreazione, per divertimento. Il fatto è che la Bibbia non possiede nessun valore scientifico se proprio bisogna giudicare di un fenomeno che esiste da quando l'uomo esiste. I cosiddetti libri sacri hanno solo una portata fantastica. Le religioni sono le più fastidiose, inutili e perniciose creazioni della fantasia umana a cui, nel corso dei secoli e secondo la cultura che possedeva, è ricorsa per spiegarsi i fenomeni naturali che atterrivano i popoli, con l'ipotizzare l'esistenza di un essere che non si vedeva, non si poteva toccare né sentire né leccare e né udire, quindi, un essere che non esisteva, poiché, e ciò rientra nelle comuni esperienze di tutti - ivi compresi gli ipocriti preti che, in mala fede, lo negano - il mondo esiste solo se possiamo percepirlo con i nostri cinque sensi. Conclusione: lasciate stare i preti, tenetevi lontano da essi, la cui azione può veramente pervertirvi, state lontano dalla loro influenza nefasta, negativa e, soprattuto, inutile perché non vi fornisce nessun mezzo per risolvere i vostri problemi, spesso, per quelli morali, create ad arte da essi. Fidatevi solo della vostra ragione e, soprattutto, imparate a chiedere le prove di ogni affermazione, senza le quali niente esiste. Il resto è solo porcheria. Salut a tous!

    ResponderExcluir
  25. A Internet facilitou a vida em todos os campos. Na busca de sexo fácil, então, nem se fala. Eu comecei a vida sexual uns anos antes da explosão da Internet, por tefefone (na minha cidade havia uma coisa chamada disque amizade, vc ligava, falava oi, gostava da voz, dava seu telefone, ou pegava o telefone dele, e ia pro privado). Meu primeiro encontro foi marcado pelo disque amizade. Assim como nos tempos em que a banda estreita impedia a visualização do outro por câmera, comprávamos gato por lebre. O cara se descrevia de uma forma e na hora era outra coisa. Comigo foi assim, mas eu tava esperando há tanto tempo que, mesmo decepcionado, acabei indo com o cara pro Motel, e dei uma trepadinha bem fraquinha. Mas ele gostou, e acabamos ficando alguns meses, encontrando-nos todos os dias. Ele me mostrou, na prática e pela primeira vez, que a aparência pode enganar, e depois de um contato mais próximo, aquele que não era tão bonito numa primeira vista pode ser muito gostoso, Assim como um cara muito bonito pode acabar sendo uma decepção. Acabei experimentando muita coisa boa com ele, sexualmente falando. Me ensinou muito, me valorizou demais. E isso, ser valorizado, é uma coisa fundamental em qualquer relação, ainda que efêmera.

    Bem, mas deixando de bla-blá-, acho que a coisa mais importante que a Internet trouxe é a possibilidade de que a gente descubra que não está sozinho. Que pode ser diferente, mas nem por isso está sozinho no mundo. Que há muitos iguais a gente. E isso faz uma enorme diferença na vida...

    ResponderExcluir
  26. realmente se nao fosse a internet pra eu procurar ajuda eu ja teria feito uma besteira comigo msm

    ResponderExcluir
  27. A internet tem grande importância na minha vida, não foi através dela que eu me descobri, mas foi graças a ela que eu me aceitei. Antes da internet, eu achava que o homossexualismo ou qualquer outra orientação sexual diferente do heterossexualismo era algo errado, mas hoje, tenho uma opinião completamente diferente graças a internet!

    ResponderExcluir
  28. realmente praticamente minha vida sexual é so na net.. é o refugio dos confusos, indecisos e aos q nao sao assumidos e se acostumaram com o armario.. como um anonimo disse la em cima q na rua nao encara ninguem, nao pára pra olhar discaradamente pra ninguem!! tb tenho 27 anos e nao tive experiencias.. quem quiser deixar o MSN para amizade é so dizer

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi! Meu msn é core.update@yahoo.com.br
      Quem quiser me adicionar e trocar experiências, é bem vindo. Gosto muito de fazer amizade na net, já que estou "preso no armário" e ela me conforta bastante.
      Bom, a respeito do blog, um amigo da net acabou de me passar. Os textos são ótimos, está de parabéns o Autor do blog.

      Excluir
  29. Oi,N.B, tenho 20 anos, estudante universitário de História. Tbm me encontro "dentro do armário"(sou bissexual), seus textos são muito exclarecedores e nos fazem relhetir sobre nossa sexualidade.Parabéns por nos dar a honra de discutir algo tão que de certa forma nos aflige.
    Sobre este texto:
    Sempre tive atração pelos corpos masculinos com mais intensidade do que os femininos...só vim ter acesso a internet(sem a vigilância e pressão dos pais) com 14 anos de idade. Nisso fui me adentrando à imagens e fui percebendo os meus desejos. Esta faze era uma confusão total pois não sabia se era mesmo gay ou hétero. e apaixonava por garotas e recentemente me apaixonei por um garoto, mas nunca namorei e essas pessoas não quizeram nada comigo.
    Li muitos artigos na internet para entender o que se passava comigo,até descobrir a tal da bissexualidade. Sei que isso são apenas rótulos,mas a necessidade de indentificação era enorme. Graças a internet descobri isso. E ainda estou aprendendo muito. Eu tenho conciência que antes da atração em si,vem o caráter da pessoa.
    A questão da masturbação ainda hoje é tida como um tabu...todo mundo faz,mas não quer adimitir, isso é apenas uma "válvula de escape", uma necessidade,tal como urinar ou defecar rsrsr
    Outros dizem que é para tirar a tensão...
    Pelo sim ou pelo não...ter acesso a essas informações é um grande avanço para a humanidade a qual deve a cada dia entender a complexidade que é a nossa própria sexualidade.

