Google+

quarta-feira, 23 de março de 2011

Velhos períodos turbulentos


    Putz, eu já estive muito deprimido. Lá pelo meu segundo ano de ensino médio (5 anos atrás), quando eu percebi que não poderia mudar minha sexualidade, eu passei por período muito obscuro da minha vida. Ainda tenho os mesmos 4 amigos que ficaram mais próximos de mim durante o ensino médio, nós éramos muito chegados e éramos conhecidos como ‘o quinteto’ da escola. Já mencionei em alguns textos anteriores de como um amigo desse grupo era meu melhor amigo, e como eu havia me apaixonado por ele.
    Então, nessa época de descobrimento e rejeição eu tive um turbilhão de emoções. Pensei em suicídio e tudo mais e até me mutilava. Repensando esse período de instabilidade emocional, essas ações eram nada mais que um grito desesperado por ajuda. Era como seu eu descontasse minha frustração no meu corpo, já que na época eu odiava o que eu estava me tornando. Meio que uma válvula de escape para todo o ódio que eu recebia da sociedade secretamente, e o pior, de mim próprio.
    Infelizmente, a ajuda não veio e eu tive que passar por esse período sozinho. Não podia contar pros meus amigos e arriscar perder a amizade deles. Muito menos contar ao meu melhor amigo. O chato é que meus amigos sempre me perguntavam se eu estava interessado em alguém. De fato eu estava, mas nunca falava. Eles deviam me achar a pessoa mais assexual e chata do mundo, pois eu nunca contava dos meus desejos, de quem eu gostava, nunca falava de garotas hahhaah
    Uma das coisas ruins de estar no armário é que sua vida parece ser muito mais desinteressante do que realmente é. Eu tinha tantas coisas para contar, mas não podia. Eu sentia muita falta de conversar com alguém que me era próximo, falar sobre as minhas coisas. A única vez em que saí do armário, para uma amiga de muitos anos, eu tive que contar tantas coisas que ocorreram durante todos esses anos que que ficamos conversando por muitas horas. Ela ainda se mostrou indignada por eu não ter contado essas coisas durante a época em que estavam acontecendo, era como se faltasse uma parte muito legal da minha vida para ela.
    É muito óbvia a causa de tantos garotos que desenvolvem o gosto pelo mesmo sexo ficaram deprimidos. Para começar em casa, é horrível não poder contar para sua mãe o porquê você esta sempre tão deprimido. Todas as piadinhas que seus amigos contam ao seu redor, na televisão, as críticas dos estranhos na rua. São muitos ataques que temos que ouvir calados. E isso se tem seu efeito na auto-estima. 
Eu cheguei muito perto de fazer alguma besteira, mas eu superei. Sim, foi difícil, mas hoje estou aqui militando contra o preconceito. Também pretendo usar minha imagem para quebrar alguns estereótipos num futuro próximo. Imaginem se todas as pessoas que estivessem no armário decidissem viver em plena harmonia com sua sexualidade? Acho que não poderíamos mais achar um padrão para o ‘gay’ pois, pela minha experiência, há muito mais pessoas que nós podemos imaginar que querem explorar (ou já estão explorando) a outra parte da sexualidade. 
    Um dos meus incentivos para continuar escrevendo neste blog é a possibilidade de poder ajudar tanta gente que está por ai e que está passando pelas mesmas coisas que passei. Se eu ao menos tivesse alguém que me dissesse que tudo aquilo era normal e que as coisas ficariam melhores, teria sido muito mais fácil para mim. Senhores, sejamos felizes com nós mesmos. A aceitação vem de dentro. Não há como esperar que as pessoas nos aceitem se nós não nos aceitamos primeiramente. É a mesma coisa que fazer as regras, mas não segui-las.
   Abçs a todos =)   

39 comentários:

  1. Meu vc parece q viveu e vive a minha vida !!! Não tem noção como me faz bem ler seu blog e ver q eu não sou uma aberração !! estou ainda na fase dark mas tenho certeza q vou passar isso e vou ser felix com a parte do meu s2 q ainda não achei

