Google+

domingo, 19 de junho de 2011

Incertezas

    É bastante fácil encontrar pessoas que estão confusas com a própria sexualidade, mesmo que na maioria dos casos a pessoa sempre sabe. Pode ser uma confusão como defesa subconsciente, devida à extrema negação e medo de se tornar algo que não se quer ser, tanto quanto pode ser uma confusão honesta. 
    Se existem rumores de que todas as pessoas se masturbam, é só pensar no que te excita enquanto o faz. A masturbação é o mais íntimo e livre link com a nossa sexualidade, talvez por ser isenta de julgamentos. Por aí já temos uma boa pista do que excita a pessoa. Mas isso não é suficiente pois a sexualidade vai além da excitação sexual. Como já discuti em posts passados, eu acredito que as pessoas são bissexuais, ao contrário do preto ou branco, hétero ou gay.      
    É completamente normal não estar certo da própria sexualidade. Especialmente entre os mais jovens. Porém esse blog não deveria ser lido por esses jovens, por que, de acordo com o Google, é para maiores. Não entendo, porém divago. 
    São pessoas de todos os lados te pressionando para que você defina o que você curte. Seja o lobby dos gays, seja a sociedade. 
    Imagine alguém que sempre se considerou hétero até que de repente começa a sentir-se excitado pelo mesmo sexo. Bate um desespero, uma revolta talvez. O problema é negar o conflito e tentar ignorá-lo. Por que não sanar a dúvida de uma vez? Falta de 'coragem', alegam.
    Viver na negação, como inúmeros casos de armário fazem, só frustra a você mesmo e a sua parceira-de-disfarce. No final terás de se embebedar para continuar vivendo com uma pessoa que não te completa/satisfaz. Esclarecer essa dúvida cedo é fundamental para uma vida sem pressões, realizante e próxima da felicidade, seja por qual lado decidires viver.
    Porém esse esclarecimento pode não ser tão simples, pode demorar meses, anos de reflexão e experiências. Infelizmente muitos homens vivem na esperança de ser ao menos bissexual, como se ser gay os tornasse menos homens, e tentam explorar ao máximo seu lado heterossexual, mesmo sendo o lado que não os satisfaz melhor. 
    Por mim, as vezes me sinto tão confuso quanto alguns leitores com quem converso. Porém já tive experiências, não entrando em detalhes de quantas. Excluí meu lado heterossexual, tenho plena consciência de que eu não conseguiria manter um relacionamento com uma mulher, apesar de não ter tentado. Talvez esse seja um erro óbvio? 
    Quanto a se definir, nenhuma pessoa, nem psicólogo, nem médico, nem autores de blogs vão te definir. É só olhar para você mesmo e refletir, é preciso ligar os pontos. Mesmo que eu ache essa definição totalmente desnecessária para uma vida feliz, isso pode ser feito como exercício de auto-conhecimento. 
    Será que não podemos ficar com quem temos vontade, seja homem ou mulher, sem a necessidade de escolher um dos lados exclusivamente? Se uma pessoa te faz feliz, não acho que deveríamos nos preocupar com o gênero, só curtir ;)

23 comentários:

  1. Não é possível se definir.
    As vezes até eu que pensava que era tão decidido e já tinha passado por tudo de ruim há muito tempo me vejo em caos e conflito comigo mesmo. E nem estou falando de ser gay.. conflitos fazem parte da vida, aprender a lidar com eles é parte do crescimento pessoal por que passamos. Apenas levante a cabeça, e seja você mesmo. É como eu me sinto agora, e como queria que cada um aqui se sentisse!

