Google+

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

privilegiados, a priori

    Desde que a última enquete foi lançada, o número de pessoas que escolheram fazer o tratamento para mudar a sexualidade manteve-se próximo de 47%. 



    12% estão indecisos. Portanto, no pior dos casos, 59% escolheriam poder mudar. Vamos arredondar esse número para 60% e chamar de maioria para facilitar a conversa =)

    A pergunta da pesquisa já infere que se sentir atraído pelo mesmo sexo é uma condição, e não uma opção. Os leitores sabem e já foi falado aqui muitas vezes, que por mais que tentemos mudar essa condição sempre falhamos. Podemos tentar esconder e reprimir e ter namoradas para disfarce, mas nunca nos sentiremos completos e teremos a sensação de uma vida vazia.

    Eu posso imaginar todos os conflitos que os leitores que responderam 'sim' tem. Eu passei por isso e tenho a credibilidade para dizer que é totalmente desnecessário. Claro que digo isso com a cabeça de hoje, mas também é uma cabeça mais madura e que tem uma ideia melhor de 'mundo'.

    Divagando um pouco, apesar de eu ainda estar no armário, eu já tenho uma percepção totalmente diferente do que significa 'estar' atraído pelo mesmo sexo. Mas 'estar' atraído denota uma condição temporária, não é como 'ser' atraído pelo mesmo sexo. A sexualidade humana é tão diversa que até mesmo eu, com meu medo terrível por vaginas, as vezes me pego fantasiando com alguma mulher. Não creio que sejamos de um dos lados exclusivamente, mas dos dois em diferentes níveis. Alguns tem o nível de atração pelo sexo oposto quase inexistente, ou pelo mesmo sexo, mas nunca lhe é vedada a atração por ambos os lados. 

    Muitas das vezes, os sexualmente diversos já passaram por tantos conflitos na vida que eles se tornaram pessoas mais fortes e interessantes, com uma visão do mundo bastante independente e diferente das que estamos acostumados a ver com a maioria das pessoas 'normais'.

    Pelas minhas experiências, hoje eu não mudaria minha sexualidade para agradar quem quer que fosse ou para ter uma vida mais fácil. Mudar é desistir, e desistir, bem... não é bom. 

    Como seria a resposta dos leitores que responderam 'sim' se a percepção de homossexualidade não fosse maliciosa? Eu, particularmente, acredito que quem nós somos não devia ser função do que a sociedade espera que sejamos. Creio ser esse o maior motivo que leva os leitores a responderem 'sim' mas não é possível ser feliz assim. O errado não está em nós, mas no mundo, apesar de que certo e errado são conceitos tão abstratos e subjetivos que é difícil falar que o mundo está errado.

    Muitas das pessoas mais interessantes e inteligentes que eu conheci são sexualmente diversos e não faz sentido não querer pertencer a tal grupo. Talvez porque pessoas mais instruídas e mais inteligentes tem a capacidade de perceber que a sexualidade é diversa e se permitir? Divago, tendenciosamente... mas faz um pouco de sentido, não? ;D

    É um grupo nobre e me sinto privilegiado em fazer parte dele.

    Privilegiado porque percebi em tempo que ser gay é bom e pessoas gays são boas. Não é nada como passaram a vida inteira me dizendo que seria: monstros sem coração, sem alma e sem pudor. Privilegiado por poder experimentar formas de prazer que muitas pessoas passarão a vida toda sem saber como é. Também porque descobri que o sentimento entre dois homens é tão intenso e verdadeiro quanto o que eu esperava com uma mulher, mas com a vantagem de não ter as cobranças e pressões no relacionamento que o machismo impõe na parte masculina do casal.

    Eu concordo totalmente com Platão na sua descrição de amor. Este só é alcançado por meio de um igual, mas não se refere a sexo. A vantagem que temos é poder ter o amor definido por Platão e prazeres com uma pessoa que sabe como lidar com o nosso corpo, pelas semelhanças.

