Google+

domingo, 27 de março de 2011

Discreto?

Às vezes penso se me afirmar como gay me faz menos homem. Se eu me afirmasse como gay para outras pessoas, tenho certeza que elas pensariam que sim. E quanto a me afirmar como gay para outro gay? Tenho tido a sensação de que a comunidade gay também é bastante machista. 


      Frases como ‘não sou, não curto afeminados’ ou ‘sou super discreto’ estão impregnadas na vida de quem procura pessoas pela internet. O mais irônico é que, apesar de eu também preferir que as pessoas que me conheçam sejam discretas também, alguns dizem que são, saio para conhecê-los, mas quando abrem a boca... Sejamos bastante cuidadosos para não confundir gosto com preconceito nesse monólogo. Falo do gosto pelo homem que age como o homem tradicional, que fala grosso, anda confiante e tem um aperto de mão firme. 

Tenho um amigo que me descobriu gay pelo Uol. Isso tem uns quatro meses. Ele é da minha turma na faculdade. Eu, com toda minha inocência, havia colocado a câmera direto no meu rosto quando ele pediu para me ver. E foi certo, ele me reconheceu. A princípio ele não se identificou, o que quase me causou um ataque do coração ou derrame, ou dos dois juntos... Mas depois de um tempo ele disse quem era e me deixou mais tranqüilo. Ele afirmou que não esperava isso de mim e que lhe causava grande surpresa. Eu, por outro lado, disse que não me era surpresa alguma e que eu sempre soube porque, bem, ele ‘dava pinta’. Ele disse que achava isso ruim e se pudesse ele queria não parecer tão óbvio.
Quanto a esse tipo de comportamento afeminado, eu tenho a idéia que também não é uma opção. O machismo implícito na comunidade gay se faz visível com esse preconceito contra o gay afeminado. Ouço muitos argumentos como ‘se fosse pra eu ficar com mulher então eu pegava mulher de verdade’. Mas todos sabemos que não é simples assim.
Gostaria de citar uma questão machista da Grécia antiga, sobre esta foto à equerda. Nestes vasos, o grego está à esquerda, bastante excitado e o persa à direita. Os persas eram vistos como inferiores pelos gregos, por terem sido derrotados tantas vezes e eram considerados um povo de escravos. Notem que o persa toma uma posição submissiva. Assim, o pintor do vaso expressou a superioridade do grego em relação aos persas, em acordo com os conceitos das relações sexuais gregas: um homem que se oferece a outro homem era visto como inferior. Trazendo essa história para os nossos dias, eu imagino que há uma associação de o gay afeminado ser visto como um homem que se submete a força do outro, como uma mulher, em contraste com a imagem mais comum do que um homem deveria parecer.
Noto que esse comportamento não é só uma questão de gravidade da voz, também está relacionado com um certo sotaque gay. Não me atreverei a apontar causas para isso, são apenas especulações: falta de uma imagem masculina durante a infância a quem a criança possa copiar? Alguém que entenda do assunto traga-nos a luz nos comentários, por favor rsrs
Também sei que esses gays são os mais atacados pela sociedade, mesmo que não estejam fora do armário. Eles não conseguem esconder esse comportamento, como meu amigo que me pegou no UOL, portanto, pra que culpa-los?
Quero citar também que já vi pessoas extremamente afeminadas que se dizem ser héteros e dizem ter namoradas. Pessoas que eu teria certeza que são gays, exatamente por esse comportamento afeminado, mas que não são (ou dizem não ser). Se eles são héteros realmente, significa que o comportamento afeminado não é uma exclusividade dos gays e tem uma causa comum, não relacionada à sexualidade talvez.
O que nos faz homens então? Somos todos homens. Essa rotulação de gay, afeminado, discreto, bi e tantas outras são nuances de só mais uma das características que nos fazem homens. Podemos nos olhar no espelho e ver claramente a imagem de um homem. Definições de homens como ‘homem macho’ ou o padrão de masculinidade são definições temporárias. Talvez daqui cem anos a definição de masculinidade aplicável seja outra totalmente diferente.
Abç a todos.

