Google+

sexta-feira, 1 de julho de 2011

Notas rápidas 5

    Com a parada gay em foco e aquela tal de marcha para jesus que aconteceu ao mesmo tempo, algumas questões estão aparecendo com bastante frequência. De um lado manifestam a pluralidade dos homens e pedem que a homofobia seja considerada crime. Do outro, defendem a família, a perpetuação da espécie e a liberdade de expressão. Os argumentos que essa última parte usa não poderiam ser mais furados, e são repetidos como um disco quebrado:

    1 - "Querem criar um terceiro sexo"
    Não existe um terceiro sexo e nunca existirá. Somos homens ou mulheres. O que seria esse terceiro sexo que tanto se referem? O sexo dos gays, talvez? Eu sei que nasci com um pênis e isso me faz homem, nada mais, nada menos. Quem se refere a um terceiro sexo quer causar confusão com orientação sexual, que existem infinitas, e não 1, 2 ou 3.

    2 - "Querem acabar com a liberdade de expressão"
    Senhores, definam liberdade de expressão antes de dizer que queremos acabar com ela. Você pode dizer o que quiser, todas as bobagens possíveis, contanto que arque com as conseqüências depois. Você pode chegar numa favela e gritar que todos são macacos. Pode chamar um homossexual de doente. Pode tudo. Isso é o direito à liberdade de expressão. Só lembre-se que todas as pessoas tem o direito à honra e a sua liberdade de expressão não pode interferir no direito à honra das pessoas. Porque os senhores já sabem, todos os brasileiros são iguais, independente de qualquer coisa. É esse direito a honra que queremos defender e não o fim da liberdade de expressão.

    3 - "Querem direitos especiais"
    Não tínhamos direito a pensão, a casamento, a adotar, etc etc. Em outras palavras, éramos cidadãos que pagam os impostos e mesmo assim não tínhamos garantidos os direitos básicos ou respeito. Ainda dizem que estaremos sendo privilegiados com direitos especiais, pela aprovação da lei anti homofobia. É sério isso?

    Agora a defesa da família....
    É muito fácil de perceber o padrão das pessoas que dizem que família é com um homem e uma mulher. Semana passada, assistindo à entrevista do juiz Vilas Boas no Fantástico, aquele que anulou a decisão do Supremo Tribunal Federal de reconhecer uniões estáveis entre pessoas no mesmo sexo, percebi que ele usou esse mesmo discurso de que família só poder existir com um homem e uma mulher. Isso tem tocado mais do que a música da piriguete, no carnaval de 2007.
    Ora, meu juiz, numa relação entre homossexuais também repousa o amor e respeito mútuo, assim como o desejo de viver como uma unidade, ser parte do estado e gerar descendentes, nada de diferente da família "normal". Por que isso não pode ser considerado uma família? 
    Eis que ele respondeu. "Por que não são capazes de gerar descendentes. Se fizermos um experimento com um grupo de 10 homos isolados numa ilha, o estado não se sustentaria por uma geração".
    Então senhor juiz, casais com dificuldade para engravidar não podem ser considerados uma família? 
    Se não vivêssemos numa sociedade tão preocupada com moralismos fúteis, casais gays poderiam ter descendentes genéticos através da clonagem. Mas isso nos daria o direito de sermos chamados de família e o senhor juiz teria que achar outro argumento para atrapalhar a nossa vida. Sem falar que muitas família "normais" por aí, essas sim, não deveriam ter nem o direito de ter filhos, dada a negligência e maus tratos com que criam seus filhos. Esses que constituem família porque tem que ser assim, para dar satisfações a sociedade quando não tem a mínima vontade de casar ou virar pai, enquanto nós lutamos por essas oportunidades.

    Não foi surpresa, mas também achei tendencioso da Globo mostrar a relação do juiz com uma igreja. Mas falando no assunto, acho que todas as igrejas estão usando esse discurso de família para atacar os homossexuais. A campanha da fraternidade da católica essa ano também é sobre a família. Até que ponto deixaremos as convicções e influências religiosas afetarem a vida da sociedade, que, em teoria, não deveria depender de religiões? 