    Expostas as vantagens, gostaria que os leitores que responderam 'sim' à enquete tentassem enxergar por uns segundos esse mundo de possibilidades que vocês tem o privilégio de pertencer e ter motivos para se aceitar melhor e lutar pelo que você é.

Sem mais.
Um abç e bom fds =)

25 comentários:

  1. Oi oi =D ...
    Bela argumentação.
    Bom, vou ser sincero: Como a maioria dos leitores, votei "sim" : Apesar de ser um voto um tanto quanto contraditório com meus principios, acredito que a vida de hétero é, sem dúvidas, ainda um pouco mais ""fácil"". Todos sabemos que a população latina-americana ainda está em um processo de adaptação que só será concedida totalmente a longo prazo. Até lá, ainda teremos certas dificuldades em sermos nós mesmos perante as mais diversas culturas. Mas estou muito contente com a evolução dos conceito que temos visto na grande massa populacional.
    Parabéns pelo blog!

    ResponderExcluir
  2. Votei sim, o motivo é o preconceito e a discriminação, se não fosse isso acho que não haveria nenhuma resistência.
    Sei que se assumir é como ganhar a liberdade, mas meu medo é o preconceito que posso sofrer na minha família e também faze-los sofrer, os outros são os outros.

    ResponderExcluir
  3. Uhh, Sr. NB! Post de tirar o fôlego!

    Com certeza, uma dos melhores do blog.

    Essa caminhada até esse amor incondicional pela própria pessoa é longo e cheio de obstáculos, mas confesso que é excelente poder nem pensar em trocar de idéia quando vi o "não" lá. Hoje eu vejo "as vantagens" de ser como sou e elas são ótimas. Não sei como seria se eu fosse hétero, mas também, na verdade, já não faço questão de saber. Me importo mais em ser como sou.

    Obrigado por esse post!

    ResponderExcluir
  4. Votei sim apenas pela facilidade em que se tornaria minha vida (virginianos sempre querem o mais fácil, desde que não seja desonesto)... Mas eu sou seguro de mim sendo gay, e concordo em muito com seu post, caro NB! (menos a parte de ter 'any' fantasia com mulheres - argh!)... E mais, prefiro continuar como estou, pois talvez eu sendo hétero não teria a mente que tenho hoje! Um abraço à todos...

    ResponderExcluir
  5. Eu pensei bastante antes de responder a enquete, e acabei optando pelo "não". O motivo da dúvida é o mesmo dos colegas acima: preconceito, intolerância, aceitação. Mesmo assim, meu desejo ainda é estar com outro homem e apesar das limitações da vida, sou feliz assim.

    Quanto ao seu comentário sobre o "estar atraído", eu confesso que já tive momentos assim. Principalmente quando faço amizade com uma garota bacana, bonita, tagarela, e sorridente. Já tive até sonhos "quentes" com elas, ahahahah! Apenas recaídas, rs

    ResponderExcluir
  6. Votei "não" sem nem pensar, eu concordo com tudo isso que vc pensa ae, vc sabe disso 'N.B.'. Ser gay, e passar pelo que os gays passam, e superar tudo, e chegar aos limites faz com que nos tornemos pessoas maravilhosas. É assim que eu me sinto hoje, embora ainda haja muito a ser feito.

    ResponderExcluir
  7. Respondi 'sim' claro, quem sou eu pra querer mudar uma coisa natural minha...


    beijões

    ResponderExcluir
  8. Opa comentei errado ai em cima kkkk
    Na verdade eu votei em 'não' xD

    abraços

    ResponderExcluir
  9. Opa!
    Salve, salve grande N.B.
    Então os comentários aqui tão meio confessionário de BBB explicando o pq do voto...então darei a minha justificativa pro meu SIM, afinal, eu trocaria FÁCIL se pudesse, sem nem pensar duas vezes. E o q motiva essa ideia não é nem o preconceito em si mas o resultado dele. Vivemos em uma sociedade formata pra casais hetero. Musica, publicidade, ideal de vida completa tudo é concebido em cima da relação homem e mulher... Dessa forma, viver nesse contexto em que se é a excessao a regra torna a vida extremamente desconfortável, como se um alemão tivesse de se adaptar a uma terra de anões.
    Sendo assim, quem sabe quando um casal gay estiver na propaganda da colgate eu pense que querer ser diferente não seja mais necessário.