29 comentários:

  1. Acho bem complicado o motivo pelo qual alguns caras são tão cheios de trejeitos femininos. Se é cultural ou não eu não sei, mas fato que alguns mesmo ainda crianças já eram assim. Tive alguns exemplos no colégio onde estudei que alguns colegas com seus 8, 9 anos já tinham a estrela brilhando na testa! Se essa estrela significa que são gays ou não eu não sei. Um deles, o que tinha a maior estrela de todas, namora uma menina há anos! Se ele tenta se enganar ou se ele é bi, só ele sabe... Fato que cultural é, sim, dizer o que é trejeito masculino e o que é trejeito feminino, né? Então talvez sejam várias coisas que acabam por determinar a atitude de um e outra pessoa, até porque você não é ou "bixa" ou "meu deus, nunca imaginei que você fosse gay!". Acontece com as mulheres também: umas são muito femininas, outras nem tanto, outras são mais homem que eu! E, com elas, acho que o preconceito é bem menor.

    Se daqui a cem anos as definições sexuais serão diferentes eu não sei, mas acho e espero que pelo menos a questão da discriminação seja bem mais amena. Se eu não faço mal a ninguém, porque não posso ser gay? Diferentemente da pedofilia, necrofilia, zoofilia e afins em que a pessoa sente prazer com base no outro que não necessariamente tem consciência ou sente prazer nesses estupros renomeados.

    Ps: parabéns sempre pela escolha das fotos :)

    ResponderExcluir
  2. Caraca,cara.
    Tenho lido seu blog com certa frequencia e confesso que estou apaixonado pelos seus desabafos.
    Mto massa suas colocaçoes.
    Eu me vi em quase todos os posts e em especial neste aqui.
    As vezes a pessoa é mto obvia e mesmo assim se diz discreto.
    Penso cara,que estes rotulos sao uma merda.
    To nem ai se pareço isto ou aquilo.
    Vivo a minha vida.
    Preconceito?Todos sofrem de alguma forma,todos ;gays,negros,deficientes,e todos os diferentes.
    Mas é isto ae.
    Meus parabens pelo blog. e oh ve se nao se acostuma com o armario quentinho.
    Aqui fora tem mta coisa legal esperando por vc...

    Abraço

    ResponderExcluir
  3. Interessante a observação: homens são muito preconceituosos quanto a trejeitos afeminados, desde pequenos, mas entre as mulheres isso não acontece, ou é pouco expressivo.
    A causa pode ser o fato de a mulher ter lutado por tanto tempo por um novo papel social, um papel que antes era masculino. Elas avançam em uníssono, enquanto nós talvez não queiramos abrir mão dessa posição social de domínio, e mesmo que inconscientemente também o fazemos em uníssono. Assim, mesmo sendo todos gays ansiosos por liberdade, subjugamos nossos colegas mais “afeminados”.

    Poderia ser esse um fenômeno que tenderá a uma transição na raça humana? Em várias espécies, como no famoso caso dos pingüins, o papel doméstico é do macho, enquanto as fêmeas conseguem alimento. Graças à intensa interferência humana na seleção natural que deveria governar nossa evolução, seria-nos possível abandonar as regras de sobrevivência e desenvolver uma relação social “psicologicamente equilibrada” entre os sexos, sem que nenhum fosse submisso ao outro, tornando-os papéis totalmente indirefenciados ou direcionáveis de acordo com a conveniência do casal. Apenas a reprodução se manteria padrão – o que seria uma plena aceitação à homossexualidade, se me permitem inferir.

    Portanto, usando essa minha teoria doida como argumento e deixando gostos pessoais à parte, digo que devemos apoiar essa transição social e afirmo que devemos ser mais tolerantes, começando entre nós mesmos (gays) que tanto dizemos ansiar por liberdade. Ora, liberdade essa que seja pra todos.