    Se o congresso fosse legislar de acordo com uma religião, seja no brasil a católica, as outras religiões sairiam prejudicadas, e vice versa. Quando o Brazil se tornou república em 1889, decidiu-se que, para evitar a fadiga, o estado e a igreja seriam duas coisas separadas, e não uma teocracia, como acontece no Irã. Os documentos deixariam de ser emitidos e armazenados nas igrejas, como era feito até então, e esse seria um papel do estado. No Irã, o presidente eleito pelo voto popular - ou por fraude - ainda não é o líder político máximo no país, mas sim o aiatolá, líder supremo político e religioso. Então, eu como ateu, não me sentiria bem num país que vivesse baseado naquele livro 'sagrado', em que as leis são feitas de acordo com os costumes tradicionais da religião.

    Por isso, senhores, quando discutirem sobre qualquer coisa, limpem a arena e estejam certos que Deus não aparecerá. No ensino médio, nas minhas aulas de filosofia, meu professor dizia que se Deus for trazido à discussão, esta se encerra. Ninguém pode afirmar que uma coisa é certa por que Deus quis e mesmo se Deus existir ninguém é capaz de se comunicar com ele. Estaríamos voltando à Idade Média, onde os camponeses conseguiam explicar tudo o que acontecia no mundo com um simples argumento, e esperar por dias melhores com uma única aspiração: "Se Deus quiser".

    Para mencionar Deus, primeiro convença teu discutinte de que ele existe. Caso contrário, atenha-se ao racional e palpável, não a mitos. Deus é um mito, quase um papai noel para adultos. Mitos são fertilizantes de superstições, religiões, medo e, por fim, controle. Isso, porém, causa um reboliço muito maior em adultos quando são ditos que Deus não existe do que em crianças quando descobrem que papai noel não existe. 

    Mas não criei esse blog para discutir religião nem para divulgar minhas idéias e frustrações com ela. 

    É muito pessoal, cada um tem a sua e mudar a cabeça de alguém que tem opinião formada (ou que tenha Deus no coração) é quase impossível, só trás frustrações. Como dito, é pessoal. Por isso não gostaria de ver crucifixos em repartições públicas, em escolas e tudo mais. Isso me ofende. E eu tenho o direito de não ser ofendido - a não ser que eu seja privilegiado demais. É como se os cristãos vissem um crucifixo dependurado de ponta cabeça. Vocês podem sentir minha frustração?

E fim do tópico para desabafo extremamente tendencioso, não editorial.
#prontofalei

23 comentários:

  1. Pensei que eu não poderia te adimirar mais, mas estava errado... PARABÉNS, COM 'P' MAIÚSCULO!

    ResponderExcluir
  2. Então, gay é o novo negro #2

    ResponderExcluir
  3. Parabéns pelo tópico, cara! Perfeito! Eu sou católico apesar de não concordar com quase nada que a Igreja prega. Acredito e rezo a Deus, e ponto. Quanto ao movimento homossexual, eu também não me sinto nada a vontade ultimamente. Não sou assumido, mas há tanta banalização no próprio meio que fica complicado tomar qualquer atitude. Eita mundinho complicado, viu!

    ResponderExcluir
  4. Concordo com vc, postei sobre o mesmo assunto no meu blog. A igreja está utilizando de argumentos como o que usa pra explicar a sua própria religião, para desqualificar quem é gay e exigir que o estado não garanta nossos direitos como cidadãos (como vc ja falou no post). Dizem que a lei contra homofonia é a lei da mordaça (mordaça é o que as igrejas evangélica e católicas põe em quem pensa diferente do que eles pregam), não é lei da morça caros alienados, controlados e fascistas.
    N entendo o que uma pessoa ser gay e exigir seus direitos interfere na vida de quem é cristão ou de qualquer outra religião, não entendo.
    Ai eles dizem vc vai pro inferno pq vc está praticando abominação. AHAHAH eu respondo eu iria pro inferno se acreditasse em Deus e no que o seu "livro sagrado diz" a sua verdade não é absoluta meu caro se toca!
    ***** AVISO A TODOS - DIZ A CONSTITUIÇÃO - O ESTADO É LAICO ************
    To cansado de debater esse assunto parei por aqui. pqp país religioso é uma merda pqp

    ResponderExcluir
  5. Cara,

    Parabéns!
    Li apenas a primeira matéria sua, depois vou ler com mais atenção e as demais, mas vc consegue traduzir de forma objetiva muitos pontos que compartilhos. Abraço!