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente companheiro todos nós sofremos esses sentimentos que nos deixam para baixo e triste. Acho que para mim será impossivel encontrar um verdadeiro amor de um homem... :( igoraugu2@gmail.com

      Excluir
  2. adoreiiiiii
    me vi nesse texto
    sempre falo para um amigo ,que acho que é gay , que quando sai do armario foi a melhor coisa que fiz . mas não fico forçando ou dizendo que a pessoa é. ele sabe o que é .
    eu falo aquilo que queria ouvir na época ...

    ResponderExcluir
  3. Comigo já foi diferente.
    Desde novo ja via que eu era diferente. Se eu estivesse na rua e passasse um garoto e uma garoto, meus olhos iriam para o garoto. A beleza masculina sempre me atraíra mais. Aos 14 minha mãe soube de mim. Tenter continuar escondendo, mas aos 18 pai e mãe ja sabiam. Muitos amigos também sabem hoje. Não tenho vergonha de ser o que sou. Mas sei que tem muito pela frente ainda.

    ResponderExcluir
  4. Perfeito post. Ao contrário de você, eu nunca contei pra ninguém. Vivo há 25 anos no meu absoluto silêncio interior. Também tive[tenho] depressão, pensei[penso] besteira mas hoje consigo viver sem tanta tristeza. Aliás, futuramente, poderia escrever sobre como é complicado ver seus amigos, familiares, primos, vizinhos casando e você.. sobrando. O que falar? O que responder?
    Enfim. Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu caro...o ser humano enfrenta suas batalhas de diversas formas. Alguns se dedicam de forma extrema ao trabalho e ao estudo para superar algumas diferenças. Penso que o melhor é aceitar, pois conforme exaustivamente analisado, trata-se de orientação e não opção sexual. Ademais, o desejo intenso pode ser aceito por aquele que sente. Quanto aos demais, que sejam ignorados. Intimidade significa, também, sigilo. A maioria dos heteros mantém o sigilo sobre a quantidade de parceiros!

      Excluir
  5. É... conclui q as afinidades são mais comuns do q imaginava... cada um nas suas peculiaridades vivendo situações parecidas! Vivi muita coisa q vc viveu também, me apaixonei por um amigo! Rolou alguma coisa, depois sofri a indiferença vinda dele.. Continuo no armário, nunca contei nada pra ninguém... tenho uma melhor amiga lesbica e um amigo q eu tenho certeza q eles sabem da minha opção, mas nunca me qstionaram, nem eu nunca falei nada para eles [mas em breve contarei]. Hj, como muitos caras, eu tbm sofro na busca de um relacionamento sério. Vivo sempre com o radar ligado, e sempre aparece caras q eu acho q "vai dar certo"... mas as situações em q isso acontece são sempre improprias, tipo no ônibus, no banco,ou qndo vc ou ele tá com muita pressa [Depois se vc tiver argumentos escreva um post sobre essas situações casuais,[diferentes de sexo casual, só pra constar]. . Tenho 19 anos [já sou seu leitor]e gostaria de dicas pra conter um pouco essa carencia sexual q insiste em escapar! As veses com um olhar eu já entrego q qro sexo.. parabéns pelo blog. Vc realmente é um cara muito interessante! .G

    ResponderExcluir
  6. Ae depois de ver e ler(muito) seu blog resolvi que devreia escrever um pois axo que isso serve como terapia pois axamos pessoas iguais a nos e nao nos axamos tao de outro mundo , vc me serviu de guia para fazer meu blog , sempre quis escrever com escrevia na adolescencia faze sempre dark para nos gays no armario, mas agora resolvi escrever , nao escrevo tao bem como vc mas cada um tem um jeito neh oq vale eh a intenção .. parabens pelo seu blog e quem quizer dar uam olhada no meu segue ai http://vivendoemsegundoplano.blogspot.com/ esta meio cru ainda mas estou aprendendo e gostando de escrever abraços