    ResponderExcluir
  2. Engraçado, há casos e casos. A masturbação que, como você disse, para a maioria é o que "ilumina" as incertezas, pra mim é o que mais as traz. Não penso em nada durante a prática, há apenas um prazer físico. Como me definir, então? É uma confusão honesta. Sinto mais interesse nos homens, admiro mais a beleza masculina e tenho vontade de me relacionar com eles, mas não sei dizer exatamente se é algo sexual, dado o fato da masturbação e de não ficar "fisicamente exitado" (se é que me entendem) com imagens, filmes e afins. A incerteza não é nem entre hétero, homo ou bi, mas entre homo/bi e assexuado. Já fiquei com garotos, mas nunca fiz sexo, será isso? Não sei, no fim das contas, a gente acaba cansando de paranóias com as incertezas e simplesmente vive e deixa-se levar da melhor forma que der, da que te deixar mais feliz (:

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também tenho essa incerteza, já fique com uma garoto e ele foi embora da minha cidade, tava apaixonado e sofri um pouco. Mas ai meus amigos como sempre me animaram. rsrs Conheci um cara mais velho do que eu, mas to sem coragem pra chegar ao ponto do sexo.

      Excluir
  3. Se definir não é fácil mesmo... Principalmente quando há pressões externas que já apontam uma definição que DEVE ser seguida. Enfim... "Vamos nos permitir" acaba sendo uma saída, mas existem casos e casos e essas auto-permissão, ou saída do armário pode ser declarada ou acontecer aos poucos, de forma discreta e derepente, vc já tá habituado com a situação...

    ResponderExcluir
  4. Tenho uma frase que sempre uso ao ser interrogado sobre minha sexualidade em conversas virtuais."Eu gostei ,eu quero".Independente de seu gênero ,afinal tenho os dois lados bem exercitados(Hetero/Homo).
    Tem um pensamento que quero acrescentar, cuidado ao definirem a sexualidade,pois ele é usada para sua classificação na sociedade,oq significa?.Que às pessoas vão trato-lo de acordo com a sua escolha,por isto que eu não escolhi ser classificado entre Gay,bi ou Hétero.A natureza não sabe oq é está classificação.Todos nós somos seres humanos que amam e ponto final.

    ResponderExcluir
  5. Olá, tenho 15 anos e acompanho assíduamente o blog, me interesso muito pelos posts e me identifico com a maioria deles! Tenho uma sugestão, sei que é um assunto bem clichê falar sobre homossexualidade na adolescência e como lidar com isso com os pais, no colégio, etc... Mas, seria muito legal ver isso da opinião de um gay, porque, nós, adolescentes, não temos muitas referências adultas (senão nenhuma) de um gay, de como ele teve uma maneira de lidar com isso e etc. Nós, trocamos conselhos entre nós mesmos, mas não temos a mesma experiência de um adulto! Ouvi falar uma vez que cada gay tem seu tempo certo de se assumir para a sociedade, concordo 100% com isso, mas você poderia dar alguns conselhos para nós, adolescentes, que ainda tememos muito do que os outros vão achar de nós e de como nossos pais vão lidar com a situação. Também queria que você falasse a sua opinião de relacionamentos virtuais, porque para nós, gays, é bem mais fácil de ocorrer, por, como você já havia dito em um post anterior que às vezes muitos não sabem onde encontrar parceiros e nem como se socializar, na verdade, sugiro um post só com sugestões e conselhos para adolescentes homossexuais, porque você é uma pessoa que tem capacidade incrível de transcrever nossos sentimentos com grande excelência em cada novo post!
    Gostaria de elogiar o maravilhoso blog e o bem que tem me feito ler seus posts.
    Obrigado, abraços.

    ResponderExcluir
  6. Mineiro, pela primeira vez não consigo comentar: PARABÉNS!!!

    P.S. Ao adolescente de 15 anos que postou antes de mim, quero elogiar, porque você escreve muito bem, semântica e ortograficamente falando, ainda mais se levarmos em conta como está o interesse pelos estudos da juventude de hoje em dia... Parabéns pra você também!

    ResponderExcluir
  7. Uau! Fico um tempo só lendo, tanto post quanto comentários. E ao final chego a conclusão que todos estamos em um armário de alguma forma.
    Ao garoto de 15 anos, se assumir é variável a cada realidade. Meus pais e meu irmão (mais novo) sabem de mim. E sempre fui sincero com eles sobre qm sou. Não tinha vontade de falar pros outros, mas pra eles. São eles que me importam.
    Se a pessoa é hetero, ele pode ser vagal, putona, reservada. Dai se é gay, ou é liberal pacas ou ainda é enrustida em algum grau. E nao gosto disso. Sou o que sou, gosto de beber cerveja (nda de bons drinks), me sinto bem no tipico chão goiano/mineiro. É como estar em casa...
    Só saberemos o que queremos de verdade vivendo, testando, provando. E terá coisas que não gostaremos. Ser gay é mais complicado que ser brega, puta, pegador incontrolável ou enrustido. Não precisa se esteriotipar... ser parte de um grupo diminui a solidão, mas viver tudo faz parte.