    ResponderExcluir
  10. voto sim.

    mas não por não ser resolvido.
    já saí do armário e minha família nunca me desrespeitou por isso.

    mas não mudaria minha sexualidade pra agradar ninguém, nem por ter vergonha da minha sexualidade.

    mudaria simplesmente pelo fato de poder expressar meus sentimentos publicamente sem temer os homofóbicos. mudaria simplesmente pra poder andar de mãos dadas com a pessoa que eu amo, pra poder fazer declarações amorosas no facebook sem ser ridicularizado. mudaria simplesmente pra não ter q enfrentar o estigma de promíscuo que os gays carregam.

    gosto da minha vida do jeito que ela é. mas se me perguntarem se eu mudaria, eu mudaria. se me perguntarem se eu gostaria que um dos meus irmãos fosse gay, obviamente não gostaria.

    ass: superboy.
    ps: sinto sua falta no msn!

    ResponderExcluir
  11. Concerteza eu faria, apesar de que atualmente eu me aceito como gay, mas concerteza a minha vida seria bem mais simples se eu fosse hétero, pois eu teria ampla liberdade de viver abertamente, além de trocar carícias (no bom sentido) com as pessoas que gosto...

    Dá para fazer tudo isso e mais um pouco sendo gay?
    Sim dá, vai da atitude de cada um, da cultura e da forma de vida que a pessoa leva, porém no meu caso nem tem como eu agir assim, pois vivo no armário e apesar de ser alvo de constantes criticas, infelizmente eu me preocupo muito com a opinião dos outros, ou seja, eu não consigo adotar a teoria e muito menos a prática do "foda -se"...

    ResponderExcluir
  12. belíssimo texto, sobre um tema muito interessante, mas com imagens a mais...
    Muito sinceramente estou a gostar de ser gay. O que precisamos é de um tratamento que mude a mentalidade de muita gente.
    voto não.

    ResponderExcluir
  13. Olá NB! Adorei o texto, pra variar! Parabéns!

    Bem, eu votei "sim".

    Eu sei muito bem o que sou, o que gosto, o que quero. Mas eu acho que foi e está sendo muito desgastante conviver com essa agonia e essa omissão eterna de não expor o sentimento, ainda mais na nossa idade, na qual os hormônios explodem. Tudo bem... eu tenho uma visão mais romântica da vida em que qualquer beijo se torna importante e digno de data de aniversário. Mas esses são os meus princípios e meu modo de pensar, agir e viver. Certamente seria uma pessoa mais feliz se pudesse sair sexta à noite sem medo de olhar pra alguém e não ser o centro de julgamentos.

    Eu me aceito e adoro ser do jeito que sou, mas sinto que a vida está passando e eu estou aqui, sonhando com o dia que poderei ser do jeito que sou. Quero viver hoje e não num futuro desconhecido.

    Enfim... é complicado isso, porque além do nosso próprio amadurecimento, existe o amadurecimento da sociedade.

    Valeu!

    ResponderExcluir
  14. Boa noite NB,

    Votei NÃO, mas pensei um bocado e levei o voto em consideração pela maturidade que tenho sobre o assunto, mas mesmo assim sou medroso. E gostei do comentário sobre a base cultural e de influências da sociedade ser baseado em casais heteros. Temos que lembrar que somos filhos de heteros e a nossa criação é baseada na forma como nossos pais foram criados. Romper todos os dogmas e paradigmas que vivemos não é tão simples. Mas se pararmos para observar, mesmo que seja lento, já estamos vendo sinais de mudança! =D

