Google+

quinta-feira, 14 de julho de 2011

sobre modelos

    Quando olhamos para o futuro, a imagem que enxergamos de nós mesmos é geralmente um esboço de modelos de vida e um pouco de imaginação. Desde criancinhas, temos infinitas fontes para nos basear sobre como devemos ser. Não somente os pais, mas também pelo que chega até nós, com pessoas nos dizendo como agir, filmes de comédia romântica, filmes da Disney, novelas etc. Princesas lindas e gentis inspiram as meninas. Príncipes bravos e incorruptíveis, os meninos. 

    A maior parte dessa influência vem dos nossos pais, certamente. É neles que encontramos nosso espelho para o que um dia devemos nos tornar. Mas quando começamos a divergir do que nós esperamos ser ou do que eles esperam que sejamos, fica faltando um modelo para seguir com esse novo estilo de vida.

    Tenho procurado por pessoas que possam me servir de modelo na vida. Alguma pessoa bem sucedida, de índole irrepreensível e gay. 

    Essa falta de modelo para o gay faz com que sejam criados mitos e falsas impressões em torno do nosso estilo de vida. O que está amplamente difundido na cabeça das pessoas é que ser gay implica necessariamente em exclusão pela família e/ou amigos, ser vítima de piadas e ter uma vida infeliz, sem poder viver o amor plenamente. Essa idéia é compartilhada também entre pessoas que leem o blog, o que é refletido pelo resultado parcial dessa nova pesquisa. Aproximadamente metade dos leitores escolheriam não ser gay se pudessem.

    Bem, eu ainda não achei meu ídolo gay. 

    Pelo menos no Brasil, além do deputado Jean Wyllys, não consigo pensar em nenhum outro gay bem sucedido e assumido, com a definição de sucesso sendo bem subjetiva. 

    Fora do Brasil, a apresentadora de TV americana Ellen Degeneres me inspira. Aquela que saiu do armário em 1997.  Ela já tinha uns 30 e tantos anos eu acho, teve problemas com o pai e foi demitida do canal em que trabalhava por isso. Apesar dos pesares, ela não perdeu o bom humor e vontade de lutar por direitos iguais. 

    Como ainda não temos muitas inspirações brasileiras, deixo uma proposta para que sejamos nossos próprios ídolos. Aqueles que são bem sucedidos e de caráter irrepreensível. Quem sabe a nossa geração possa fazer com que ser gay seja visto de outra forma e que inspiremos as novas gerações a não terem medo do que são. Que mostremos que ser gay é apenas um detalhe na vida de pessoa maravilhosas.

E aos senhores, quem vos inspira? =)
Abç.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

#HTML10{background:#eee9dd ;}