    Garoto de 15 anos: qndo se sentir pronto, falará o que sente. Pensar o que seus pais falarão não importa, no fundo. Qndo pra você for uma verdade inquestionável, vc terá uma conversa franca. Até lá, be happy!

    ResponderExcluir
  8. Garoto de 15 anos, minha sugestão é que antes de tudo (embora não tenha parecido ser este o problema) você tente se entender. Pesquise, corra atrás de opiniões acerca do universo gay (pró e contra), e forme sua própria opinião sólida sobre SI MESMO. O que quero dizer é que o foco não é o que os outros pensam, mas sim o que você realmente pensa.

    Assim você estará pronto para, então, enfrentar a sociedade e o que mais for preciso, QUANDO um momento de luta se fizer inevitável.

    Note também que pessoas de mesma idade possuem diferentes graus de maturidade. Então, mesmo que você seja maduro e pronto o suficiente para certas coisas, talvez as pessoas de seu convívio não o sejam.. já vi muitos de ambos os casos. Cabe a você avaliar se o momento já é propício, ou então trabalhar para torná-lo propício, quando você for forte o suficiente. Muitos gays do passado e presente trabalharam e sofreram para que nós, hoje, pudéssemos desfrutar de mais aceitação e até mesmo nos casar. Caberá a nós (ou alguns de nós) dar sequência a isso...

    Esperemos agora, então, a vinda de conselhos menos "generalizados", hahahahahah fui muito idealista =D
    Abraço do "tio" Josh (o.O)(4 anos a mais, já me sinto velho..) =P

    ResponderExcluir
  9. @Josh
    Imagina quando você estiver na minha idade, amigo?! hahahahaha Tô quase com 30, faltam menos de 2 meses... Mas já sabe dar conselhos, e dos bons! Parabéns (tirei esse tópico pra parabenizar, cruz credo!)

    ResponderExcluir
  10. O garoto de 15 anos aii estar de parabens. E muito bom o blogger...

    ResponderExcluir
  11. Particularmente cansei! Nada contra apreciar o corpo masculino, de fato, eu também sou um admirador, mas honestamente estou cansado de todos os carinhas sempre quererem alguém: magro, alto, definido. Eu tenho 18 anos, estudo na UnB (Universidade de Brasília) que é difícil para entrar como qualquer federal, tenho: dinheiro, moro numa das partes mais nobres de Brasília, sou gente boa [de verdade], não sou feio, apenas normal. Mas só porque eu sou um pouco mais gordinho, baixinho (tenho 1,70 de altura e peso 73 kilos, marcados insistentemente pela tenebrosa balança) e não sou de sair por aí pegando todo mundo, sempre levo fora... tudo bem que eu não sou de "chegar junto", mas as pessoas sempre procuram o "ideal" que eu já desisti. Tive poucas experiências nessa minha simplória existência e uma delas [A uma, aquela, a mais importante], de fato, me é motivo de arrependimento até hoje.

    Bem, foi mais um desabafo...

    Gosto da sua perspectiva, como você escreve, pelo menos é bem melhor que a maioria dos blogs que falam sobre esse assunto, com todo aquele ar de chocar a sociedade e ser pseudo-pintosa.

    M.

    ResponderExcluir
  12. Rapaz aí de cima! Cara não pense assim... as pessoas idealizam muitas coisas que querem e que nem sempre vão ter, pois o mundo não é feito apenas de "perfeições"!
    Outra coisa levante seu astral, pelo que vc descreveu de si, vc é uma pessoa muito bonita. Não tem pq ficar se pondo para baixo. Lute, vá em frente pq vc só tem a ganhar!

