Google+

quinta-feira, 17 de março de 2011

Iludindo mulheres

Na verdade eu tive uma coisa muito mal definida com uma garota depois dos meus 16 anos. Não foi um relacionamento nos moldes tradicionais, porém eu considero como um relacionamento. Muitos de vocês vão discordar. Enfim, é uma história longa, tentarei encurtá-la ao máximo.
Tenho uma amiga americana a quem conheço desde os 18 anos. Falávamo-nos por MSN, voz, vídeo e coisas do tipo. Por um motivo não muito claro ela se apaixonou por mim. Ou talvez seja claro e eu estou apenas sendo modesto.
Ela sim havia proposto se mudar para o Brasil para me conhecer, fazia planos de aprender português e ensinar inglês por aqui e insistia muito numa relação. Mas eu nunca dei muita bola e acabei por partir seu coração. Ela afirmava que eu não nem dava uma chance para o que poderia se tornar um romance. Bem, eu realmente não sentia que ela era a pessoa mais agradável do mundo, nem a mais atraente.
Continuamos nos falando e em torno de dois meses depois ela me apresentou uma amiga da Holanda. A princípio eu, simpático e educado como sempre, mantive a conversa com a garota, quem eu pensava que tivesse 16 anos. Com um pouco mais de conversa descubro que na verdade ela tinha 15, o que me tirou todo o tesão pela conversa. Apesar da idade, ela realmente sabia como ser engraçada e sarcástica e ainda continuava a me chamar no MSN para conversar durante os próximos dias.
Ficamos assim por 1 mês mais ou menos, conversando com uma freqüência quase diária e por varias horas por dia, já que eu estava de férias no período. Percebi que estava gostando dela e comentei. E fui correspondido. Fiquei em êxtase por alguns dias, semanas e meses com ela. Conversávamos ainda mais freqüentemente, por telefone, por câmera, fazíamos planos para o futuro, queríamos o tradicional de todo casal como um casamento, uma festa, uma casa e parentes chatos que não suportamos, uma casa, 3 ou 4 filhos e um bom lugar para vivermos. Ficamos nessa por 1 ano de 8 meses. Eu me enganava e enganava a ela. Mas eu realmente pensei que, motivado pelo sentimento que eu tinha, eu poderia fazer um esforço e passar o cadeado no armário para sempre.
Mas em certo momento aconteceram coisas. Não darei detalhes em respeito à pessoa e a nossa história, mas foram algumas coisas que ela não tinha sido totalmente honesta comigo e como eu a traia com homens durante nosso relacionamento alternativo, eu me sentia mal e resolvi usar essa brecha para terminar.
Ficamos uns 2 meses com aquele clima chato, ela não entendia bem o porquê, quando, com uma dose maior de coragem eu resolvi abrir o jogo com ela.
_Eu, talvez, sofro de um distúrbio sexual.
_Como assim?
_Eu gosto de garotos
_Oh

_Pois é, alguma coisa que queira saber?
_Você já foi pra cama com um homem?
A princípio ela aceitou de boa. Passada a empolgação inicial com todas as perguntas indiscretas que ela poderia me fazer veio a indignação. Ela não conseguia se conformar com o fato de que eu havia a traído e enganado por tanto tempo. Eu tentei explicar que eu estava confuso e que eu realmente sentia todas as coisas que eu disse. Além disso, eu realmente queria estar com ela, ter filhos e tal. Também, o fato de ela não ter sido completamente honesta comigo sobre um detalhe é algo que mexe com uma pessoa superficial como eu. Enfim, eu superei essa relação rapidamente, apesar de ter sofrido como nunca antes ao ver meus sonhos de uma vida tradicional (mas não ‘normal’ pois todo estilo de vida é normal) desmoronar na minha frente. A maior parte por minha causa e eu ainda podia evitar e escolher ficar com ela. É aquele tipo de escolha que pode mudar totalmente o curso de uma vida.
Ela, por outro lado, não superou a relação tão facilmente e ainda tem uma queda por mim. Mas eu tento fazê-la entender que eu não estou atraído por ela, ou pelo sexo dela. Devo ser inesquecível mesmo: coisas como essa massageiam o ego. Hoje afirmo com convicção que vaginas me assustam mais do que nada e quem me conhece melhor sabe que eu não chegaria perto de uma.
Ainda assim me sinto culpado de tê-la iludido por tanto tempo. Talvez se eu fosse ‘hétero’ eu poderia superar os detalhes que me fizeram terminar, talvez eu não fosse tão superficial com relação à imagem feminina. Ou talvez o fato de eu ter escolhido uma pessoa tão distante de mim para me apaixonar foi uma medida subconsciente para eu não ter que ‘comparecer’. Acho que nunca saberei.
 Enfim. Esta história ficou longa de mais e terei que deixar o resto do tópico para um próximo post.