    P. S.: Pra vcs verem como não estava mentindo...
    http://educacao.uol.com.br/ciencias/cuidado-parental-como-as-diferentes-especies-cuidam-de-seus-filhotes.jhtm

    e um tapinha na bunda pra vc, N.B. Sacou? N.B, na bunda, hahahah

    ResponderExcluir
  4. oquefaltouser@hotmail.com29 de março de 2011 20:40

    Olá.

    Descobri o seu blog há alguns dias, mas infelizmente estava sem tempo para lê-lo todo, portanto fui adiando. Hoje foi possivel!

    Eu sou mais um dos que sofre calado por aí. Infelizmente eu não sou o único, né?

    Estou na mesma cidade que você, provavelmente na mesma universidade (se minha intuição a partir dos textos estiver correta!), histórias e sentimentos tão parecidos, mas igualmente tantos outros por aí, muito distantes.

    Parabéns pelos textos - muito bem escritos -, e pelas fotos, que pelo que parece estão causando certa polêmica, mas só precisa de um pouco de percepção que são bem sutis.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  5. Eu já raciocinei muito sobre esse assunto de homens afeminados. Com isso, pude chegar a certas conclusões que achei um tanto coerentes no meu ponto de vista, rs.
    De certa forma, a relação de um gay para com outros homens, é muito menos espontânea do que para com mulheres. Nós podemos fazer uma comparação com pessoas héteras, que têm tendência a ter amizades com pessoas do mesmo sexo. O que quero dizer é que absorvemos comportamento de indivíduos com os quais temos certa convivência. Eu, por exemplo, ao perceber isso, diminui de modo significativo a minha amizade com mulheres e procurei ter mais contato com homens(machos, rs). Realmente obtive resultado. Posso dizer que meu jeito afeminado reduziu bastante. Porém, isso não é uma tarefa nada fácil: a princípio, somos obrigados a falar coisas que não pensamos, a se comportamos da maneira mais viril possível, para que esses homens venham a se tornar nossos amigos.

    ResponderExcluir
  6. sou gay não afeminado.. um pouco.., mas na CAMA MEU AMOOOR, sou Uma Barbie....kkkkkkkkk


    adoooro... ja peguei muitos héteros me montando ( cdzinha).. amore, faz um post sobre crossdressers e etc...

    ResponderExcluir
  7. Como é, por que é, eu não faço idéia, existem muitas variações sobre esse mesmo tema, o fato é que tesão é tesão, quando ainda estava no armário eu jamais me permitiria sair (namorar) com um afeminado, daria muita pinta rsrs. Depois que saí pensei que isso mudaria mas então percebi que é questão de gosto mesmo, não era preconceito, é gosto pelo masculino e tudo que ele traz. Um cara com jeito e traços mais masculinos possíveis foi e é o que me mais atrai. Fazer o quê?

    ResponderExcluir
  8. Acho q isso depende bastante da pessoa. Tive durante quase dois anos, um relacionamento com um rapaz q tinha gestos e postura algo efeminado. Ele é gracioso, bonito e bastante extrovertido. Mas tinha ( talvez ainda tenha) um pezinho na casa da "barbie". Isso pra mim nunca foi problema. Adorava ele e tinha um tezão imenso por ele. Por tras dos trejeitos, havia uma graça, uma fragilidade, alhguma coisa q me encantava. Ok! Uma bunda enorme, uma cor linda. Um nariz perfeito e um sorriso delicioso. Será q ajuda o fato de eu ser bisexual? Bem, até hoje procuro explicação pra q eu tenha me apaixonado por aquele veadinho. Atualmente, tenho como companheiro um rapaz com varias caracteristicas do namorado anterior, exceto a feminilidade. Ele me completa, pois é totalmente passivo e no quesito comportamento, tem pavor de bichinha. Tripudia de mim sobre o ex e se refere a aquele como "a travesti". Me divirto bastante com isso. Era viadinho, sim. Mas era uma delicia.