    ResponderExcluir
  13. Incertezas é o q. mais ronda a cabeça de muita gente, creio q. temos mais incertezas que certezas.
    Achei legal aquele tópico em q. vc fala da masturbação sendo um indicador bem real do sentimento, ser sincero conosco mesmo é o mais difícil, mas concordo com vc, que o mais importante é de que forma somos felizes o resto é simplismente rótulos que sociedade dá para cada um de nós.

    Valeu seu blog é muito bom.
    Icaro

    ResponderExcluir
  14. Ótimo e inteligentíssimo post!
    Parabéns pelo blog!

    ResponderExcluir
  15. Post muito bem trbalhado, gostei muito da sua forma pensar e escrever.
    E concordo plenamete com o que ecreveu, principalmente ficar com quem vc se sente be, e não definir quem é só por caprichos de terceiros... parabens pelo blog!

    ResponderExcluir
  16. Senhores: aqui vai minha opinião. O preconceito q de fato ocorre é o preconceito econômico. Estude, faça uma boa faculdade, siga uma profissao q seja interessante e prazerosa e q te garanta uma boa renda. More bem, tenha um bom carro e, se possivel, conheça varios paises. Vista-se com elegancia e assuma um comportamento menos afetado possivel. Existem dois grupos socias: os bem sucedidos e os fracassados. Ninguem gosta ou respeita esse ultimo. Homossexual pobre é viado, bicha, coisa, etc ... Homossexual bem sucedido é Dr. Fulano, Dr. Beltrano ... Garanto a vc: seu tio, primo, irmão, o escambau, não estarão nem aí, se vc for gay, morar numa cobertura, vestir-se com Armani, conhecer Milão, New York, Paris e for ao aniversario da tia Berenice com o "amigo" Rdrigo. Mas se vc morar no suburbio num quartinho, se vestir com roupas da lojinha da esquina do bairro, ter dente cariado, se comportar como uma travesti e ter renda de 800,00 por mes, ah! vc vai sim ser a bichinha da familia. " la vem o viadinho, filho do Juvenal com o bofe dele". Esse é o segredo. Ser bem sucedido. Não faltarão bons partidos. E mais: vc nem precisará ser bonito como o Gianechini (se é q é assim q se escreve). Cuida da aparencia, faz uns abdominais (tão bom quanto ter pau é poder vê-lo), saiba conversar ( ja tem tecnico de futebol demais nesse pais. Vc nao precisa ser mais um ). Seja interessante, generoso e gentil. So tem uma coisa q pode dar errado: com todas essas virtudes, nao sei se as mulheres deixarão vc disponivel para os concorrentes. Kkkk

    ResponderExcluir
  17. affff adoreiiiiii SOBRE A DURA REALIDADE Q O DIMITRI NOS FAZ VER E ENXERGAR...realmente eh a pura verdade.....mas nao adianta ser RICA e nao ser feliz

    ResponderExcluir
  18. affff adoreiiiiii SOBRE A DURA REALIDADE Q O DIMITRI NOS FAZ VER E ENXERGAR...realmente eh a pura verdade.....mas nao adianta ser RICA e nao ser feliz

    ResponderExcluir
  19. EU SEI PORQUE AS PESSOAS MAL-RESOLVIDAS ESTÃO CONFUSAS: MEDO DA SOCIEDADE E DA OPINIÃO ALHEIA..''É bastante fácil encontrar pessoas que estão confusas com a própria sexualidade, mesmo que na maioria dos casos a pessoa sempre sabe'',DIZ AUTOR DO BLOG. Amigo as pessoas estão confusas pq nao sabem se agradam a si mesmas ou a opiniaozinha de FULANINHO, SICLANINHO E BELTRANINHO....EH SOOO ISSSOOOO!