    ResponderExcluir
  6. Parabéns, assino embaixo ;D

    ResponderExcluir
  7. Cara, teu blog e perfil me deixou interesado em interragir contigo...
    Estou na mesma com vc...

    Armário? Pois é mano...

    Espero poder sempre trocar ideias contigo,

    Abraços e teus poster são show!

    ResponderExcluir
  8. Concordo com algumas coisas do que foi dito, e discordo de uma grande maioria, mas achei legal o post.
    Eu ja li a biblia uma vez, eu acredito em Deus, e tenho alguns bons motivos pra isso... Uma coisa que aprendi com o tempo e tenho comigo, é que Jesus veio trazer uma mensagem de amor, respeito ao próximo, não julgamento, e tolerancia... não exatamente com essas palavras, mas se prestar bem atenção, da pra perceber... e assim como os que se dizem cristãos hoje em dia, teve muitos que naquela época, acusavam Jesus, de andar com os pecadores, e lá estava ele... no meio destes que o resto do povo julgava mal... quem não se lembra da tão famosa frase "Se alguem aqui não tiver pecado que atire a primeira pedra" ... no fundo, sinceramente... somos todos iguais, o problema dos heteros é achar que são unicos e melhores que o resto, seja esse resto o que for... se é diferente eles "jogam a primeira pedra" achando que estão fazendo a coisa certa... só que não compete a eles achar ou julgar coisa alguma... E veja bem o que vou dizer... não estou dizendo que ser gay é errado, alguem aqui escolheu se atrair pro mesmo sexo e sofrer preconceito? fora os bissexuais que eu saiba, ninguem escolhe nada... Não concordo com a promiscuidade, nem hetero nem gay, mas ai ja é coisas minhas, e nem por isso julgo ninguem... O fato de vc ser ateu, e ser intolerante com a presença de uma cruz... é se igualar ao fato de um hetero ser intolerante com a presença de um gay, seja afeminado ou não. Se esse fato faz os heteros ficarem nervosinhos, e se o fato de vc ficar inquieto com a presença de uma cruz... é pq isso mexe com eles, e mexe contigo tbm. EX: Eu sou contra as pegações, não me incomodo de presencia-las. Eu sou contra drogas,mas não me incomodo de ficar perto de um drogado. Se eu to seguro de mim, a presença seja do que for, não me atrapalha em nada. Abraço... não leve como ofensa, não ofendi ninguem, só expus minha opinião.

    ResponderExcluir
  9. Eu queria plagiar um trecho do comentário a cima para grifar o que foi dito, pois também acho e até ja foi dito em um post seu, se há segurança(seja ela pessoal, sexual ou profissional)não tem porque se sentir incomodado com a presença de algo ou com palavras ditas.

    ''O fato de vc ser ateu, e ser intolerante com a presença de uma cruz... é se igualar ao fato de um hetero ser intolerante com a presença de um gay, seja afeminado ou não. Se esse fato faz os heteros ficarem nervosinhos, e se o fato de vc ficar inquieto com a presença de uma cruz... é pq isso mexe com eles, e mexe contigo tbm. EX: Eu sou contra as pegações, não me incomodo de presencia-las. Eu sou contra drogas,mas não me incomodo de ficar perto de um drogado. Se eu to seguro de mim, a presença seja do que for, não me atrapalha em nada. Abraço... não leve como ofensa, não ofendi ninguem, só expus minha opinião.''

    Talvez não seja apenas a opressão de doutrinas religiosas que te irrita, mas também uma dificuldade de aceitação na dúvida de crer ou não em algo superior. Resumindo ter Fé.
    Sem ofensas, abraços.

    ResponderExcluir
  10. Ícaro!! e anônimo anterior!
    Ótimas colocações, passei um tempo pensando em como explicar o que eu quis dizer, dado a complexidade de vossas colocações =)

    O fato de eu estar incomodado quando vejo crucifixos em locais publicos é pelo fato de que o estado não pode depender de religiões. Como eu disse, religião é pessoal e não deveria interferir na vida de quem não acredita, como eu.

    É perfeitamente aceitável que cultos se pratiquem em lugares reservados. Mas escolas e tribunais deveriam ser isentos de influencias pessoais. Quase caí pra tras qd vi aquela cruz na parede do STF.