    ResponderExcluir
  9. Como podemos levantar a bandeira da diversidade se não a acolhemos entre nós? observe atentamente: os héteros não são iguais. HÁ os que falam fino, tem trejeitos e até rebolem ao andar.. Por outro lado há o gay macho,mecânico ou pedreiro, que é gay por que se sente atraído por outro homem... Enfim, siga seu desejo...

    ResponderExcluir
  10. Hetero q rebola, fala fino e é trejeitoso?? Caro Marco: Não existe ninguem igual a ninguem. Mas se vc tem um amigo assim, pode ter certeza: não demora, esse rapaz arrebenta as portas do armario com seu (dele) estojo de maquiagem e liberta a borboleta que hiberna dentro dele. Mas não ha nada de errado nisso. Errado é coçar o saco, arrotar, cuspir no chão e querer parecer o Clint Eastwood, quando na verdade o cara quer mesmo é ser a Britney. Q seja feliz fora do casulo. Quanto ao pedreiro, mecanico ... sinceramente, sem querer ser preconceituoso ou radical, mas sao ocupações q em nada combinam com o jeito gay de ser. Acredito que nesses casos, seriam mais bissexuais ou meramente curiosos, quando não aventureiros. É preciso ser muito homem para assumir-se gay.

    ResponderExcluir
  11. eu sou afeminado . as vezes penso que sou uma transex e nao um gay de tão afeminado, de tanto que minha mente é afeminada . Eu nunca mudaria minha opçao sexual como tem a enquete la em cima. mas see eu pudesse mdaria meu jeito . eu adooro meu jeito, gosto de ser afeminado mas o preconceito parece que aumenta mais ainda . deve ser como diz voce, as pessoas (99%homens) nos assemelham as mulheres. "Inferiores" . :/

    ResponderExcluir
  12. Eu sou um rapaz jovem(23 anos), bonito, inteligente, dou aula para cursos de Engenharia (com aquele perfil de alunos masculos) e sou Gay.

    O pior (ou o melhor) é que embora eu não me considere um escandalo ambulante, sempre tive minha forma particular de me expressar e interagir com as pessoas e sempre fui encarado como Gay (aos moldes do que os outros preferem chamar de trejeitos - que eu odeio).

    Digo isso porque mais de uma vez fui indagado se era Gay, e sem problema algum dizia que aquela informação só interessava a pessoas que eu fosse me relacionar.

    O que é mais incrível na minha história é que embora eu seja um homem muito bonito mas perceptivelmente gay (acho que mais pro excessivamente metrosexual do que para feminissimo) e já tenha sido cantado por vários homens (masculos) e gays, a pouco mais de 2 anos despertei o interesse numa moça muito bonita (que trabalhava como modelo na China) e dei início a um namoro (mesmo sabendo que eu era Gay) para tentar entender qual era a dela e também a minha.

    Foi uma relação bacana, muito produtiva mas que infelizmente na cama não me completava.

    Quando terminamos, um dos meus alunos de Engenharia (lindo, masculo, malhado e etc) veio conversar comigo dizendo que estava decepcionado pois sempre achou que eu fosse Gay e que eu era importantíssimo para ele e outros meninos que faziam engenharia e eram Gays porque eu mostrava que era possível ser descente, instruído e gay.

    A decepção dele veio a tona quando eu estive numa formatura de Engenharia com a minha então namorada modelo.

    Eu expliquei para ele que eu era gay mas que eu também era ser humano, e antes de mais nada tive um relacionamento hetero porque queria compreender os meus desejos e como que embora não masculo eu despertava o interesse de uma mulher tão bonita e que poderia ter o homem que quisesse as mãos.

    Depois do bate papo, ele entendeu a minha onda e me perguntou abertamente: mas como você fazia sexo com ela? Sendo gay e nunca tendo "comido" uma pessoa você conseguia ficar de pau duro para comer uma mulher?

    Eu fiquei pasmo e respondi: Como assim nunca "comi uma pessoa".

    E ele: Sim professor, porque se você "deu" sempre para homens, fica muito dfícil ficar de pau duro com uma mulher, mais do que para mim que "como" os caras.

    Ai eu realmente compreendi a situação. Por eu ser um homem obviamente gay, ele também considerava que eu fosse passivo.