    Tudo de bom a ti e que teu Blog atraia ainda mais pessoas que busquem esclarecimento!

    Flw,Obrigado!¬¬"

    ResponderExcluir
  30. Bom, tenho 25 anos (com cara de 20) e ainda sou virgem!
    E não foi por falta de oportunidades, mas infelizmente todas as vezes eram com mulheres.

    Tinha/tenho medo de na hora "H" eu broxar ou coisa do tipo, como vivo no armário pegaria mal pra mim, penso eu...

    Até hoje nunca beijei um cara, fiquei apenas com meninas.

    Ja tive aquela faze de ir pro UOL pra ver se encontrava alguém legal e tals, mas na maioria das vezes não ia além do olá no msn, e quando ia não me interessava fisicamente ou moravam longe... Até q certa vez encontrei um carinha q tbm vivia no armário, não era muito meu tipo mas era gente boa.
    Tomamos coragem e marcamos de nos encontrar. Rolou o encontro de boa, apenas como amigos.
    Depois disso nunca mais nos vimos pessoalmente, só algumas vezes pelo msn.
    Essa foi a única "experiência" gay q tive e grassas a internet.

    Hoje em dia não fico mais atrás,desencanei, deixo a vida me levar e torço pra que algum dia finalmente aconteça meu 1° beijo gay, haha.

    ResponderExcluir
  31. Nossa galera me coloquei no lugar de cada um, e realmente a internet é responsavel por uns 99% da minha vida gay, adoro esse blog, aí quem quiser me add no msn tenho 23 anos e sou de Minas - beto.wenn@hotmail.com
    Ah! e quem quiser eu também estou em busca do 1º Beijo Gay!

    ResponderExcluir
  32. A internet mudou muito a minha forma de pensar. Devo a ela boa parte do meu processo de aceitação.

    A vida, aliás, é uma coisa engraçada. Posso dizer que o primeiro passo para a minha aceitação começou quando descobri que nem todo gay era afeminado. Naquela época, eu me considerava hétero e tinha minha parcela de homofobia. Foi realmente uma "revelação", tanto que, mesmo após uns 10 anos, lembro perfeitamente do dia. Descobri isso em alguma comunidade do Orkut ("Sou gay mas não sou afeminado", ou algo assim) e vi caras "normais", que não pareciam gays nem nada. Acho que, naquela época, só tinha referências de caras muitos afetados (e esquisitos).

    Ao mesmo tempo, comecei a perceber que, num vídeo de transa entre homem e mulher, eu observava mais o pau do cara do que o corpo da mulher. Depois meu interesse foi gradualmente progredindo em direção à pornografia gay (e eu acho realmente curioso como foi gradual... começou com sexo grupal, depois gangbang, depois solo masculino até chegar ao "100% gay", digamos assim). Tudo isso só foi possível graças à internet - eu jamais teria coragem de comprar revistas gays na banca de jornal! Mesmo comprar uma Playboy já era vergonha; preferia pedir emprestada aos amigos. Aliás, lembrei agora, eu comprei uma sim, da Carla Perez! haha Mas não sei se comprei eu mesmo ou se pedi pra alguém pegar pra mim.

    Durante todo esse período, com especial ênfase ao momento em que descobri a minha "nova" sexualidade, li bastante a respeito do assunto. A primeira coisa que precisou desaparecer foi a minha própria homofobia, claro. Li vários relatos pela internet, mas um que me marcou muito foi de uma transexual feminina que sempre se enxergava como homem. E ela era irmã de um amigo do meu irmão! Mundo pequeno mesmo.

    Mais recentemente, realmente procurando por pessoas com uma situação parecida com a minha, ou que pudessem passar alguma experiência, encontrei este blog. Não há palavras para expressar como me identifiquei com a situação do NB e de várias pessoas que comentam. Sem falar nos textos, que tenho muito prazer em ler (e admirar as fotos também, claro hehe) e comentar.

    Agora que já me aceitei e me sinto mais "ousado" (apesar de ser mega introvertido e querer permanecer no armário), estou realmente procurando minha "primeira vez" com um cara. Só não sei se a internet vai me ajudar muito - o "fast-foda" do Uol realmente não me agrada muito. Mas vamos ver, né? ;)

    Abraços.

    ResponderExcluir

#HTML10{background:#eee9dd ;}