    Nesses lugares entram pessoas de todos os tipos, ateus, reliosos, homos e heteros. Por isso demarcar como um lugar especial para um grupo específico não corresponde com as raizes da democracia. É como exaltar o grupo hetero só porque são a maioria, em detrimento dos outros.

    Tenho plena conviccao e seguranca do que acredito e sou filido a igreja do monstro do espaguete voador(http://www.venganza.org), então o que me irrita é exclusivamente essa parte de 'opressao de doutrinas' q vc mencionou.

    Não me incomodo com religioes, acho ate interessante esse comportamento de massas. Passo horas assistindo o canal da Igreja mundial do poder de Dels.

    O problema esta exatamente em como esse comportamento afeta a vida dos cidadaos e o estado. Heteros e gays fazem o que fazem na sua privacidade, se pegam no quarto, sem ser da conta das pessoas. Religioes saem da privacidade para te falar o que deve ser feito e o que nao deve ser feito, do jeito que eles interpretam aqueles livros jurássicos.

    Sejam contra pegação pois, eu sou contra pregação. =)

    A série 'notas rapidas' é sempre subjetiva e vcs tem todo direito de discordar da minha opiniao. mesmo assim, obrigado pelo novo ponto de vista ;D

    ResponderExcluir
  11. Resumidamente, o que nosso querido N.D. quis dizer foi: o Estado é laico e deveria tirar esses símbolos cristãos porque ele tem de ser imparcial com TODOS OS CIDADÃOS, do contrário deveria haver símbolos de TODAS AS OUTRAS religiões, o que seria inviável... É mais uma questão de neutralidade, Ícaro e Anônimo, não de dúvida sobre a nossa fé atéia!

    ResponderExcluir
  12. Felipe (o mesmo anonimo)10 de julho de 2011 06:05

    Mais do que vcs M.B e Maviaelson, as outras religiões sim, deveriam se importar com isso... ja pensou, como o símbolo da cristã está em todos os lugares, e da nossa não? tendo em vista que vcs não tem religião, não tem símbolos,... pra que se importar tanto não é mesmo? Mas eu entendi o que vcs disseram... Mas pra ser bem sincero... se o Estado é laico, isso é o de menos que deve ser pensado no momento... ps: fé atéia, eu fiquei um pouco confuso... mas td bem.

    ResponderExcluir
  13. Sim, fé atéia Felipe... Ser ateu não é NÃO ter fé, e sim não acreditar num 'deus'; tenho fé q o mundo vai mudar, tenho fé q os seres humanos vão melhorar... e assim vai!

    ResponderExcluir
  14. Olá Felipe, prazer =)
    Realmente, as outras deveriam se importar mais. Não sei como as cristãs não católicas se sentem com relação à cruzes mas se remete ao cristianismo então eles não devem ver muitos problemas. Mas e se tivessemos uma população numerosa de judeus, mulçumanos, e budistas?
    As associações ateístas tem um símbolo, geralmente um átomo.
    E no fim, para não sentir como se apenas uma parcela da população fosse a 'correta', me importo. Antes do que colocar todos os símbolos pela premissa de igualdade da constituição, coloquemos nenhum para evitar a fadiga =)
    oh sim, é o de menos. foi só um exemplo mais prático que eu peguei, outras relações de estado/laicidade iam deixar o texto ainda maior.
    abç

    ResponderExcluir
  15. Tá bem Maviaelson. Tá bem N.B.
    Respeito vocês, pq ja fui quase igual.
    Hoje em dia, não vejo minha vida sem Deus, o vazio que eu sentia sumiu, a minha dor é sempre muito mais suportável, os meus medos se tornam menores, e a minha vontade de ser sempre melhor só cresce.
    Não acredito na humanidade por ela mesmo, não tenho fé de que o mundo vai mudar pra melhor por si só.
    Abç.

    ResponderExcluir
  16. Na minha humilde opinião, educação e respeito à constituição são mais efetivos para fazer o mundo mudar do que religião/etc ;)

    Posso enumerar infinitos conflitos e genocídios causados por divergências religiosas, o mais recente, no sudão (islam vs cristãos). Mas também o massacre da bósnia de 93, massacre na irlanda pelos ingleses em 1640(protestantes vs católicos) e na irlanda do norte mais recentemente (1970), palestinos que morrem todos os dias, etc etc.