    Expliquei para ele que eu era gay sim, que gostava de homens sim, mas que de maneira nenhuma eu era passivo.

    Ele achou graça.

    E eu também.

    HAUAHUAHAUAHAUHAUA

    Ele realmente teve uma resistencia para acreditar que eu "como" homens e não "dou" para homens.

    A verdade é que embora eu seja gay e diretamente seja esteriotipado como passivo, eu nunca senti tesão em ser passivo (e na verdade eu nem nunca fui) e os meus desejos sexuais sempre me levaram a situações em que eu era o passivo com 100% de prazer e realização.

    O pior é que o mundo Gay é mais preconceituoso do que tudo. Amigos meus já riram de mim quando eu afirmo que sou ativo me chamando até de "sapatona" HUAHUAHAUAHUAHAUa.

    Quando eu me relaciono com algum cara, tenho logo que contar pra ele que eu sou ativo antes que um bombadão de 5 metros, depois de 30 minutos de papo me leve para dar um passeio e descubra que eu curto muito mais que ele "comer" e me parta a cara com um soco achando que eu to de piadinha.

    HAUAHUAHAUAHUAHAU

    Como lidar? Como ser professor de Engenharia, homem, gay, apaixonado pela Ella Fitzgerald e pelo Oscar de la Renta e ativo?

    O meu maior problema hoje com sexualidade está nessa esfera.

    Alguém da uma ajuda.

    ResponderExcluir
  13. Leia ATIVO onde escrevi PASSIVO no seguinte parágrafo:

    A verdade é que embora eu seja gay e diretamente seja esteriotipado como passivo, eu nunca senti tesão em ser passivo (e na verdade eu nem nunca fui) e os meus desejos sexuais sempre me levaram a situações em que eu era o ATIVO com 100% de prazer e realização.

    ResponderExcluir
  14. ''Às vezes penso se me afirmar como gay me faz menos homem.'' NUNCA LI ALGO IGUAL...SE ASSUMIR COMO GAY N TE FARÁ SER MENOS MACHO SRSRRS E LEMBRE-SE...''DEVEMOS SER GRATOS OU RECONHECER Q O MUNDO GAY É ASSIM HJE..MAIS EXPRESSIVO DEVIDO AS ''PINTOSAS'' E ''TRAVESTIS'' QUE TANTO CRITICAMOS....FORAM ELES QUE FORAM PRA FRENTE ''DA BATALHA'' POR O MOVIMENTO AVANTE...NAO FORAM AS INCUBADAS, ENRUSTIDAS, MAU-RESOLVIDAS E DISCRETAS QUE TOMARAM A FRENTE DO MOVIMENTO GAY NAS PARADAS GAY E ETC;.....eu sou discreto, muitos se enganam comigo, outros reconhecem q sou gay pelo olhar (ferramenta infalivel de radar rsss) e outros nem dao credito qdo me assumo gay;;;; acho o preconceito gay contra gay uma barbaridade...eh a mesma coisa que NEGRO ser contra NEGRO....ou puta contra puta, algo assim...ser homem nao está nos atos masculinos e sim no verdadeiro carater!

    ResponderExcluir
  15. RSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSS DIMITRI FECHA DE CADEADO...AKI ADORO ELE SRSRSRSR

    ResponderExcluir
  16. HA GAYS EM TODAS AS PROFISSOES E EM TODAS AS RELIGIOES E EM TODOS OS SETORES DA SOCIETY

    ResponderExcluir
  17. Conviver com preconceitos é foda!

    Esse, principalmente, de associar afeminados com passividade na cama. Nada a ver, definitivamente.

    Aliás, conheço homens absolutamente hetero e que dão dez vezes mais pinta que eu. Mas eu gosto de pinto, eles dão pinta. Essa é a diferença, apenas. Mas gostando de pinto ou apenas dando pinta, somos todos humanos, somos todos homens. Quando é que vamos admitir isso?