7 comentários:

  1. Todos passamos por situações parecidas. Apesar de ter tido rolinhos com muitas mulheres na primeira juventude, foi meses antes de ter a primeira relação com um homem que tive minha primeira namorada. Durou 1 mês. Ela era LINDA, inteligente e tinha diversas qualidades, mas saber que eu a enganava não era nada bom. Apesar de que eu tentava dar certo (e meu subcosciente me sabotava). Fora o fato de ter que fazer sexo com uma mulher (!!!) Depois que a gente se liberta desse tipo de coisa dá um alívio...

    ResponderExcluir
  2. Seu blog é e somente é interessante por quem o escreve. A diferença de tantos outros blogs por aí é que você parece ter senso crítico e escreve melhor que a maioria. No mais, provavelmente vários carinhas vão se identificar com os relatos, ou melhor, todos, servindo mais pra saber que o que vive não vive sozinho.

    Só gostaria de criticar negativamente o fato de você contar vantagem aqui e ali. Já que assina os posts apenas com iniciais e nós não temos acesso à sua verdadeira identidade, não tem a menor necessidade de enaltecer possível beleza e tudo mais. A não ser que, numa via de mão-dupla, o blog também sirva como uma terapia para você mesmo, como uma espécie de "exibicionismo" que, com suas próprias palavras, possa servir pra massagear seu ego!

    Por que você não divulga um msn pra que, quem se interesse, te adicione e você possa se livrar dos chats da UOL? Também sou interessante. :) haha

    ResponderExcluir
  3. Caro leito anônimo, realmente tenho contado vantagem em alguns trechos. A questão é que, como disse nesse próprio post, é uma massagem ao ego. Nenhuma crítica é negativa, a não ser que seja destrutiva. A sua me ajuda a melhorar meus texts e estou mto grato a ti.
    Realmente, se há pessoas que leem este blog e se identificam, talvez ha a chance de eu econtar minha alma gemea por aqui. Mas para manter minha id secreta ainda não posso postar fotos. A idéia do msn é razoavel, nao aguento mais o uol hahaha. Acho que publicarei, um fake a principio, claro.
    Obrigado.
    Bom final de semana.

    ResponderExcluir
  4. Boa ideia, Anônimo. Os contatos aqui soam formais demais pra quem se identifica.... Não publica foto sua mesmo não, ainda mais que você tá contando tantas coisas tão íntimas!Fico esperando esse MSN tb :)

    ResponderExcluir
  5. cara tipo gostei mt , mt bom msm , tipo mt's homens passam por isso e mt das vezes naum tem coragem de se mostra qm sao realmente isso cerve como uma boa e maravilhosa meditacao.....

    ResponderExcluir
  6. Relacionamentos que não tem a menor possibilidade de dar certo são a primeira alternativa de fuga na minha opnião! Vivi algo semelhante com uma garota canadense , mas acho que nutria um sentimento por ela simplesmente pelo fato de no fundo saber que a relação estava fadada ao fracasso! Se estava me enganando ou a ela ou aos dois eu realmente não sei, mas que se ela vivesse na rua abaixo a minha não teria ficado tão interessado assim como cheguei a conclusão depois que a conheci pessoalmnte, acho que passar o cadeado no armário já pesamos várias vezes mas acho que não existe um cadeado tão forte assim!

    ResponderExcluir
  7. NB, garanhão! huauahauhau
    Pode dizer mesmo, cara: "eu sou gostoso pra caralho!" É bom que atiça a imaginação da gente xD

    Falando sério agora, apesar de ter procurado alguns relacionamentos com mulheres quando era mais novo, nunca tive muita sorte e sempre fui muito tímido (e cego). Hoje em dia, acho que até pegaria uma mulher numa boa, mas como eu me sinto bem mais atraído por homens, eu prefiro evitar relacionamentos héteros pra não ficar decepcionando ou partindo o coração de ninguém. Como toda mulher sonha em casamento e como a sociedade só aprova relacionamentos monogâmicos, como ficaria a nossa atração por alguém do mesmo sexo? A gente vai ficar reprimindo eternamente ou vai despedaçar os sonhos de uma pessoa?

    Abraços.

    ps: pela quantidade de comentários, acho que poucos tiveram histórias com mulheres :P

    ResponderExcluir

#HTML10{background:#eee9dd ;}