Google+

domingo, 22 de maio de 2011

Apocalypse, por favor


    Ando curioso para saber como anda essa relação dos leitores com o abstrato. Digam-me se vocês acreditam em Deus, se seguem alguma religião e, por seguir ou não, se isso torna mais fácil a convivência consigo mesmo como gay. Ou a religião não interfere?

    Depois da votação do supremo sobre a união gay, acompanhei alguns canais de TV religiosos promovendo exaustivamente a definição de casamento 'ser entre homem e mulher', etc. Uma das propagandas que eu vi fazia a montagem de uma soma com os seguintes termos: homem + mulher + amor = família. 

    A princípio eu ri da ingenuidade e vagueza. Como se as famílias em que a mulher ou o homem não está mais presente fugissem da definição. Eu realmente gosto de assistir alguns canais religiosos. Mas os motivos não são agora relevantes. Divago.

     Será importante separar a religião - espiritual e pessoal - da instituição. Líderes das instituições, que tem suas opiniões e palavras ecoadas por vasto público, ao invés de promoverem a aceitação e o amor entre os homens, fazem exatamente o contrário. Nós, que nascemos como somos, não por escolha, mas por ocasião do destino ou pela 'vontade de deus', ainda temos que lutar contra o ódio disseminado por pessoas que se dizem mediadores do divino e o mundano. 
    Será um tópico quente ;) Opiniões por favor?
    Bom final de semana pessoal. ;)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

#HTML10{background:#eee9dd ;}