    ResponderExcluir
  7. Eu tenho 18, quase 19 anos. Moro em BH há um ano, e desde de que me mudei pra estudar, conheci um mundo de possibilidades, diferente do interior do estado. Acreditem, não é fácil ser um adolescente gay, mas numa cidade pequena é muito mais difícil. Depressão. Tentativas sempre frustradas de mudar o que eu sou. Mais depressão.
    E claro, tudo resguardado, sem direito a ajuda.
    Apesar de ter me aceitado plenamente há recentes 4 meses, já percebo o universo gay como um todo e me interesso cada vez mais pelo assunto no nível psíquico e biológico, mesmo estudando ciências exatas. Dá pra ver um padrão no desenvolvimento de uma pessoa como gay, todas as histórias convergem, mesmo tendo cada uma suas peculiaridades.
    Só me foi possível uma aceitação completa quando conheci uma pessoa em especial pela internet (o que foi a maior sorte que já dei na vida). Por ter uma personalidade parecida com a minha e ter passado pelo mesmo que eu, ele foi capaz de me compreender como ninguém nunca foi. Hoje estou um nível acima, apaixonado (não por ele). Está sendo um desafio me domar, pq eu apaixonado só faço besteira, ainda mais sendo meu primeiro amor por um homem (ansiosidade). Enfim.
    O que quero dizer N.B., tomando minha vida como argumento, é que vc tem razão. Um blog como esse faz uma diferença enorme na vida de muita gente. Então faça um esforço, vida de universitário é dura (eu sei bem), mas não deixe de regar essa sementinha que vc plantou aqui! (Isso foi manjado, mas td bem haha).
    Vc é inteligente e bem intencionado, se quiser trocar ideias, seria um prazer (msn, confirma lá =D). Ah, e vi que vc é obcecado por beleza, o que não é uma qualidade. Digo isso pq eu tbm sou, mas falo por aí que não sou. Não me orgulho disso, mas é tão fisiológico quanto ser gay (ou bi, sei lá).
    Perdão pelo texto de 5 Km, às vezes eu exagero... abraço a todos =D

    ResponderExcluir
  8. tenho 19 anos. morei muito tempo em cidade grande, então quando eu passei pra universidade tive que ir para uma cidade menor! e vou dizer é SUFOCANTE, voce ter que fingir ser uma coisa que não é e não ter uma válvula de escape!
    Claro que tenho alguns amigos aqui que sabem de mim, porém na sua maioria meninas, sinto falta dos meus amigos Gay/Hetero que sabiam de mim e eu tive que deixar pra trás!
    me vi muito com o que voce escreve no blog e sempre leio. me aceitar foi dificil e até tentei fazer uma besteira. hoje já me sinto resolvido com o que eu sou!

    ResponderExcluir
  9. Parabéns pelo post..
    como disseram algumas pessoas "me vi nele"..
    representa tudo q passeo, epelo visto não só eu!

    Dinho!

    ResponderExcluir
  10. faz escreva sobre pegaçao gay em banheiro,saunas e em parques
    isso é um vicio ou a pessoa nao é capaz de pega alguem se nao é nesse lugares?

    ResponderExcluir
  11. É tenso mesmo...

    tomei muitas atitudes loucas e até hoje sou paranóico...

    preciso me tratar mas nao tenho dinheiro pra psicanalista hehe

    ResponderExcluir
  12. Cara, meus parabéns pelo seu blog, me indicaram ontem e já li todas as postagens.
    Tenho 21 anos e ainda estou no armário tendo que aturar todas essas situações (já pensei em suicídio tbm).
    Recentemente contei a minha prima e meu melhor amigo, e fui muito bem acolhido por eles, os 2 se tornaram meu alicerce pra continuar lutando, sem contar que agora tenho com quem compartilhar minhas conquistas e dores.
    Verdadeiros amigos são realmente tudo em nossas vidas.