    Ei...para a galera que está sentindo a falta de NB no msn... deixem o menino estudar...afinal de contas ele pensa no futuro profissional dele tb! rsrs
    ass: rapaznatal
    abração

    ResponderExcluir
  15. MUITO BOM L.B. COMO SEMPRE VOCÊ ERRAZAAA
    muito bem colocado, eu não me lembro bem no que votei mais creio que foi "não", ;p
    CONCORDO COM TUDO QUE VOCÊ DISSE ^^
    adooorooo esse blog
    XD

    ResponderExcluir
  16. Nunca consegui conversar com o N.B. quero ver um dia q eu entrar e por sorte ele também entrar no msn XD

    ResponderExcluir
  17. Muito bom, o que voçe escreve.
    Votei não, mas se me fosse perguntado quando era mais novo teria respondido Sim. Entretanto fiz uma longa caminhada no sentido de me encontrar bem comigo,meu corpo e a minha sexualidade.Como disse Kinsey no seu famoso relatório, a sexualidade humana pode variar numa escala,que iriam de um extremo ao outro, Estes extremos seriam mesmo uma raridade, a maioria das pessoas encontram-se distribuídos numa imensa variedade entre esses 2 pólos
    .(Vide Wiki)

    Homens não são representados através de duas populações discretas, heterossexual e homossexual. O mundo não é subdividido em carneiros e cabras. É um fundamento da taxonomia que a natureza raramente pode ser tratada em categorias discretas... O mundo em que vivemos é contínuo em todos e em cada um dos aspectos.

    Quando enfatiza-se a continuidade das graduações entre os heterossexuais e homossexuais exclusivos ao longo da história, parece ser desejável desenvolver uma gama de classificações que podem ser amparadas em quantidades relativas de experiências e respostas heterossexuais e homossexuais em cada caso... Um indivíduo pode ser associado numa posição da escala em cada período de sua vida... Uma escala de sete categorias aproxima-se de representar as várias graduações que existem actualmente (Kinsey, et al. (1948). pp. 639, 656)


    A escala é representada abaixo:


    0 Exclusivamente heterossexual
    1 Predominantemente heterossexual, apenas eventualmente homossexual
    2 Predominantemente heterossexual, embora homossexual com frequência
    3 Bissexual
    4 Predominantemente homossexual, embora heterossexual com frequência
    5 Predominantemente homossexual, apenas eventualmente heterossexual
    6 Exclusivamente homossexual
    7 Assexuado

    Claro que se deve levar em conta que esse estudo foi realizado há mais de 50 anos e a escala de Kinsey não incorpora a transexualidade
    Acredito que muitos poderão tirar partido dessa situação intermédia e se sentirem bem tanto com um homem como com uma mulher e depois quem foi que disse que uma pessoa não pode amar 2 pessoas ao mesmo tempo ?

    Quanto ao "armário",acho que cada um deve proceder como melhor se sentir, eu pessoalmente acho que ninguém tem nada a haver com a minha sexualidade, pois também não me preocupo com a dos outros. e o que duas pessoas adultas,por consentimento mútuo, fazem dentro de 4 paredes, só a eles diz respeito.
    Um abraço

    ResponderExcluir
  18. adorei as fotos e meu sonho fazer fotos de gays da nte e meu sonho sou kellson fontinele meu orkut é loiro-c.c@yahoo.com me add vcs.

    ResponderExcluir
  19. Votei não e votarei sempre que for solicitado. Metade dos problemas que sentimos na "aceitação" dos outros diz respeito a nossa carência, nossa vontade de ter um milhão de amigos e ser amado por todos! Eu abri mão disso há muito tempo e sou feliz! Hoje em dia quem não me aceitar como sou não entra na lista dos meus amigos! Mesmo para colegas de trabalho, conto e se aceitar bem, se não aceitar, respeite!!

    ResponderExcluir
  20. Oi NB, eu não tive a portunidade de votar mas se pudesse votaria em nao mudar, mas se eu pudesse nascer e escolher eu escolheria ser do jeito que sou. As pessoas ten que se amar mais, e não desisteir do que você é só por que os outros "normais" querem! Xero! wes.