    ResponderExcluir
  18. eu nao sei como me encaixar nisso tudo, porque nao sou nenhum dos extremos, nem macho nem afetado, fico perambulando aqui e alí,sou uma mistura de feminino e masculino, mas uma coisa é certa, ser feminino é diferente de ser afetado....

    ResponderExcluir
  19. Vc presisa aceitar a Jesus para mudar de vida!

    ResponderExcluir
  20. olá , lendo o blog e gostando muito , tenho 17 anos sou gay e ninguém sabe ainda . talvez eu seja um pouco preconceituoso comigo mesmo , não me permito ser "afeminado " , talvez muitos vão me criticar pela minha opinião , provavelmente vão dizer q sou apenas um moleque q ainda ao sabe o quer da vida. porem do mesmo jeito q cada um aqui tem sua opinião me sinto na liberdade de expressar a minha também, eu sou um cara de boa com a vida , mais acho muito desnecessário um homem querer ser feminino , se assemelhar a um projeto mal sucedido de mulher , não tenho nada contra essa pessoas , até mesmo por que defendo a ideia de que cada um faz o quiser e achar melhor da sua vida ! de uma certa forma acho falta de respeito um homem sair por ai vestido de mulher ... ser homosexual não é o problema ,mas ser uma bicha depravada é que é o problema. um dia estava no shopping com meu sobrinho de 4 anos e ele viu duas travestis , ficou me perguntando o q era aquilo, por q " eles " estavam vestidos de mulher e por q tinha um homem beijando na boca de outro homem ! fiquei sem saber o q dizer ao garoto , sem graça e tentando mudar de assunto . mas em fim sou só um garoto de 17 anos ... minha opinião não vale de nada pra a maioria .... sou gay e os defendo como posso , porém não vou levantar um bandeira rosa e dizer a todos q sou gay. desculpe os presentes se os ofendi de alguma forma !

    ResponderExcluir
  21. Olá, achei seu blog por acaso em algumas das minhas pesquisas. E neste post o que me chamou atenção foi : " Quero citar também que já vi pessoas extremamente afeminadas que se dizem ser héteros e dizem ter namoradas. Pessoas que eu teria certeza que são gays, exatamente por esse comportamento afeminado ". Bom, eu sou o outro lado da história, a namorada ou melhor Noiva. Não estou aqui para criticar, respeito todos vocês e suas opiniões, sei que aqui não seja lugar para o meu desabafo rs, mas minha cabeça anda confusa demais. Será mesmo que afeminados podem ser Homossexuais ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, como vai?
      Fico feliz em saber que os textos também são lidos por mulheres, é uma pena que tão poucas de manifestam porém. Esse lugar é para se discutir qualquer coisa, nao fique acanhada!

      Creio que vc quis perguntar se 'afeminados podem ser *heterossexuais'. Não tenho a resposta pronta, o mais fácil seria perguntar para o seu noivo se ele está casando contigo apenas para esconder a sexualidade reprimida dele. Como todos sabemos que é quase impossível ter uma resposta honesta assim, vá pelas observações.

      Ele é presente, atencioso, te satisfaz sexualmente? Ou é vazio, distante ou parece triste? É bem dificil saber se os caras que se dizem hétero e que são afeminados são realmente hétero ou estão apenas negando a si próprios.

      Eu, particularmente, acredito sim que a orientação sexual independe do padrão de comportamento. Eu acredito que mesmo que sei noivo seja muito afeminado, ele possa ser 'hétero'. Mais um mistério da sexualidade humana. =)

      Excluir
  22. tenho 13 anos não sei se sou gay ou bi sou frio condo augum asunto gay rola na tv não sai do armario e nem nunca vaou sair não sou afeminado desta forma ninguem nuca vai desconfiar