    ResponderExcluir
  13. É impressionante! tantas pessoas na mesma situação e onde estão vcs?! Procuro, procuro e nada... só encontro caras muito assumidos, ou muito safados, ou q não tem nenhum argumento a não ser falar de sexo! É mesmo muito dificil encontrar uma pessoa ideal pra se relacionar! Sinceramente.. o pessimismo já se apossou de mim!!! resisto até o limite físico do meu corpo, e qndo não dá mais pra segurar o tesão reprimido vou atrás de pegação. Quero mudar essa minha situação, nunca tenho sorte em chats como alguns tem, mas como muitos busco a beleza e o o bom papo como padrões. Procuro caras jovens qse na mesma faixa de idade minha, e q tenham atitude e opinião. Enqnto ele não aparece vou criando mofo dentro do meu armário! .G

    ResponderExcluir
  14. nossa cara adorei msm esse post esse é o melhor q li ate agora eu ate kuase xorei, kuase kk.

    ResponderExcluir
  15. Na maioria dos teus posts eu poderia escrever o comentário "passei pelo mesmo", mas escolhi comentar apenas neste porque, dentre todos, foi o que mais abordou os problemas pelos quais passei na tentativa de entender minha sexualidade (não que eu já tenha conseguido entendê-la completamente). Achei bem interessante quando tu falaste na possibilidade de ajudar as pessoas que estão passando pelas mesmas coisas que tu passaste. Era o que eu precisava quando tinha meus 15/16 anos (estou com 21 agora). Parabéns pelo blog.

    ResponderExcluir
  16. este e period que estou passado saindo de um relacionamento aonde ele so soube passa a perna em mim , hoje estou devendo ate o cabelo de onde nao tem e nao sei o que fazer pois a pessoa me abondonou

    ResponderExcluir
  17. andre_rudboy@hotmail.com Kra descobrir teu blog hj e estou viciado, me sinto otimo em saber q ñ sou a unica "aberação" do mundo. Na opnião de uma infinidade de pessoas q me cercam homossexual é isso uma aberração. Estou na fase mais dark da minha vida tenho 20 anos e tentei suicidio diversas vezes mais como tenho uma formação religioso ñ consigo chegar ao fim.
    o Pior de td é ñ ter com quem contar. Eu melhor do q qualquer pessoa sei q ninguem escolhe ser homossexual, o pior é q tenho q ouvir calado os pastores e meus parentes falando o contrario apesar de ñ saberem minha condição homossexualismo é sempre um assunto em pauta, me sinto mal em ñ poder gritar e dizer ninguem em sã consciencia iria querer ser gay. Pois o q um gay passa é muito ruim e sofrido. preconceito no colégio e como eu sofre Bulling, em casa tem medo da familia te odiar e ainda tem o problema da religião para alguns, o q é o meu caso enfim jamais seria gay por livre espotania vontade acredito q acima de td falta eu me aceitar eu ñ sei se qro ser gay, se qro chegar e dizer pros meus amigos q curto ficar com homens no fundo eu ñ consigo me aceitar e digo mais eu ñ qro me aceitar, apesar de defender um mundo em q seremos apenas seres humanos q tem seus gostos e ponto.
    Ai Galera quem quiser me add pra batemos um papo meu msn ta la em cima eu acc só q é pra bater papo ñ vou ficar nu me mostrando.

    ResponderExcluir
  18. Foi justamente o que eu passei. Eu entrei numa depressão horrível e o que é legal é que eu agora me orgulho de ter vencido essa fase. Acho que nunca mais vou chegar ao fundo do poço igual eu cheguei no meu 2o ano de ensino médio. Eu, como vc, pensei por um tempo em suicídio, chegando até a procurar arma na internet pra comprar. Até hoje eu não acredito direito que vivi aquilo.