    Se deus te faz uma pessoa melhor, porque não acreditar? Respeito, mas se deus não é capaz de engrandecer uma pessoa ele se torna desnecessário, como nesses exemplos acima.

    abç

    ResponderExcluir
  17. Bom, mais uma vez vou dizer isso, e vai ser a ultima... ( no fundo acho que estamos falando linguagens divergentes.)
    Eu falei em Deus, vc fala nos homens, e como eu ja disse uma vez: Não acredito na humanidade por ela mesmo, não tenho fé de que o mundo vai mudar pra melhor por si só.

    Seguir a constituição, não é certeza de mudar o mundo pra melhor, vejamos o caso do juiz que utiliza a mesma para anular casamentos civis de homossexuais... o direito não é para todos? pois ai ta um caso, de mau uso da constituição... quase igual a biblia, cada um lê e utiliza a sua prórpria vontade... e quem faz isso? Os Homens. Que por sinal são os mesmos que vc citou que fazem conflitos por fanatismos, e usando o nome de Deus(cada um no seu Deus) como escudo, para poder fazer isso. Não me coloco de fora, e nem digo que sou diferente... só faço o melhor que posso pra ser melhor sempre.
    A pessoa boa, aquela que falava a linguagem de Deus, aquela que fazia mesmo o bem, e que andava com aqueles que os homens sabios perfeitos e normais de hoje condenam, ja morreu a mais de 2000 anos atrás. Pra mim é isso. Respeito a sua opinião, mas entenda que estamos falando de coisas diferentes. Abç.

    ResponderExcluir
  18. Sim, estamos falando de coisas diferentes pois não preciso de seres invisíveis para basear meus argumentos. Por isso falo dos homens tangíveis, visíveis e que de fato afetam as nossas vidas.
    O senhor juiz interpretou mal a constituição, tanto que foi corrigido pelos seus superiores, porque estava influenciado pelas idéias religiosas, que não deveriam afetar a interpretação imparcial da constituição.
    Fique a vontade para ver a relação do juiz com a igreja. http://fantastico.globo.com/Jornalismo/FANT/0,,MUL1665790-15605,00.html

    Uma interpretação errada da constituição porém será logo contra-argumentada caso esteja realmente errada, como foi feito. Mas falar de deus como contra argumento é o que a religião faz. Deus é o caminho e a salvação. Em outras palavras, feche seus olhos ao que está errado e reze.

    Felipe, rapaz. Respeito a sua opinião também. É com discussões saudáveis como essa que caminhamos para entender melhor o outro lado.
    Abç.

    ResponderExcluir
  19. N.B.

    Com todo o devido respeito, não seja leviano e exclua a religião do processo de construção de uma nação próspera. Não se esqueça que os países mais ricos atualmente surgiram das sementes da igreja, sobretudo da Igreja Católica. Bons exemplos são França, Alemanha, Espanha e Portugal. Convém lembrar, ainda, que a noção de 'universidade' nasceu dentro da Igreja.

    Como já mencionado em comentários anteriores, as religiões tem uma missão de paz. Falo da Igreja Católica Romana, à que pertenço. Não são criadas regras de conduta, apenas conselhos, modelos de vida. Como a própria Bíbia diz, "Tudo lhe é permitido, mas nem tudo lhe convém". Bom, acho que uma das coisas que as pessoas esquecem ao condenar a Igreja (Católica) é que ela é liderada por homens. E homens erram, são suscetíveis a falhar. Por isso, eu pertenço à instituição, não aos homens que a lideram.

    Acho ainda que a Igreja Católica está caminhando, ainda que a passos lentos, para uma nova visão acerca da homossexualidade. Ora pois, há apenas 150 anos atrás negros eram considerados seres sem alma pelos clérigos!

    Ah, sou gay, tenho 17 anos e prefiro acreditar num mundo onde todas as diferenças - sejam elas do tipo que forem - sejam irrelevantes perante ao simples fato de sermos todos humanos.

    Parabéns pelo blog e um abraço! ;)

    ResponderExcluir
  20. Oi Matt.

    Sim, todos esses países ai em cima citados surgiram em meio a influência da Igreja Católica mas não garanto que o desenvolvimento foi causado pela Igreja, e sim um atraso. Se quiser me explicar como a 'semente' foi uma boa influencia, fique a vontade.