    ResponderExcluir
  20. Concordo contigo Dimitri. Infelizmente, na nossa sociedade, o preconceito social ainda supera, e muito, o sexual. Você ter dinheiro sem dúvida é um fator que te faz ganhar o respeito automático das pessoas. Não importando o que você é de verdade. :(

    ResponderExcluir
  21. EDUARDO PR
    Boa tarde a todos,esse blog e quem o escreve tem me ajudado muita nas minhas decisões.
    minha historia é coma a de muitos outros,tenho 30 anos,gosto de qse tudo q um het gosta menos de mulher, nao. não demostro ser gay,nem um pouco, e por isso sempre me senti um et, mais hj sei q existem mais caras como eu, moro em uma cidad de 50 mil h sou muiot conhceido aqui.
    qdo criança apartir dos 10 anos tive relacionamentos homo, alguns hehe coisa de pia (é o qeu pensava na epoca), parei com 15 devido a novas amisades e achando q era o momento realmente, nunca tive amigos gays, e vivi minha vida het ate os 23 namorei um ano e meio, sempre quando podia fugia de sexo com mulheres, no namoro rolava ate q naturalmente, porem tinha vergonha de estar ao lado dela, ficava feliz qdo me via livre dela, eram muitas as desculpas de isso aocntecer menos a de eu ser gay.
    perdi minha mae com 23 anos, foi um baque forte, na mesma epoca terminei meu namoro, e comecei a pesquisar na net, demorei 4 anos pra criar coragem e sair com algum cara, neste periodo transei poucas vezes com mulheres, me escondia em baladas e amigos, falava q qria curtir a vida regado a excesso de bebida, aos 27 decidi q iria sair com um cara e apartir dai vcs sabem, uma busca incansavel em sala de bate papo orkut e tudoi mais, sempre tudoe scondido coisa rapida, e no final nao encontrando o que queria saber, a resposta de quem realmente sou.
    esse ano aconteceu algo diferente, me apaixonei por um cara, ai tudo começou a fazer sentido, mais ele, esta em outra fase ou sei la, tem 22 e é bi pega mulheres tb, dizia q gostava d emim e qria uma "amizade colorida",foi ele quem me ensinou a bjar um h com carinho olhando nos olhos,
    essas duas semanas em meio a uma turbulencia emocional, coloquei o pe pra fora do armario, falei pra duas pessoas muito importantes pra mim minha tia e meu irmao, disse q é uma luta diaria e que estava sem força pra continuar, os dois me deram apoio e disseram o que sei, a resposta esta dentro de voce e vamos estar ao seu lado. hj iniciei tratamen psicologico com remedios, estou mais calmo, bem mais. com a cabeça fria, e com Deus au lado continuarei a busca de quem eu realmente sou.
    meu imail paranaense24@hotmail.com

    ResponderExcluir
  22. Incerteza... Provavelmente muita gente neste momento pode estar se perguntando qual sua própria orientação afinal de contas. Ou então, tentando se enganar. Lembro quando conheci certo amigo meu. A gente tinha muita coisa em comum, tanto em termos de "situação" (ambos estávamos começando o curso na faculdade, morávamos longe de casa etc), como em "cabeça" (temperamento, opiniões etc). Adoraaava passar o tempo conversando com ele, arrumei até a desculpa da gente estudar juntos para as provas, mas tentava me convencer de que era por ter tanto em comum e por considerá-lo um grande amigo.

    Tempos depois, já perto do fim do curso, não sei explicar bem, mas percebi que não era só amizade o que sentia por ele. Era algo físico E emocional, como, talvez, não tivesse sentido por nenhuma garota antes. Fiquei MUITO confuso e até me afastei dele um pouco (ele também não era tãão grande amigo assim...). Eu sempre tinha me visto como hétero e comecei a duvidar disso. Passei um tempo me enxergando como bi até que decidi abraçar a minha homossexualidade. Não que hoje eu dispense todo e qualquer relacionamento com mulheres, mas me sinto bem mais atraído por homens mesmo.

    Por ter passado por essas coisas na pele, entendo perfeitamente esse tópico de incertezas. Sei que muita gente deve pode estar passando por momentos muito mais incertos que os meus, mas acredito que pra tudo tem jeito. Eu concordo plenamente com o NB quando diz que ninguém de fora pode te dizer o que você é. Isso é um exercício que cada um deve fazer, juntar os pontos, deixar preconceitos de lado (buscar informações é essencial pra isso) e deixar o tempo amadurecer as ideias. Sem dúvidas, vai chegar o momento em que tudo fica claro e você se descobre. Homo, hétero ou bi, o importante é ser feliz consigo mesmo.

    Abraços.

    ResponderExcluir

#HTML10{background:#eee9dd ;}