    ResponderExcluir
  19. Adorei o post. Sim, como mtos já falaram me identifiquei com a sua historia. Mas, ha situacoes em que nao vivi, como a da automitilacao.
    E essa parte de contar para uma amiga, estou pensando nela faz tempo. Porem, tenho vergonha da reacao que ela vai ter.
    Tenho 20 anos e nunca namorei, nunca transei com ninguem. Entao, nao sei se sou mesmo gay. Suspeito mto haha pois tenho MTA atracao por homens, como vc disse em outro post "passaria horas adimirando um homem"
    Gostaria de dicas, pois acredito que vc tenha mais esperiencia que eu hehe

    vou deixar um email que uso para esse meu mundo secreto da diversao e curiosidade gay.
    remave@bol.com.br

    abraço e paranbens pelo blog

    ResponderExcluir
  20. NOSSA, fui obrigado a fazer um comentário agora. Apesar de ter lido seu blog do primeiro post até agora e depois dar continuidade preciso dizer que sofri muito no ensino médio, e como nossa vida, nosso jeito faz sentir que somos menos interessantes mesmo. E que seu blog é um dos melhores que eu já li. Indiscutivelmente. Excelente blog, sempre quis escrever assim. E pra completar só, o jeito que escreve supre de alguma forma nossa carência de amigo de verdade, não aquele amigo de barzinho, aquele amigo que te entende mesmo. Já tive depressão, não tinha vontade de ir na escola, foi uma época difícil também.

    ResponderExcluir
  21. Isso é um probema que se resolve indo a aum psicologo..

    Não mistures as coisas..O fato de ser gay, e levar um fora..

    Ou você acha que isso é algo exclusivo de homosexuais?

    Se vc quer ser gay, seja, mas bote na sua cabeça que nem todos são e serão....Antes de se apaixonar por alguem, veja se ele também faz parte.

    Se suicidar só pq vc descobriu que é gay e estava apaixonado pelo seu amaigo hetero???? Sinceramente, tem gente no mundo com problemas bem piores que isso.

    ResponderExcluir
  22. Nesse ponto eu até que tive mais sorte que você... Na quinta série tive um amigo que também era gay, e sabia q eu curtia garotos... (como ainda é difícil escrever "eu sou gay, né?" hehehe) Eu contava praticamente tudo pra ele, e ele praticamente tudo pra mim... Nos momentos de solidão, até rolava uma pegação! Se assim já foi MUITO difícil, imagino quem não tem com quem contar... =(

    ResponderExcluir
  23. Cara, vc descreveu exatamente o que eu passei e ainda passo: os amigos héteros, a paixão pelo melhor amigo, a amiga que sabe...
    No caso do meu amigo, eu ainda convivo com essa terrível dúvida se ele é ou não gay =/
    1° vez que entrei no blog, achei mto massa os textos e afins hehehe
    Abraço

    ResponderExcluir
  24. Cara, Muito bom seus posts, tenho 18 anos e vivo totalmente ''no armário'' me identifiquei bastante com os períodos de turbulência que vc passou... são periodos pelos que ainda passo e sofro muito com isso.

    ResponderExcluir
  25. Tnho 17 hj e passei pela parte mais intensa desse período no ano passado mais ou menos. Era complicado pra mim também, morava num bairro pequeno e já sofria bullying por várias coisas, não que eu sofra mais esse tipo de coisa hoje. Acredito q com o tempo acabei amadurecendo e mudando meu modo de ser assim que me aceitei como gay(ainda no armário). Mas voltando ao assunto, tbm me apaixonei pelo meu melhor amigo e eu já era tímido pra piorar tudo. Por fim acabei me mudando de cidade. Achei até melhor assim, mas fique um longo período em depressão por causa da paixão, aceitação, medo etc. Foi horrível, ficava em casa sem amigos, calado e triste. Por vezes pensava em desabafar com os pais, mas quando chegava perto disso fazia parecer q era mais um motível fútil q os adolescentes tem para estar tão derrubado. Mas no fim disso tudo acabei além de tudo a me aceitar de vez como sou, sem deixar me influênciar pela minha igreja que fala tão mal dos homosexuais, assim como diversas outras.