    Na Alemanha o atraso foi percebido e Lutero criou a igreja protestante, contra os interesses de Roma, e estabeleceu igrejas na Europa central e Escandinávia. Uma das diferenças estava na interpretação da bíblia, que não mais dependia do padre que falava latim. A bíblia foi então traduzida e a interpretação ficava subjetiva. Hoje, como se sabe, esses lugares são muito mais desenvolvidos que o sul da europa (portugal, espanha, italia) e a frança tem parte significativa protestante. Sem contar também que tem a maior concentração de ateístas do mundo, inclusive na Alemanha e UK. EUA são um caso a parte de puritanismo arcaico.

    O meu ponto é, dada a influencia e poder da igreja durante tanto tempo, os avanços poderiam ter sido infinitas vezes maiores se a prioridade fosse educar o povo e não se manter no controle.

    E se na época a Igreja detinha todos os documentos 'herdados' das civilizações clássicas, como poderia pois qualquer projeto educacional surgir fora da Igreja?

    Foram cetenas de anos de influencia e poder e muito pouco realizado, um fracasso colossal.

    A 'missão de paz' das igrejas e religiões é somente para quem está sob a sua manta. Inquisição e apoio a escravidão a quem era 'herege'. Isso não é missão de paz. Até recentemente, subjulgação da mulher, raíz do machismo que hoje tem tanta influencia negativa no mundo.

    Se a igreja é comandada por homens susceptíveis a errar, então pra que seguir? Por que não acreditar no seu próprio deus e não no que os outros dizem?

    Sinceramente me espanto quando tantas pessoas ainda defendem essa instituição depois de uma história inteira de atrocidades, e que ainda defende o não uso de preservativo em relações, sabendo da sua influencia em áfricas.

    Eu sou um otimista como você. Acredito que pela educação teremos mais interesse de conhecer a opinião alheia (com religiões ou não) sem julgar.

    Um abraço. E obrigado.

    ResponderExcluir
  21. Gostei da postagem. Na verdade, acho que o que está ocorrendo é uma acentuação cada vez maior da rivalidade entre gays e evangélicos. Não obstante, tanto o numero de um como de outro parece que tem crescido muito... é uma pena, pois parece que a intolerância ao invés de diminuir aumenta. Evangélicos pensam que a Bíblia é a constituição brasileira e só por que alguém não a segue é imoral ou não sei mais o que, quando na verdade deveria se militar a seguir o que acredita e respeitar quem não adere a mesma doutrina.

    ResponderExcluir
  22. Vamos por partes :)

    1 - Rapaz, eu lembro de uma criatura, acho que ele era gay de algum movimento (faz muuuito tempo isso, nem lembro direito), sugerir essa adoção ao "terceiro sexo". É a coisa mais RIDÍCULA que poderiam sugerir! Ninguém deixa de ser homem ou mulher por ser gay, lésbica ou mesmo transexual. Mesmo os casos de transgêneros, eles se enxergam como homens ou mulheres, apesar de estar num corpo diferente. Me ofende quem diz que não me enxerga como homem.

    2 - Liberdade de expressão? Só se for a liberdade de xingar de abominação. Acredito que as religiões podem manter seu repúdio ao comportamento homossexual sem partir para a baixaria e o xingamento.

    3 - Direitos especiais é boa. Vamos ter cotas nas universidades agora? Fila preferencial? Banheiro exclusivo (outra babaquice que já vi nego sugerir; a menos que queiram aumentar a pegação nos banheiros, deixa separado só em homem e mulher mesmo)?

    4 - Eles precisam entender que o conceito de família está é se EXPANDINDO e nenhum tipo de família vale mais ou merece mais consideração que o outro. Melhor ainda, muitas crianças abandonadas terão mais chances de conseguir um lar.

    Mais uma coisa: você falou em clonagem, mas eu lembro de ter visto um método bastante interessante de fertilização in vitro. Os pesquisadores conseguiram gerar um bebê a partir do material de dois homens, se não estou enganado. Eles pegaram o material genético de um espermatozoide de cada um deles e colocaram dentro de um óvulo sem o material genético próprio. É uma excelente alternativa para quem deseja ter um filho com as características genéticas de ambos os pais (ou seja, é um filho realmente consanguíneo), mesmo sendo do mesmo sexo.

    Abraços.

    ResponderExcluir

#HTML10{background:#eee9dd ;}