    ResponderExcluir
  23. (Gregor Samsa)Olá amigos, sou um bi casado com mulher há 4 anos. Bom, sou um tanto andrógeno. As vezes sou mais afeminado e as vezes bastante masculino, porém eu me gosto mais na segunda opção, pois acho muito bonito um homem ter um comportamento padrão, não aquela coisa forçada só pra manter aparências, pois quando se é afeminado é algo muito natural e ocorre de forma involuntária, portanto a gente não percebe a forma como agimos quando levamos um susto por exemplo e damos aquele gritinho que todos percebem(O QUE É O MEU CASO). Já quando estou com raiva meu comportamento é de um homem falando grosso e alto como forma de chamar atenção ao que estiver me causando esta raiva naquele momento. Por incrível que pareça, minha esposa prefere quando sou mais delicado, ela diz que sou um homem feminino e eu até brinco falando que ela é lésbica, kkkkk. Eu não acredito muito nessa coisa de influência, depende muito do ponto de vista em que se insere o assunto e no caso de comportamento homo/hétero acho que você tanto pode puxar a mãe quanto ao pai. No meu caso eu sempre convivi com todos os membros da minha família sejam homens ou mulheres. No caso dos homens, sempre tive um pai e irmãos bem cabras machos e inclusive bem mulherengos e machistas, porém é algo que não herdei. Todos eles adoram futebol e eu detesto, não suporto ouvir aqueles homens fanáticos discutindo sobre o assunto, porém na parte de sentar, andar e falar como homem eu sou igual a eles, apenas com um pouquinho mais de educação. Já em relação as mulheres, eu tinha tudo pra ser muito mais feminino, pois me interessava mais por coisas deste mundo e no entanto sempre fui meio termo, mas com uma raiz maior sempre a crescer para o lado masculino. Nunca tive problemas com essa questão de eu ser ou não um pouco afeminado e também nunca tive preconceito com gays que são e, inclusive sempre me relacionei melhor amorosamente com pessoas assim.

    ResponderExcluir
  24. Gregor, que depoimento bacana. Mostra como todos nós somos diferentes e únicos. Muito legal sua história.

    Curiosidade: sua esposa sabe que você é bi? Se sim, como foi a reação dela? Ela tem ciúmes de você com homens e mulheres ao mesmo tempo?

    Abração e tudo de bom!

    ResponderExcluir
  25. Eu sou homossexual; vivo no armário e não desejo sair; não tenho que sair por aí e dizer "sou homo, sou homo", da mesma forma que meu irmão não tem de sair por aí e dizer "sou hétero, sou hétero". Eu e ele somos discretos. Não gosto de paradagay porque não gosto nem curto multidões. Então, só umas 12 ou 14 pessoas sabem das minhas opções, inclusive, claro, meu namorado. Mas, sou efeminado; então as pessoas desconfiam...deixem que desconfiem. O mistério é uma grande coisa. Eu adoro mistérios.

    ResponderExcluir
  26. As vezes os trejeitos nos fazem sofrer mais preconceito, e talvez haja mais preconceito contra gays afeminados! Fico feliz de ver um conteúdo tão interessante em um blog! Parabéns! Com o intuito de ajudar alguns a abandonar alguns trejeitos eu criei o blog bobby discreto, peço que leiam e deem suas opiniões, não é um conteúdo homofóbico é apenas uma forma de ajudar aqueles que assim como eu se sentem incomodados em ser efeminado!

    ResponderExcluir
  27. Eu já cheguei a pensar que, dependendo do ambiente, a pessoa poderia se desenvolver mais ou menos afeminada/masculinizada. Afinal de contas, quando se está em um grupo de amigos, é normal que se compartilhem os gostos e os trejeitos. Mas tem crianças que desde muito novas já tem uma personalidade mais afeminada/masculinizada. É algo que também me atiça a curiosidade.

    Quando eu sair do armário, imagino que os outros terão comigo uma reação semelhante a do seu amigo. Não gosto muito da designação "discreto" porque parece que estou escondendo alguma coisa. E não estou! Tenho apenas os mesmos trejeitos desde os tempos em que me considerava hétero. Não tenho também intenção em mudar isso porque o que mais me atrai é o masculino mesmo - quanto menos afeminado, melhor.

    Abraços.

    ResponderExcluir

#HTML10{background:#eee9dd ;}