    Bem desabafei um pouco, afinal, enquanto não posso falar com a família sobre o assunto utilizo escondido as opções disponiveis

    ResponderExcluir
  26. Tnho 17 hj e passei pela parte mais intensa desse período no ano passado mais ou menos. Era complicado pra mim também, morava num bairro pequeno e já sofria bullying por várias coisas, não que eu sofra mais esse tipo de coisa hoje. Acredito q com o tempo acabei amadurecendo e mudando meu modo de ser assim que me aceitei como gay(ainda no armário). Mas voltando ao assunto, tbm me apaixonei pelo meu melhor amigo e eu já era tímido pra piorar tudo. Por fim acabei me mudando de cidade. Achei até melhor assim, mas fique um longo período em depressão por causa da paixão, aceitação, medo etc. Foi horrível, ficava em casa sem amigos, calado e triste. Por vezes pensava em desabafar com os pais, mas quando chegava perto disso fazia parecer q era mais um motível fútil q os adolescentes tem para estar tão derrubado. Mas no fim disso tudo acabei além de tudo a me aceitar de vez como sou, sem deixar me influênciar pela minha igreja que fala tão mal dos homosexuais, assim como diversas outras.

    Bem desabafei um pouco, afinal, enquanto não posso falar com a família sobre o assunto utilizo escondido as opções disponiveis néh? =P

    ResponderExcluir
  27. Cara, hoje - 21 de agosto - foi a primeira vez que tive a coragem de contar para alguem que eu conheço sobre os meus desejos.
    Foi para um amigo da faculdade com quem morei por dois anos.
    E, somente contei pq sei que ele é gay. Mesmo assim, com muito receio.
    Sinceramente, acredito que nunca terei a coragem de um dia me abrir para minha família e meus amigos. Admiro quem tem essa coragem e continua agindo do mesmo modo, com o mesmo padrão de comportamento.
    Todo esse meu medo é de sofrer ainda mais rejeição do que sofro.

    ResponderExcluir
  28. Você já teve a sensação de não estar lendo o texto, mas estar sendo lido por ele? Foi a que eu tive lendo esse, e chorei muito. Você é um escritor magnífico, e foi muita sorte eu ter encontrado esse blog hoje. Temos muitas coisas em comum, ou pode ser pelo fato de termos a mesma orientação sexual. Enfim, eu gostaria de ter um amigo como você. É muito, muito nobre da sua parte estar tentando ajudar pessoas que possivelmente, nesse exato momento estejam sentindo tudo isso, esse tsunami devastador de sentimentos que nos corrói, mas que nos tornam fortes e muitas vezes define o nosso caráter.

    ResponderExcluir
  29. Muuito legal esse post , eeu sou bissexual ,mais gay do que hétero pra falar a verdade,mais como eu curto mulheres tbm pra mim não faz diferença ser assumido ou não,ja me apaxonei por um amigo tbm,ele é perfeito ,mais nunca pensei em dizer isso pra ele,eu faço "brincadeirinhas" com ele mais ele nem percebe nada,talvez por que sejamos amigos de mais..Só sei que eu não pretendo levar essa vida de bi adiante,ja tive relacionamentos com homens e uma coisa eu percebi,nenhum deles me amaram de verdade,só queriam usar meu corpo,sou um gogo boy de 23 anose sou feliz assim :)

    ResponderExcluir
  30. É NB, nossa situação é a mesma. Também passei pelas mesmas fases que as suas. Também me apaixonei por um vizinho que, diga-se de passagem, me fez sofrer muito. No fundo acho que ele era tão perdido quanto eu. Também já pensei em suicídio.

    ResponderExcluir
  31. descreveu o q vem acontecendo comigo ultimamente...

    ResponderExcluir
  32. Concordo que é hipocrisia os "gays discretos" discrimanarem os afeminados. É como um moreno reclamar do preconceito contra a sua cor de pele e, ao mesmo tempo, discriminar os negros.