    ResponderExcluir
  21. gostei deste debate. creio ser mt valido induzir as pessoas a esses questionamentos.
    nao votei, mas teria escolhido 'nao' sem pestanejar.
    como outro colega, mais cedo talvez dissesse 'sim', por todos esses milhares de motivos q dificultam a vida. mas isto talvez pq pela idade/maturidade nao me sentisse preparado p enfrentar td isso.

    venho tendo oportunidade de conversar mais sobre o assunto e, depois de mt estudo de campo (kkkk), tenho uma opiniao mais clara e firme.
    considero mt as opinioes dos outros, as vzs ate demais. axo q por isso nao assumo p galera, estou contando aos poucos pros mais proximos.

    mas ser gay tem vantagens inegaveis (mais uma das coisas q tive oportunidade de discutir recentemente).
    homem sabe (mesmo q superficialmente) oq homem quer, como pensa, como funciona o corpo, ate antes de ter uma primeira relaçao.
    e toda essa problematica de nao se encaixar c a sociedade força o desenvolvimento de uma maturidade emocional muito mais cedo, alem de incentivar outras buscas por crescimento.

    pra se preparar pra essa guerra tem q saber bem oq eh e oq quer.

    e como disse a uma amiga: se eu pudesse escolher nasceria gay de novo.

    ResponderExcluir
  22. Também votei em "sim".No entanto meu voto não foi influenciado por ter visto que a grande maioria votou nessa opção.A razão da minha escolha é por que como comentei anteriormente em outra postagem é que ser "gay"(também não gosto dessa classificação) trás alguns sentimentos e questionamentos que muitas das vezes trazem tristezas e aborrecimentos.pelo menos no meu caso.No entanto a vida em sí de gay não é sofredora.E sim os sentimentos envolvidos.Quando se escolher viver como tal saberemos o que passaremos.E muitos são felizes e não mudariam por nada.Mas cada qual sabe o que passa tanto em questão de sociedade como emocionalmente.Mas acredito que aquele que escolher ser "gay" não deve deixar de fazer simplesmente por causa da sociedade,no que os demais pensarão.No meu caso sentimentos e emoções que as vezes machucam.Sociedade nem uma dirá que devo ou que não devo ser.

    ResponderExcluir
  23. Acho que me enquadraria com os "não sei". Aceito perfeitamente a homossexualidade como orientação sexual válida e digna de respeito. Mas tamanha é a rejeição pela sociedade, ao ponto de agredirem verbal ou fisicamente, que fica difícil não querer uma vida sem essa rejeição.

    ResponderExcluir
  24. Estou casado há 33 anos, com a mesma mulher. Amo-a, tenho,filhos e uma netinha que é uma boneca. Sou infeliz, no entanto.É que passei a minha vida inteira sublimando a minha atração por rapazes. A vida seria bem para todos os que vivem no armário se a orientação sexual das pessoas fossem respeitadas. Atualmente, até que está bem mais fácil para os que saem do armário e resolvem escancarar a sua sexualidade. Há menos descriminações. O mundo será melhor, daqui a 50 anos, quando todas as barreiras vierem ao chão como o muro de Berlim. Aí, sim, os "enviesados" serão gente como os outros e poderão ser inteiramente felizes com a sua orientação sexual.

    ResponderExcluir
  25. Não pude votar, contudo se pudesse perguntaria: se ao invés de mudar minha sexualidade eu escolheria mudar a sociedade, ou nascer em um tempo em que as pessoas fossem mais compreensivas, é claro que ser hétero em nossa sociedade, principalmente no Brasil, é beeem mais fácil, mas ao pensar em não ter mais aquele maravilhoso corpo masculino ao seu lado, as caricias, todo o arquétipo viril, é não da mesmo !

    ResponderExcluir

#HTML10{background:#eee9dd ;}