    Por outro lado, será que os afeminados mancham o nome dos gays? De certa forma, acho que sim. Acredito grande parte do preconceito deve-se à associação que a sociedade faz da imagem do gay com a imagem do afeminado.

    Todos os gay são afeminados? Claro que não. Acredito até qua a maioria não seja, mas é algo difícil de quantificar, pois penso que uma maior proporção dos discretos esteja no armário quando comparado aos afeminados.

    Os gays discretos não querem ser misturados com os afeminados. Não acho que eles estejam errados por pensar assim. O que está errado são os discretos discriminarem os afeminados. Eu me considero discreto e confesso que tinha preconceito contra afeminados. E acho q muitos pensam assim. Tanto é que a pergunta "é afeminado?" com certeza está entre as top 10 do bate-papo da uol.

    Ultimamente tenho mudado meu pensamento e já considerei tentar algo com um cara afeminado, apesar de ainda não ter acontecido. Por outro lado, ainda não gosto de ser colocado no mesmo "saco" dos afeminados. Não penso que seja um modo de agir errado: eu simplesmente não sou afeminado e não gosto que me vejam como um. Também acredito que a aceitação dos discretos seria mais fácil se não fossem vistos da mesma forma que os afeminados. Isso, entretando, não quer dizer que os afeminados devem ser rejeitados (tanto pela sociedade quanto pelos discretos).

    Lucas
    Fortaleza-CE

    ResponderExcluir
  33. Coloquei o comentário acima no local errado, queria comentar o post "Queridas travas".

    Lucas
    Fostaleza-CE

    ResponderExcluir
  34. Oi, tenho 16 anos e to adorando o blog. Queria dizer que sinto tudo isso que você descreveu no post, me sinto deprimido,culpado, com baixa auto-estima, me afeto com as piadas feitas pela mídia, pelos amigos e etc. Já senti vontade de me matar, é muito martirizante sentir essas coisas, mais martirizante ainda é porque não tenho certeza se sou gay ou bi, já contei pra duas amigas e elas disseram que é normal ter essa dúvidas durante a adolescência, mas elas são jovens e não tem o tanto de saberia que você tem, queria muito a sua ajuda,saber como você superou isso, o que eu devo fazer. Desde já agradeço

    ResponderExcluir
  35. Velho, é uma pena que depoimentos como esse (e os dos comentários) não sejam lidos por homofóbicos. Sem dúvida alguma, parte do que me fez quebrar meus preconceitos e me aceitar foi ler a história de outras pessoas. São um choque de realidade. Também são frequentemente muito tristes e capazes de causar empatia em qualquer um. Dá até raiva quando penso que a sociedade discrimina, mas não percebe o mal que isso nos faz.

    Como eu comentei antes, descobri minha "nova" orientação quando já era bem adulto. Antes disso, acreditava mesmo que era hétero, tinha atração por mulheres e tal. Hoje eu me questiono se era mesmo atração ou simplesmente seguindo a "inércia" do que a sociedade pensa do que é "ser homem". Sei lá.

    Em todo caso, o fato de ter tido apoio imenso de alguém fez toda a diferença pra mim. Claro, passei por períodos confusos e de depressão também, e ainda quero ter minhas primeiras experiências com este "novo eu". Mas se eu puder recomendar alguma coisa, procurem ajuda. Especializada ou não-especializada (ou ambos), ter um suporte faz toda a diferença.

    Pra finalizar, desejo MUITO que seu blog continue ajudando. Dou muito valor a quem tem esse tipo de iniciativa. Seus textos são sempre bem escritos e frequentemente conseguem sensibilizar as pessoas. Não desanime :)

    ResponderExcluir
  36. Cara, de verdade você esta me tirando muitas dúvidas, me ajudou muito. Tenho amigos gays e ja me aceitava, mas não totalmente e agora sim, completo. Mas uma coisa que me assombra é Contar ou Não aos meus pais? Eu não quero contar, medo de como iam reagir, familia, tudo. Mas me ajudou muito, obrigado!

    ResponderExcluir

#HTML10{background:#eee9dd ;}